Skip to main content

Como lidar com a morte

Eu nunca vi ninguem morrer, nunca presenciei uma situação como esta mas dependendo do caso não sei se ficaria impressionada ou desesperada. Quer dizer, quando é uma coisa inesperada não dá pra saber a reação que teremos e com certeza ninguem fica tranquilo com uma surpresa destas, mas quando é um caso de doença terminal e que vc já esteja esperando que vai acontecer a qualquer momento acho que eu ficaria tranquila.

Pois aconteceu com minha mãe hoje: justamente com ela que é tão impressionada. Um vizinho dela estava com cancer há mais de um ano e o estado dele já era bem grave. Ontem ele passou muito mal e depois de ser socorrido no hospital foi liberado pra morrer em casa, no aconchego do lar, junto com a familia. O problema é que as irmãs estavam muito ocupadas com seus proprios problemas e ele acabou passando a noite sozinho em casa e hj de manhã as irmãs, cunhados, sobrinhos também tiveram seus compromissos importantes e novamente ele passou a manhã sozinho.

Minha mãe e uma vizinha é que foram algumas vezes ve-lo, mudá-lo de posição, conversar com ele... em uma destas visitas as duas o mudaram de posição e minha mãe resolveu ficar mais um tempo com ele enquanto a outra vizinha foi pra casa. Ele estava lúcido, respondendo a perguntas mas muito fraco e com o peito chiando muito. As mãos dele estavam muito frias mas sempre que minha mãe as cobria ele as descobria novamente. Então minha mãe pegou uma das mãos dele e ficou segurando entre as dela e fez uma oração silenciosa pra que o sofrimento dele fosse aliviado.

Enquanto segurava a mão dele, ele também apertava a mão dela e a olhava fixamente. De repente o ronco no peito dele parou e minha mãe percebeu que seus olhos estavam parados e esbranquiçados; e então ele parou de apertar a mão dela. Minha mãe ficou desesperada, o chamou algumas vezes e como não teve resposta chamou a minha irmã e então foram falar com a família, chamar IML, estas coisas.

Eu mesma estou aqui com uma sensação estranha porque conheço minha mãe e sei o quanto estas situações são complicadas pra ela, e imagino o quanto ela deva estar impressionada. Ela disse que não para de pensar nele e que queria só ficar lá com o rapaz e que tem vontade de ficar contando a história varias vezes. Como minhas irmãs vinham aqui em casa hj a tarde ela foi arrastada pra cá também pra sair um pouco daquele clima porque as irmãs preocupadíssimas fizeram a maior tragédia com direito a desmaios e tudo o mais.

Pelo menos por alguns momentos minha mãe se distraiu um pouco, saiu daquele clima pesado e pôde contar algumas vezes a história e também conversar um pouco sobre outras coisas.

Eu acho que sou uma pessoa muito má, porque tenho vontade de dar uma bolacha em cada uma das irmãs sofredoras. Fico indignada como um ser humano consegue largar um irmão extremamente doente sozinho; qual compromisso é mais importante do que os últimos momentos com um irmão ou com um ente querido (que era pra ser querido!!!).

Parece que a insensibilidade está generalizada no coração de todo mundo. O bom é que ele morreu ao lado de alguem que de verdade se preocupava com ele. Meus pais sempre iam visita-lo, conversavam com ele, mandavam coisinhas que ele gostava, minha mãe fazia uma vitamina pra ajudar na alimentação já que ele nao tinha mais vontade de comer... Tenho a impressão de que ele precisava de alguem que transmitisse alguma paz a ele pra poder descansar.

PS: enquanto isso, não muito longe daqui, tem gente comemorando a falha mecânica no avião que caiu. Um horror!!!