Skip to main content

Posts

Showing posts from March, 2007

O coelho Leo

Na semana da Páscoa o tal do Coelho Leo virá até a escola do Eduardo e quem quiser poderá entregar suas chupetas e mamadeiras a ele.
Estou na maior dúvida porque com a Helena de chupeta na boca vai ser complicado convencer o Edu a entregar as dele para o coelho. E assim como quem não quer nada eu vou fazendo aquelas perguntinhas infames na tentativa de tornar esta entrega uma coisa legal e não tão traumática:
- Vc vai entregar a sua chupeta pro Coelho Leo?
- Não mamãe, ele já tem um monte de chupetas.
- Mas ele precisa de mais pra dar para os coelhinhos.
- Então eu vou entragar a minha e vc comprar uma nova depois, né?
- Ah não, se vc entregar depois não vai ter mais chupeta.
- Então quando eu ficar grande eu entrego a minha chupeta pra ele e depois ele me devolve.
Após um tempo:
- E a mamadeira? Vc vai entragar pro Coelho?
- Não mamãe, a minha está muito velha. É melhor entregar a da Helena.
- Mas a Helena é muito pequena pra entregar a mamadeira.
- Depois você compra outra pra ela.
Fácil não? É…

Quase uma confusão

Ontem o Edu teve como lição de casa encontrar figuras que começassem com a letra D. Não foi nada fácil porque não existe muita coisa.
Animais por exemplo: dromedário? dinossauro? dragão? Por coincidência encontrei em uma edição antiga da revista Veja um dragão enorme e "gripado". O difícil está convencer o Edu que dragões nao existem...

Frutas: damasco? onde eu ia encontrar uma foto de damasco? Ainda se estivéssemos perto do final do ano...
Então recortamos um belo sorriso pra mostras os Dentes e a mão de uma pessoa para mostrar os Dedos. Tinha uma foto super legal com a mão do presidente Lula, mas eu achei que ia causar uma certa confusão para as crianças a falta do dedinho e iria desviar a atenção deles pra outro assunto. O Edu adorou a brincadeira de recortar e colar.
Hoje quando chegamos na escola, assim que entrou na sala o Edu viu uma folha com um lindo dragão colado: isso mesmo, um dragão igual ao dele!
Ele não teve dúvidas: correu até a mesa gritando que era dele e já …

Férias fora de época

Que maravilha!!! Aproveitamos a passagem do carnaval e do verão e tiramos 4 diazinhos pra descansar na praia. As crianças se divertiram muito e hj quando estávamos vindo embora o Edu não cansava de dizer que não queria voltar pra casa e sim ir na praia. Fiquei super chateada e morrendo de peninha dele.

Pra compensar prometi que ele poderia brincar com areia e agua aqui em casa. Nem bem soltei-o do cadeirão e ele já perguntou se tinha areia aqui pra ele brincar. Os dois fizeram a maior festa com a areia que eu tinha e eu ainda tive que lavar o quintal depois que a farra acabou. Mas pelo menos consegui consolá-lo um pouco.

Também prometemos que vamos repetir a dose com mais frequência.


Teria sido tudo perfeito se não tivessemos sofrido o ataque de um enxame de "abelhas" em plena areia da praia. Por sorte as crianças estavam na água e só eu fui picada por uma abelhuda e estou com a mão inchada até hj. Devido à reação alérgica, o barrigão está cheio de berebinhas também, mas nada…

O tombo no ponto de ônibus

Eu sempre fui super desastrada. Quando adolescente parecia que meus braços e pernas tinham ganchos que saiam enroscando em tudo; a adolescência passou mas continuo meio desastrada.

Certa vez, quando ainda namorava com o Sergio e nenhum dos dois tinha carro, marcamos de nos encontrar no metrô. Eu fui toda arrumadinha com um jumper de lã todo justinho e curto e como estava muito frio coloquei duas meias finas: uma da cor da pele e preta por cima.

