Skip to main content

Saudades do berço

Uma das etapas na preparação para a chegada da Luisa foi tirar a Helena do berço. Acho importante não deixar o irmão mais velho associar algumas mudanças com a chegada do irmão mais novo. Fiz o mesmo com o Eduardo e deu super certo e agora com a Helena está funcionando bem também porque ela nem se lembra do berço.

Quem está mesmo com saudades dele sou eu. Nesta nova etapa da vida da Helena, ela não demorou a descobrir as vantagens de dormir em uma caminha sem grades e obstáculos. Acorda, espreguiça um pouquinho e já está livre pra ir onde quiser. O problema é que nem sempre os horários são os mais interessantes para os pais.

Nesta semana ela acordou algumas vezes durante a madrugada e foi pra sala ou para o meu quarto chorando. Ela já chega na beirada da minha cama me empurrando e tentando colocar a perninha pra subir. Com a maior paciência do mundo eu me levantei e expliquei que era hora de dormir, mostrei o papai dormindo, o Edu e a coloquei de volta na cama com todos os acessórios pré-sono que ela usa.

Ela se deita sozinha e já puxa o cobertor em cima dela e até me dá tchau, mas quer que eu fique no quarto velando o sono dela. Tentei usar a tática de ficar um pouco e ir me afastando devagar e ela ficou ali deitada super tranquila até eu sair do seu campo de visão e então recomeçou o berreiro e veio correndo pro meu quarto. Depois de mais de duas horas neste vai e volta e dá tchau pro papai e beijo na mamãe e conversa e pega um bichinho de pelúcia diferentes e etc, etc, etc, eu me enchi e minha paciência foi pro espaço: apaguei todas as luzes, me deitei e fingi que estava dormindo.

A Helena foi até a beirada da minha cama, chorou, tentou subir, fez birra e quando viu que eu estava mesmo "dormindo" e que não ia adiantar nada ficar ali, foi até a sala, pegou um travesseiro que estava no sofá, levou pra cama dela e dormiu no quentinho (porque mesmo tendo só 1 ano e 5 meses não é boba de ficar passando frio).

E o silêncio pairou no ar e eu pensei que enfim poderia dormir 3 horas até o relógio despertar. Nem 10 minutos de descanso e ouço um agradavel: " mamãe, vem aqui".

Não acreditei: era o Eduardo querendo uma mamadeira. Já sem paciência nenhuma pedi ao Sergio que resolvesse como ele quisesse aquela nova situação e fui pra cama.

Conclusão: o Sergio, as 3 da manhã, sem ter dormido nada até então, fazendo duas mamadeiras (que nao foram tomadas) e dando um jeito no quarto das crianças insones. Não sei o que ele fez mas todo mundo dormiu rapidinho e pudemos ter merecidas duas horas e meia de sono.

E eu fico me lembrando de quando a Helena dormia no berço e chorava de madrugada. Bastava ir uma vez no quarto e explicar que era hora de dormir. Não que ela não chorasse, mas bastava apagar a luz pra ela se conformar e dormir. Agora, podendo sair da cama quando quiser não tem mais jeito.

Como eu não tenho coragem de fechar a porta do quarto, acabo tendo que levantar varias vezes até convence-la a ficar na sua caminha nova.