Skip to main content

Dia de emoções

O dia começou super bem com uma festinha super especial de dia das mães na escola do Edu. Fiquei super feliz, chorei muito com meus três bebês ali pertinho de mim e eu sendo homenageada, mas acho que exagerei na emoção e no esforço.

Pra levar o Edu pra sala de aula tenho que subir do estacionamento até a sala 3 lances de escada com mais ou menos 10 degraus cada um. É tranquilo apesar de ter que levar a Helena no colo, a mala e lancheira do Edu e ainda segurar na mão dele e apoia-lo pra subir porque está sempre com aquela preguicinha da manhã.

Depois de deixar o Edu na sala fui para o pátio com outras mães esperar para a homenagem de dia das mães. Não sei porque a Helena resolveu acordar cedo hj e mais surpreendente ainda é que ela não quis ir para o chão e nem ir no colo de ninguem. Só queria ficar no meu colo e fiquei quase 20 minutos esperando em pé e com a Helena no colo.

Eu sou muito tímida mas depois que faço amizade sou uma tagarela; e ali com um monte de mães corujas como eu, passei estes 20 minutos no maior papo e nem percebi o peso da Helena. Em seguida fomos para o anfiteatro da escola: mais 4 lances de escada com 10 degraus cada e com a Helena no colo.

Várias mães tentaram pegá-la pra me ajudar mas hj não teve jeito: ela não foi com ninguem e não quis descer no chão. Depois foi toda aquela emoção e por fim voltei para a sala do Edu pra deixa-lo porque teve aula normalmente e voltei pra casa.

Até então eu estava bem, só um pouco cansada. As 11:30 voltei pra escola pra buscá-lo e não houve quem fizesse a Helena ficar em casa. Nem bem peguei a chave do carro ela ja grudou na minha calça e começou dar tchau pra Silvana. Acabei levando-a comigo e foram mais 3 lances de escada.

Na volta pra casa o Edu estava manhoso. Ontem foi dormir muito tarde, levantou cedo, fez muitas coisas na escola e estava morrendo de sono. Sem motivo começou chorar e fazer birra e eu fiquei muito brava com ele. Queria colo e não entendia que eu não podia carrega-lo e fez tudo o que mãe adora: se jogou no chão, bateu porta e perdi mesmo a paciência quando ele jogou o meu radio relogio longe.

Foi um estress danado que a Silvana até ficou assustada mas no fim ele acabou vindo com aquela história dele de: "mamãe, eu já estou calminho..."

Eu me derreto toda mas hj dei uma de durona: falei que eu não estava calma e que estava muito chateada com o que ele fez. Perguntei se ele achava que aquilo era certo, se ele não ia mais fazer e fui percebendo que ele viu o papelão que fez e estava meio envergonhado e arrependido. Ficou pedindo desculpas e passando a mão no meu braço, meio que fazendo carinho.

Então fui preparar o almoço, dar almoço pra todo mundo, pega um, acalma outro e apesar de me sentir muito cansada e com a barriga pesando não parei até as 14 horas. De repente minha barriga ficou dura e a Luisa começou chutar com muita força e eu comecei ter um monte de contrações. A Silvana ficou assustadíssima e eu também pra falar a verdade. Tomei um buscopan e fui tentar fazer repouso.

Agora me pergunte se eu consegui: não demorou muito tive que fazer mamadeiras, leva um ao banheiro, procura a chupeta da outra e a Luisa não parava de se mexer... até que vi que ou parava de vez ou teria que ligar pro médico. Fiquei deitada a tarde inteira e até dormi um pouquinho. Graças a deus as crianças dormiram também (tudo bem que não vao dormir a noite, risos) e eu consegui relaxar mas ainda sinto minha barriga meio contraída e a Luisa continua se mexendo.

Agora decidi que vou ficar quietinha (e eu aqui no computador) esperando o Sergio e se as contrações não passarem vou ter que ligar pro médico.

Depois o Sergio me diz que vai me interditar e mandar me internar pra eu fazer repouco e eu fico "brava" com ele.