Nem me lembro onde fomos, mas no retorno ele me levou até a minha estação do metrô e eu fui sozinha para o ponto de ônibus. Quando sai do metrô vi meu ônibus no ponto e sai correndo para não perde-lo: em São Paulo, perder o ônibus num domingo é garantia de horas de espera por um outro ônibus.

Nesta correria desabalada, já bem pertinho do ponto eu pisei em falso e cai de quatro: ralei os dois joelhos que ficaram sangrando, desfiei as duas meias completamente e fiquei com as palmas das mãos arranhadas.

Naquele misto de vergonha e medo de perder o ôn…

Menina de sorte

O Edu teve uma infecção no ouvido e ele precisa fazer um retorno com o medico. Esta semana estamos planejando viajar na quinta, o médico não atende de quarta e eu queria levar o edu antes de viajarmos.

Liguei no consultório pra ver se tinha um horario hj. Não: o médico não es ta atendendo hj porque esta em um congresso mas...

... abriu o dia de amanha pra atendimento por causa destes pacientes que ele nao atendeu ontem e hoje. Depois de chorar um pouco consegui um horário pra amanha e naquele horario que eu mais gosto: final da tarde para o Sergio poder ir e me ajudar com as crianças.

Isso é que eu chamo de sorte! Agora poderei viajar mais tranquila.





Você se lebra em que dia você se casou?

Depende!!! Na igreja eu sempre sei: dia 03 de março de 2001.

Entretanto para o setor de vistos e imigração do Canadá não importa se vc tem uma religião e muito menos se a segue ou não. Assim sendo, para o processo de imigração eu me casei no dia 02 de março de 2001 e não no dia 03.

Agora adivinha se euzinha me lembrei deste pequeno detalhe quando preenchi o formulário!!!!???? E o meu conferente oficial de preenchimento de formulário simplificado!!!!???? Ninguem pensou nisto e lá se foi o nosso formulário com a data errada.

Eu só me dei conta do erro no cursinho do batizado da Helena em que tive que apresentar minha certidão de casamento. Depois, distraidamente olhando aquela folha de papel no meu colo eis que vejo nitidamente a data e só então me dei conta do erro.

Só espero que este pequeno equívoco não seja motivo para que o nosso visto seja aceito.






Batizado da Helena

Ontem foi o batizado da Helena. Fazia muito tempo que eu não entrava na igreja onde também fui batizada, crismada e me casei. Frequentei aquela igreja por muito tempo e apesar de andar meio descrente foi emocionante relembrar todas as coisas que vivi naquele lugar.

Pra Helena não foi muito interessante; primeiro porque durante a missa ela foi obrigada a ficar no colo, não pôde correr pelos corredores e teve que ficar quietinha. Depois, ela detestou aquele homem (o padre) que jogou água em sua cabeça e passou óleo em seu peito. Cada vez que o padre se aproximava ela já começava chorar.

Quando acordei de manhã pensei que seria um dia terrível: estava chovendo muito e não estava com cara de que a chuva ia parar. A missa ia começar as 10 e a igreja é perto da casa da minha mãe: ou seja, longe da minha casa. Estavamos com medo de pegar algum alagamento pelo caminho ou mesmo trânsito, mas o percurso foi muito tranquilo apesar da chuva que não parava. Estou até me sentindo culpada porque pass…

Inicio do Processo

Imagino que algumas pessoas que lêm o blog fiquem sem saber o que é este tal processo e porque passaporte, pagamento de taxa e agora entrega do formulário são tão importantes.

Bem, tudo começou quando o Sergio foi convidado a trabalhar nos Estados Unidos por seis meses em 2005. Foi tudo muito corrido e já falei sobre isso aqui; mas o que interessa é que desde a primeira semana eu já falava que não queria vir embora. E minha opinião não mudou até o ultimo dia e voltei chorando pro Brasil.

