Skip to main content

Edu e sua virose

Todo mundo critica os médicos por causa dessa história de virose: basta algum médico falar em virose pra todo mundo achar que ele nao sabe o que a pessoa tem. Pois com o Edu eu acabei concordando com o pediatra.

Ele examinou o Eduardo de cima abaixo; olhou; olhou de novo e não deu pra concluir nada. A suspeita inicial era escarlatina. Eu pesquisei na internet os sintomas e não achei que o quadro do Edu reproduzisse o que vi. Pois o médico acabou achando a mesma coisa. Apesar de estar todo pintandinho e com febre o Eduardo não tinha sintomas de infecção por bactéria. Pra tirar a dúvida o pediatra pediu um teste para Streptococcus do grupo A. Se o resultado fosse positivo pra presença desta bactéria estaria confirmada a escarlatina e o médico até receitou o antibiótico. Mas o resultado foi negativo e só sobraram os vilões do momento: os vírus.

Em nenhum momento o médico usou a palavra virose. As pessoas têm tanto preconceito em relação a esta palavra que os médicos até evitam usá-la. Então, o que o Edu tem é uma infecção por vírus. E ficam os pais e o pediatra contentes porque ninguem gosta de ver seu filhinho tomando antibiótico.

O chato é que todo mundo pergunta o que o Eduardo tem e eu digo:

- Ele está com uma infecção por virus.

Como ninguem mais é bobo, todo mundo torce o nariz e quem paga o pato é o médico:

- Esses médicos, quando não sabem o que a criança tem já vêm com esta historia de virose...