Skip to main content

Posts

Showing posts from August, 2006

Planos pro futuro

Depois de muito pensar, e conversar, e sonhar, e ler, e estudar... nós estamos decididos a sair do Brasil. Se eu tivesse que dizer agora pra onde e como eu diria: "pro Canadá via imigração". Ainda estamos na fase de estudar e procurar a opção que melhor se encaixe ao que procuramos mas parece que os caminhos acabam sempre indo em direção ao Canadá. Pra não ficar só no sonho chegamos à conclusão de que precisamos aprender pelo menos o inglês pra pensar em sair do país e então estamos fazendo aulas particulares e as aulas do Sergio são mais direcionadas pra prova do IELTS. O IELTS é uma prova exigida por alguns países tanto pra imigração como para universidades. As minhas aulas de inglês têm sido um caso a parte. Primeiro que optei por fazer aula particular em casa por causa das crianças. Pra conseguir fazer alguma coisa o Dudu tem que estar na escola porque ele simplesmente não deixa a Thais em paz. E agora a Helena resolveu querer participar mais ativamente da aula e em algu…

Questão de segurança

Eu me incomodo muito com essa sensação de insegurança que vivemos constantemente, principalmente depois de ter passado 6 meses nos Estados Unidos. Mesmo com os riscos do terrorismo e todas as revistas pelas quais passávamos sempre que viajávamos, nada se compara ao medo que eu sinto aqui no Brasil. O tempo todo fico pensando no que pode acontecer e como me defender disso. Uma das minhas técnicas agora é deixar o portão aberto quando vou levar e buscar o Edu na escola. Eu sempre ficava imaginando que alguem poderia entrar no carro no momento em que eu descia pra abrir o portão e eu ficava desesperada em deixar as crianças sozinhas no carro neste momento. Sempre que estou voltando de algum lugar, seja noite ou dia, me preocupo em olhar se tem alguem na rua, se vejo algo estranho, fico olhando atrás dos carros, da caçamba da construção, essas coisas de neurótica. Quando o Sergio viaja eu passo o dia todo preocupada e logo ao anoitecer tranco todas as porta e vou várias vezes ao quarto das…

Boneca de papel

Hoje recebi um link com uma versão moderna das antigas bonecas de papel (Barbie Dress up Games) e fiquei me lembrando de como eu gostava delas. Pra quem não conhece, na verdade era como um desenho de uma menina ou mocinha em papel durinho (tipo papelão) e tinha as roupinhas também em papel pra colocar nelas. Era bem divertido! Uma das lembranças mais remotas que tenho da minha infância e a de quando fiquei uma semana internada e conheci no hospital uma menina chamada Marcia que já estava la há muito tempo e ninguem ia buscar. Me lembro que minha mãe ia todos os dias me ver e sempre levava alguma coisa gostosa que eu dividia com essa menina. Eu devia ter uns 6 anos e ela uns 5. Em uma dessas visitas minha mãe levou duas bonecas de papel e nós duas passavamos horas trocando as roupinhas. Eu tive alta na véspera do natal porque meu primo "farmaceutico" se responsabilizou pelo meu tratamento em casa. Nunca mais tive notícias dela mas imagino que pelo menos aquele natal ela passo…

Sonhos de menino

É muito interessante como certas coisas já nascem com a pessoa e algumas delas parecem estar intimamente relacionadas com a ausência daquela "perninha" do cromossomo Y. Ainda não posso dizer muito sobre as características da Helena, mas acho muito interessantes as primeiras paixões do Eduardo. Desde muito pequeno ele sempre demonstrou muito interesse por meios de transporte. Uma das primeiras palavras que ele aprendeu a pronunciar corretamente foi carro. nunca disse "cao" ou "caio"; sempre falou certinho "carro" e tem uma paixão muito grande por motos também. Ele não pode ouvir um barulho de moto na rua que corre pro portão e só entra quando a moto ja estiver bem longe. Nas últimas semanas seu interesse tem se voltado para os caminhões e com a obra aqui ao lado de casa a diversidade é grande. A cada dia surge uma novidade que estaciona bem em frente ao nosso portão; caminhões com ferros, com blocos, basculante com areia, betoneira, guincho pra ca…

Como entender o ciume do irmão mais velho

Após 7 meses do nascimento da Helena parece que finalmente caiu a ficha do Eduardo de que ela veio pra ficar e que os dois vão ter que dividir quase tudo em suas vidas: no momento, o quarto, os brinquedos, os pais, a atenção das pessoas... E o tempo todo o Edu ouve aquelas balelas: "ela é sua irmazinha" "vc tem que cuidar dela" "ela ainda é pequena" "ela vai brincar com vc" "olha como ela gosta de vc" e por ai vai... E falando de toda essa situação com o pediatra das crianças, ele me vem com essa: Imagine que o Sergio chegue em casa e me diga que agora ele tem uma nova esposa e que ela vai morar com a gente. O que ele sente por mim não mudou em nada e nós duas vamos nos dar muito bem, vamos ser amigas. Tudo o que é meu será dela também mas o que é dela eu também poderei usar... Acho que com esse exemplinho simples deu mais ou menos pra entender o que o Edu deve estar sentindo. Como deve ser difícil pra ele entender porque ele tem que aceitar aqu…

