Skip to main content

Cárcere Privado

A gente se acostuma tanto a fazer a mesma coisa todo dia que qualquer mudança na rotina faz a gente perder o fio da meada e tudo dá errado.

Todo dia o Sergio se levanta, prepara o café da manhã e me chama. Tomamos café juntos e enquanto ele termina de se preparar pra sair, eu vou trocando as crianças, dando mamadeira e tb me preparando pra levar o Edu na escola. Quando ele sai eu o acompanho até o portão e vou terminar de arrumar o Edu.

Hj nós mudamos: a Helena acordou e não queria ficar no berço, eu a coloquei na sala e acabei me atrasando um pouco por isso não acompanhei o Sergio até o portão. Bastou isso pra na hora de sair eu perceber que o meu chaveiro tinha desaparecido. Liguei pro Sergio e adivinha: ele estava com os dois e eu sem chave do portão.

Pra ajudar na confusão, ontem o meu chaveiro se soltou do molho de chaves e eu me esqueci de recolocá-lo; pronto, o Sergio não percebeu que era o meu e levou embora.

Chamei o guarda da rua que cerrou o cadeado pra eu poder sair com o carro e um vizinho muito muito prestativo apareceu com um cadeado novinho dizendo que era um presente, dá pra acreditar????

Como a fechadura das portas têm 4 cópias cada uma eu encontrei uma chave pra trancar a porta e pude ir tranquilamente levar o Edu na escola (um pouco atrasado, é verdade).

O meu erro foi não ter ligado pro Sergio avisando que tudo estava resolvido e ele acabou descendo do ônibus fretado que pega de manhã e voltou pra casa. Depois teve que pegar um ônibus de linha que o atrasou ainda mais. Chegou no trabalho quase 9:30 sendo que costuma chegar as 7:30.

Mas não foi a primeira vez. Há alguns anos atrás, antes mesmo do Edu nascer, o Sergio levou os dois chaveiros consigo. O detalhe é que ele viajou e quando eu percebi ele já estava longe. A porta da sala estava destrancada e não tinhamos outras copias da mesma. Eu tinha que sair pra trabalhar e não tinha como trancar a porta. O pior de tudo é que a fechadura estava com problema e não segurava fechada, então eu corria o risco de sair e quando voltar a porta estar escancarada. Sem contar que ia ter que dormir com a porta aberta e sozinha porque ele só voltaria no dia seguinte.

Por sorte o seguro da minha casa cobre serviços de chaveiro e o técnico fez uma cópia nova pra eu poder trancar a porta. Coisas de Sergio, risos.