Skip to main content

Mãe é mãe

Acho minha mãe muito engraçada: se por um lado tudo o que eu faço em relação às crianças e ao marido está errado; por outro ela me trata como se eu ainda fosse aquele bebezinho que ela teve quando as filhas mais velhas já estavam batendo nas portas da adolescência.
Em meio a um monte de críticas vem sempre aquela preocupação se eu consigo dar conta de cuidar das crianças e da casa: "vc deve se ver doida com esses dois e ainda tendo que cuidar da casa, né?"
Hoje mesmo ela queria que eu fosse pra casa dela a tarde e levasse a montanha de roupas que tenho pra passar!!! Vê se tem cabimento isso: eu saindo de casa com o bagageiro do carro cheio de roupas e nós passarmos uma agradável tarde na casa dela revezando o ferro de passar. Sem contar que ia ser difícil trazer tudo de volta sem amassar!
E eu fico pensando nela e em todas as dificuldades que ela teve: se casou e veio pra São Paulo; teve 3 filhas com diferença de 2 anos entre uma e outra; ela cuidava das 3 sem carro, sem escolinha, sem maquina de lavar roupa nem de lava-louça, sem microondas e por muito tempo sem geladeira tb! Não tinha plano de saúde nem o celular do pediatra; bom, nem telefone eles tinham! Os maridos naquela época, com raras exceções nao participavam muito dos cuidados da casa e dos filhos e eles não tinham condições de ter empregada ou faxineira; e ela ainda costurava pra fora pra ajudar no orçamento.
A diferença é que ela não era mais uma menininha!