Skip to main content

Tomando a decisão difícil

Ao invés de operar o Eduardo, ontem fomos procurar outro médico. Infelizmente a cirurgia é mesmo inevitável mas foi tudo muito diferente. Conseguimos conversar bastante, tirar todas as dúvidas, saber detalhadamente o procedimento e principalmente, ter tempo pra pensar a respeito. Antes que disséssemos alguma coisa, o médico sugeriu que fôssemos pra casa e conversássemos a respeito, para então decidir.

Outra coisa que foi super legal foi a preocupação dele com o emocional do Eduardo. Após examiná-lo mandou que ele fosse para a "recepção"pegar um pirulito com a secretária. Lá ele ficou o tempo todo brincando com a Helena e com os brinquedos do consultório e nós pudemos conversar tranquilamente e claramente a respeito da cirurgia. Qual a necessidade dele ficar ouvindo um monte de coisas relacionadas a ele que ele não entenderia?

O médico ainda nos aconselhou que não agendássemos a cirurgia para uma época de festas, aniversários, eventos na escola para que a cirurgia não fosse associada com uma coisa ruim que vá impedir o Eduardo de fazer coisas legais. Então esta semana e a semana que vem não seriam convenientes por causa da escola e dos eventos de final de semestre.

No fim, ele nos deu total liberdade de escolha do momento que fosse mais conveniente para nós, total liberdade pra pensar a respeito, sugeriu o que era melhor para o Edu mas sem nos pressionar ou alarmar.

Saimos do consultório super leves e tranquilos e com a certeza de que estamos fazendo o que deve ser feito. Não precisamos pensar muito pra concluir que vamos ficar mais seguros se ele fizer a cirurgia e decidos também que o melhor momento é agora no inicio de julho. A semana que vem entraremos em contato para marcar a melhor data para todos e tentar resolver este probleminha o mais rápido possível, mas agora com certezas e não com inseguranças.