De volta ao Brasil continuamos sonhando com uma maneira de sair daqui. Apesar de termos gostado muito da cidade de Atlanta, onde ficamos, percebemos que os EUA não tinahm interesse na nossa família e começamos procurar outras alternativas.

Quando a loteria do green card não pôde mais ser concorrida por brasileiros descartamos de vez o pensamento de ir para os EUA e nos concentramos nas outras possibilidades. Descobrimos que tanto o Canadá como a Austrália são países abertos a imigração. Estes dois países…

Pagamento da taxa

Enfim conseguimos fazer o pagamento da taxa para o início do processo de imigração. Foi meio estressante porque o valor é alto e eles somente aceitam depósito em dinheiro. Não aceitam cheque administrativo nem TED. Só dinheiro.

E ficar andando com aquela quantia dá um pouco de medo. Eu coloquei tudo em um envelope e escondi no fundo de uma sacolinha e por cima coloquei mamadeira, fralda, lenço umedecido e uma troca de roupa pra Helena. Não precisa dizer que foi o maior sacrificio tirar o envelope da sacola mas imaginei que se fosse assaltada ninguem iria querer uma sacolinha com fralda e mamadeira. Mas no final foi tudo muito tranquilo.

Aproveitei que o Edu estava na escola e fui com a Helena até uma agência do antigo Bank Boston, atual Itaú Personnalitè e fiz o depósito. Sabe que na hora que entreguei o dinheiro ao caixa meus olhos se encheram de lágrimas e quando estava tudo certo, eu com o comprovante na mão comecei sentir uma falta de ar que tive que me sentar um pouco. O segurança…

Desenhos e Animações

Eu sempre adorei desenhos animados. Na minha infância eu amava o pica-pau e os Flinstones; também gostava da corrida maluca, Lip & Hardy, Mister Magoo e muitos outros.

Mas os tempos mudaram, eu cresci e agora os desenhos são outros. Alguns dos antigos ainda persistem mas muita coisa nova apareceu. Com o Eduardo peguei o costume de assistir desenhos de novo e posso dizer que assisto mais programas infantis do que outros tipos de programas. E o meu gosto e do Edu são bem parecidos; não sei quem influencia quem. É claro que temos as nossas divergências e tem alguns que eu só posso assistir de manhã enquanto ele está na escola, pode?

Um dos meus prediletos são os
Backyardigans: esta animação se passa no quintal de 5 animais em idade pré-escolar e atraves de suas imaginações eles viajam para vários lugares e vivem várias aventuras que terminam quando sentem fome. O Edu não gostava muito porque acho que não entendia, mas ultimamente tem assistido com mais atenção.

Outro que eu adoro é
Jake…

Educação antes dos 3 anos

A Revista Época desta semana saiu com uma reportagem sobre educação antes dos 3 anos de idade. Eu não li a reportagem inteira mas ainda assim vou dar a minha opinião.

Não sou nenhuma especialista em educação infantil e só posso falar do pouquinho que aprendi com a experiência de ser mãe, mas acho que quanto antes melhor. O Eduardo entrou na escolinha com 2 anos e 2 meses. Ele praticamente não falava nada e usava fraldas o dia todo. Mesmo não concordando com o método da escola, o desenvolvimento do Dudu foi inegável: em pouco tempo ele começou a falar várias palavras e frases, se interessou em tirar a fralda e aprendeu muitas coisas como cores, formas e algumas noções de quantidade.

É bem verdade que o método da escola acabou deixando-o inseguro quanto a desenhar, pintar e realizar algumas tarefas e em pouco tempo, também brincar com lapis de cor, massinha de modelar, rabiscar um papel se tornaram atividades que ele nao queria realizar e queria que eu fizesse no lugar dele. Este foi um d…

Taxa para início do processo

Agora, que acreditamos que os nossos passaportes (meu e das crianças) estarão prontos a semana que vem, chegou a hora de nos preocuparmos com a próxima etapa.

