Skip to main content

Triste sim, infeliz não

Acho que só agora, uma semana após a perda do meu "bebê" é que consigo pensar com tranquilidade em tudo o que aconteceu. Acho que o aborto em si não foi tão traumático. Eu tenho consciência de que é uma coisa relativamente comum e se não tivesse descoberto a gravidez tão no início muito provavelmente nem ficaria sabendo que o aborto ocorreu.

O que mais me chateou mesmo foi a reação das pessoas. Alguns reagiram negando e tratando como se a gravidez nunca houvesse existido: se não teve gravidez, tb nao teve aborto e assim não tem porque ficar triste. A maioria entretanto reagiu não falando sobre o assunto. Cada vez que eu começava a falar do que estava acontecendo a conversa era desviada pra outra coisa e o assunto morria.

Foi difícil: eu sentia tanta vontade de conversar, de contar a hisórinha desde o começo pra ver se me sentia melhor e não encontrei ninguem pra ouvir. Ao invés disso cada um me trouxe seus próprios problemas e suas historias e eu acabei me sentindo super sozinha.

Sem contar que ainda tive que continuar cuidando das crianças, da reforma que estamos fazendo, escolhendo e comprando materiais e pra atribular ainda mais a minha semana complicada o Sergio tinha que marcar e fazer alguns exames e não podíamos adiar. Enfim, não tive um minuto de tranquilidade pra ter o meu luto.

Aos poucos, aquele turbilhão de sensações ruins foi se acomodando e eu consegui tentar entender porque as pessoas têm tanta dificuldade em lidar com perdas e com qualquer coisa relacionada a morte. Eu preciso chorar e falar muito sobre o assunto pra conseguir me conformar e virar a página. Acho que fugir não resolve nenhum problema sentimental. Mas cada um reage de uma maneira, né?

O importante pra mim é que esta página foi virada. Estou feliz que tudo se resolveu da maneira mais favoravel e simples possivel. Fiz uma ultrassonografia segunda feira e meu útero está "limpinho". Não terei que fazer curetagem e parece que está tudo normal. Sexta feira terei uma consulta com meu ginecologista pra conversar sobre isso, mas seja o que for que ele diga, tenho certeza que ficaremos bem.