Como é bom ter filhos

Muito sábio quem disse: "Depois que filho pari nunca mais barriga enchi". Pode não ser literal mas com certeza muitos do meus hábitos, alimentares ou não, mudaram desde que tive filhos. Raramente consigo comer uma comidinha bem quentinha; dar uma beliscada durante o dia sem ter que dividir com um fulaninho que sempre pergunta: "o que é isso, mamae?"; fazer crochê, tricot, bordar? só qd tem uma tia pra distrair a turminha; TV durante o dia nem pensar; aguar as plantas acaba virando uma operação de guerra pra impedir que o anginho saia todo molhado; até o Pearl Jam, que é uma das minhas grandes paixões, tenho conseguido ouvir no carro e sem poder prestar muita atenção!
Mas não consigo parar de pensar nestes dois um só momento e tenho a sensação de nunca mais estarei sozinha...

got a car...i got some gas oh, let's get out of here...get out of here fast ah, everyone's confused so i stay in my room if i go, i don't want to go alone i hope you got this message...o…

As preocupações com educação

Mesmo antes do nascimento dos nossos filhos, nós ( eu e Sergio) sempre nos preocupamos com a educação deles. Não só a educação que damos em casa mas também com a escolha de uma escola que nos ajude a educa-los. Mesmo fazendo muita pesquisa e tendo uma ideia mais ou menos clara do que estamos procurando como educação formal pra eles, com o nascimento da Helena e a sobrecarga que eu acabei tendo com os dois, optamos por colocar o Edu em uma escolinha próxima de casa, onde ele ficasse meio período só pra se distrair um pouco e brincar com outras crianças. A princípio eu achei que tinha feito uma escolha muito acertada porque a escola parecia estar cumprindo o papel que eu esperava dela em favorecer o convívio dele com outras crianças, divertí-lo e criar uma rotina mais organizada para o seu dia.
Hoje, seis meses após a matrícula, eu já não sei se foi uma boa escolha. Se por um lado o Eduardo desenvolveu muito a fala e aprendeu um monte de coisas como reconhecer números, cores e a bandeira…

Lindo dia de sol no parque

Voltando ao post tipo "minhas férias" vou tentar dar mais uma dica de passeio seguro, interessante e barato na cidade de São Paulo, pra aproveitar as altas temperaturas desse inverno. No sábado, dia 12, fomos ao Parque da Água Branca. A idéia inicial era fazer simplesmente um pic nic mas me surpreendi com as diversas atividades que encontramos por lá.
O primeiro ponto positivo foi o quesito estacionamento que em São Paulo é uma fator muito importante. Exatamente em frente ao portão principal tem um estacionamento grande no valor de R$ 1,99 o dia todo, exceto aos domingos que o valor é de R$5,00. Ainda assim acho que vale a pena. O pagamento deve ser feito já na entrada e basta atravessar a avenida Francisco Matarazzo pra entrar no Parque.
O quesito limpeza também me surpreendeu pois apesar do tamanho do Parque e do número de pessoas ele estava muito bem conservado e limpo. Há vários bebedouros espalhados pelo parque com água potável e muitas cestas de lixo também. Banheiros eu…

Que confusão!!!

Por que será que tem dias que as coisas acontecem todas ao mesmo tempo? Estou com uma visitinha aqui em casa, a luisa, que tem 11 anos e mora na alemanha. Ela veio passar alguns dias aqui com a gente e logo no primeiro dia amanheceu com uma febre de 39 graus.
O que eu fiz? o obvio: liguei pra mãe dela:
Não estava.

Liguei pra tia:
Não estava.

Procurei a avó:
Tb não estava.

Liguei pro consultorio do pediatra do Edu e da Helena:
Não estava.

Ok: liguei pro celular dele:
Estava e me orientou em como medica-la.

Só que neste liga daqui, deixa recado dali eu me atrasei pra buscar o Edu na escola, atrasei a mamadeira da Helena, o almoço do Edu e a febre nao abaixava e eu fui buscar o edu na escola e acabei dando a sopa da helena cedo demais e ela nao comeu e o edu começou chorar que queria colo e a helena berrar porque estava com sono e o frango queimando no fogo e o cachorro latindo pro pedreiro do vizinho e o edu derrubou detergente no chao e na roupa inteira e eu fui trocar o edu e depois a helena e e…