O pagamento da taxa para início do processo tem que ser feito através de depósito bancário em dinheiro e nas agências do Banco de Boston. Como este banco foi comprado pelo Itaú, o depósito tem que ser feito em uma agência do Itaú Personnalitè.

Mas é claro que nem todas as agências do Personnalitè servem. O depósito tem que ser feito nas agências que antigamente eram do Banco de Boston. Ou seja, o número do banco não pode ser o 341, que é o do Itaú e sim o 479.

Pra encontrar uma agência onde possa ser feito o deposito é legal entar no site
http://www.itaubank.com.br/ e ver qual a agência mais conveniente para cada um. Infelizmente o pagamento não pode ser feito nem por cheque administrativo nem através de TED, o que torna a tarefa um tanto quanto perigosa, ainda mais em São Paulo. Mas não tem jeito: teremos que correr este "peq…

E por falar em passeio no parque...

Em geral quando vamos a algum parque aqui em São Paulo acabamos nos lembrando do parques que visitávamos em Atlanta (EUA). Em sua maioria estes parques eram super bem organizados, limpos e bem cuidados. Todos os parques em que fomos tinham áreas separadas para crianças menores de 3 ou 4 anos e crianças maiores. Nunca vi crianças grandes n0s brinquedos dos pequenos e nem marmanjões dando uma de criança.

As próprias crianças tomavam cuidado com tudo e chegamos ao cúmulo de visitar um parque onde os brinquedos que ficavam no tanque de areia eram do próprio parque. As crianças pegavam, brincavam o quanto queriam e os deixavam na areia quando iam embora. Uma coisa inacreditável.


Sem contar que o número de parques era imenso: em cada "esquina" tinha uma área verde com um playground - e sempre brinquedos em locais separados para os pequenos e as crianças maiores.

Próximo à cidade tinham muitos parques maiores, em geral pagos. Mas valia a pena: quase todos cobram um valor único por ca…

Passeio de final de semana

Neste último final de semana fomos a um parquinho que tem aqui perto de casa. Eu fiquei muito decepcionada porque em menos de 1 ano ele se degradou bastante. O escorregador termina em um degrau de cimento, o balanço estava quebrado, enfim, estava um lixo. As crianças perderam o interesse rapidinho nos brinquedos.

Depois de andarem um pouco de bicicleta paramos pra descansar e então a brincadeira realmente começou. Peguei um galhinho seco e comecei escrever na terra. O Dudu adorou a ideia e começou tentar desenhar a "letra dele": o E. A Helena rapidinho achou um pauzinho tb e veio rabiscar o chão; e não demorou muito pra que outras duas crianças que estavam tentando se divertir nos brinquedos quebrados, se aproximassem como quem não quer nada e começassem a procurar um pauzinho tb.

Os 4 ficaram nesta brincadeira de desenhar no chão ou afastar folhinhas com o pauzinho por um tempão e só pararam porque chegou a hora de irmos embora ja que o sol estava muito quente.

Agora enquan…

Aniversário

Hoje eu e o Sergio estamos completando 6 anos de casamento. Eu estava tão nervosa no dia que não sei dizer se estava um dia como hj ou não. Me lembro apenas que foi no final de semana após o carnaval, em plena quaresma (como hj) e todas as imagens da igreja estavam cobertas com aqueles panos roxos que eu detesto.

Um dia conto todas as confusões deste dia (e dos dias que o antecederam tb).

Mas hj infelizmente não estamos com muita cabeça pra comemoração. A Helena está com bronquiolite e vamos leva-la novamente ao pediatra pra ver se posso continuar o tratamento em casa ou se precisaremos leva-la ao hospital.

Estou super preocupada apesar dela estar super alegrinha e infernizando a vida do irmão o tempo todo. Quem olha esta carinha de anjo não imagina a peça. Ainda agora ia passando e deu um empurrão no Dudu que está quietinho assistindo desenho.

Apesar de toda essa animação pra travessuras ela está com a respiração ofegante, muita tosse e o nariz escorrendo.

Bem, agora só me resta esperar…