Skip to main content

Rapidinhas

Infelizmente ando sem tempo de passar por aqui. O pior é que já estou com sindrome de abstinência mas realmente nao tem dado tempo.


O Dudu parece que entendeu que ficar sem fraldas pode ser mais confortável e mais fácil. Ele ainda pede pra colocar fralda de manhã e de vez em quando um xixizinho básico vaza, mas tem ficado o dia todo de cuequinha e se lembrado de pedir pra ir ao banheiro. Agora, fralda é só pra dormir.


Já a chupeta não vai ser tão simples assim: mas pelo menos ele já sabe que pra brincar ou sair de casa tem que ir sem ela.

Outra coisa que é super legal nele é saber que no carro sempre tem que estar no cadeirão ou de cinto. Ele e a Helena sempre nos seus cadeirões e os adultos com cinto de segurança. Na casa da minha mãe, o carro fica sempre estacionado em outra rua e na hora de ir embora eu ou o sergio vamos buscá-lo. Agora o Dudu sempre quer ir tb e assim que senta no banco do passageiro ja fica esperando que a gente coloque o cinto nele. Eu não gosto muito da idéia dele andando de carro fora do cadeirão e só permito porque a distância é menor que 50 metros, mas pelo menos ele já tem consciência sobre segurança.


A Helena está tentando engatinhar. Ela até fica na posição de gatinho mas acaba sempre indo pra trás. Pra driblar esta dificuldade ela aprendeu andar sentada. Eu a coloco no tapete da sala sentadinha e quando vejo ela já andou a sala inteira. Agora aprendeu o caminho até os brinquedos e eu passo o dia juntando o que ela vai espalhando. O problema deste meio de locomoção dela é que ela ainda nao sabe desviar dos obstáculos e de vez em quando chora porque ficou presa em alguma coisa.

Os dentinhos de cima já começaram a nascer e como ela ja tem os dois de baixo está achando o máximo seguras as coisas com os dentes e ficar batendo um dente no outro: dá a maior aflição.

Esta semana ela tb aprendeu a bater palmas. Já está condicionada: basta alguém começar cantar "Parabéns pra vc" e ela começa bater palminha. De vez em quando ela se confunde e bate na propria cabeça quando começa a música: uma graça!