Skip to main content

Injustiça de torcedor

O Diego Hipolyto acabou de ganhar medalha de ouro no Pan do Brasil e não tem como não se emocionar com a conquista mas principalmente com a apresentação maravilhosa dele no solo. Foi realmente lindo!!!

Ontem também me emocionei muito com a Jade Barbosa. Adoro ginástica artística feminina e acho esta menina um primor. Foi muito muito triste quando ela caiu das barras assimétricas. De repente eu me vi torcendo para que a americana caísse também para garantir pelo menos o bronze para a Jade mas isso foi apenas aquela pequena injustiça que todo torcedor faz quando o seu "ídolo" está precisando. Já no meio da apresentação não pude mais torcer contra. A americaninha descendente de chineses era uma graça. E tive que me render às outras duas americanas quando vi a re-apresentação das duas na trave. Foi realmente impressionante pra mim que sou apenas uma apreciadora e conheço pouco.

O que mais está me emocionando nestes jogos panamericanos é ver que o artifício de torcer contra os outros não está sendo muito necessário. O Brasil teve uma evolução enorme na ginástica e temos atletas excelentes tanto no feminino como no masculino. A ginástica está provando que um pouco de investimento, organização e vontade fazem toda a diferença porque talentos nós temos com toda certeza em todas as áreas, e não só nos esportes.

E eu fico pensando em como vai ficar o coração dos meus filhos, indo tão pequenos pro Canadá. Se algum dia forem defender um país em algum esporte qual país vão escolher e quando forem torcer em um confroto direto, pra quem vão torcer.

Eu tenho uma amiga brasileira que os filhos são alemães e a menina diz que fica um pouco dividida. Certa vez eu perguntei se ela pudesse escolher onde ela preferia morar e ela com uns 12 anos na época respondeu:

Eu queria morar no meio do caminho dos dois países com tudo de bom que tem aqui e tudo de bom que tem lá. E também com todas as pessoas que eu amo daqui e de lá.

Bobinha!!!! Até eu queria um lugar assim!

Não nego que já torço para o Canadá e fico meio chateada quando o Brasil "bate" muito forte nos canadenses como no handball, mas é muito gratificante ver tanta gente de talento se destacando nos esportes. E já passamos o Canadá no quadro geral de medalhas.


PS: falando em medalhas, não concordo com esta maneira de colocação dos países. Acaba ficando injusto que um país com pouquíssimas medalhas fique na frente de outros com muitas medalhas somente porque teve, as vezes meio por acaso, uma medalha de ouro. Acho que cada medalha deveria ter uma pontuação e a colocação do país fosse através da somatória. Na minha opinião esse sistema diminui a importância das outras medalhas e fica aquela sensação de que só o primeiro é que vale.