Skip to main content

Escrevendo direto da geladeira

Basta esfriar um pouquinho pra eu me lembrar de como o inverno em Atlanta foi bom! Apesar de temperaturas muito mais baixas que os 9 graus que fez ontem a noite a gente não passava frio. Dentro de casa tem o aquecimento que permite ficar de camiseta o tempo todo e todos os lugares fechados são aquecidos também. Só era preciso usar casacos na rua.
Passei o dia todo hj cheia de blusas e morrendo de frio; mal consigo digitar! Levantar de manhã é outro drama. Se já não bastasse ter que levantar as 5:45 da manha ainda com esse friozao. Banho!!!??? Dá vontade de adotar a técnica europeia: não precisa ser todo dia!
As crianças passam o dia encapotadas. A Helena está parecendo uma bola de meia. Só os olhinhos estão de fora e ela mal consegue se mexer. O Dudu apesar de parecer um robô amarrado não está nem aí pro frio; a porta está aberta e ele correndo do quintal pra sala e da sala pro quintal como se estivesse o maior calor. o Leo não saiu da casinha nem pro costumeiro xixizinho na minha pá de lixo. O máximo que ele fez foi abanar o rabo quando fui ver se ainda estava vivo.
E eu vou levando aqui o meu mal humor por ter tantas coisas pra fazer e não ter coragem nem de ir até a cama tirar um cochilo. Sem contar que minha casa mais parece uma peneira de tantos buraquinhos por onde entra vento. De nada adianta fechar as portas e janelas porque o vento continua entrando sem cerimonia.
O mais interessante é que no verão eu saio da geladeira direto pro forno porque basta esquentar o tempo pra começar a funcionar o "sistema de vedação perfeito". Pode deixar tudo escancarado no verão que não passa uma brisa!
Coisas de país tropical.