Skip to main content

Aniversário do Sergio

Em toda nossa correria dos últimos dias não tive tempo pra sair e comprar algum presente para o meu marido. Em compensação dei a ele uma bonequinha que come, faz cocô e xixi, faz gracinha, dá risadinhas, chora de vez em quando e não tem botão on/off. Um presentão!

Especialmente neste aniversário eu pensei bastante no tempo em que estamos juntos e quantas coisas já planejamos e conquistamos neste período.

Conheci o Sergio quando eu ainda estava na faculdade e fazia estágio no IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas) que fica dentro da Cidade Universitária. Ele fazia doutorado lá, no mesmo departamento mas em laboratório diferente. A primeira vez que o vi foi quando voltei do almoço e ele estava na sala dos estagiários lendo jornal. Entrei, disse boa tarde e ele não moveu um músculo. Achei-o super mal educado e fui embora sem dizer mais nada. Ele se defende dizendo que não ouviu (e pelo jeito nem viu que entrou alguem na sala). Hoje eu acredito na versão dele porque quando está na frente de um jogo de futebol ou de um jornal a casa pode cair que ele nem percebe.

Com o tempo acabamos nos conhecendo porque todos os dias ele ia para aquela sala ler o seu jornalzinho na hora do almoço (costume que tem até hj) e os estagiários e pós graduando sempre se reuniam ali naquele horário.

Nem sei ao certo como me interessei por ele e ele nem olhava pra mim porque achava que eu era nova demais. Ele só se interessou por mim quando descobriu quantos anos eu tinha. E então começou toda aquela cerimônia da paquera, o interesse pelas coisas do outro, as desculpas pra estar no local onde o outro com certeza estaria em determinado momento.

No início de dezembro de 1998 eu percebi que aquela paquerinha poderia se transformar em um namoro, mas na metade do mês entraríamos em férias coletivas e as coisas poderiam esfriar já que não tinhamos como entrar em contato. Eu e uma amiga ficamos pensando em uma maneira de resolver isto e tivemos a ideia de pedir o e-mail dele com pretexto de mandar algo que o interessasse. Ela pediu e mandou uma coisa nada a ver com nada, mas deu super certo porque na resposta ele pediu o meu e-mail e assim começamos a nos corresponder via e-mail. Era até engraçado porque nos encontrávamos pessoalmente e quase não conversávamos, mas trocávamos e-mails constantemente falando sobre varios assuntos diferentes. O mais legal é que todos estes e-mails eu ainda tenho (do primeiro até o que ele acabou de me mandar).

No dia 11 de dezembro ele veio falar comigo pessoalmente e então começamos a namorar. Nunca me esquecerei deste dia; me lembro bem que estava uma chuva torrencial e eu me molhei toda pra acompanha-lo até o ponto do circular da USP. Namoramos por dois anos e no dia 03/03/2001 nos casamos na igrejinha que eu frequentava. Uma cerimônia bem simples, sem festa, mas com a presença de todos os nosso amigos mais queridos (quase todos porque uma tal de Simone se perdeu e não conseguiu chegar).

Desde os primeiros dias do nosso namoro já começamos os planos para a nossa vida futura. Sempre sonhamos em ter 3 filhos e até os nomes já tinham sido escolhidos. É bem verdade que os nomes foram todos trocados mas os três filhos nós acabamos de realizar e mesmo com alguns ajustes, o tempo planejado para a chegada deles foi cumprido.

Tantas coisas aconteceram na nossa vida desde aquele dia 11 de dezembro e a cada dia eu sinto que estamos mais sintonizados, mais próximos, mais amigos.

Eu aprendi muitas coisas com o Sergio e tenho certeza que mudei pra melhor nestes anos de convivência. Me tornei muito mais liberal do que era, mais tolerante com as diferenças, menos exigente comigos mesma e com as pessoas. O Sergio cultivou em mim uma confiança que eu nunca tive e me ensinou a ver com clareza minhas qualidades e defeitos. Eu tenho aprendido a reconhecer as coisas que faço bem e melhorar aquilo em que não sou boa. Ele também me ensinou a não ir deixando as coisas chatas para serem feitas amanhã. "Resolva logo este problemas pra se livrar logo dele" é a teoria que ele usa.

A cada dia eu me surpreendo mais com ele; sempre dedicado à família, sempre tomando conta de todos nós, sempre se desdobrando pra me ajudar no cuidado da casa e das crianças mesmo depois de um dia cheio no trabalho. O Sergio tem uma paciência que até irrita. As vezes eu tenho que dar bronca nele por ser paciente demais com a criançada.

Sempre brincando, fazendo piadinhas, tirando sarro da minha cara... assim ele vai demonstrando o amor que tem por nós. Eu brinco que ele me olha e vê um gigante; faz a maior propaganda a meu respeito por onde passa e ai de quem falar qualquer coisa contra mim. Para os outros eu sempre tenho razão mesmo que depois ele discorde e me diga que eu estava errada.

Aqui em casa tudo é NOSSO, não tem separação de nada. Até os e-mails são "compartilhados" e temos todas as senhas, códigos, informações a respeito de tudo um do outro. Até aqueles e-mails mais pessoais que recebemos as vezes sempre encaminhamos para o outro ler também e dar sua opinião. Todas as decisões são tomadas em conjunto e até a opinião do Eduardo já está sendo ouvida também. Eu nunca pensei que algum dia eu teria minha vida tão compartilhada com alguem, sem segredos, sem mistérios... tudo aberto o tempo todo.

Tenho me sentido super culpada nos últimos meses por não ter conseguido cuidar do Sergio como deveria. Passo o dia envolvida com tantas atividades da casa e das crianças e acabo não cuidando muito das coisas dele, das coisas que gostamos de fazer juntos, dos doces que ele adora e que já faz um bom tempo que não preparo. Nem assistir tv juntos tem dado tempo e quando conseguimos ficar sozinhos estamos esgotados e acabamos dormindo sem ao menos conseguir conversar. Ainda assim, ele continua atencioso, paciente, compreensivo e não me cobra nada.

Não consigo ficar muito a vontade pra fazer declarações de amor em público, mesmo porque se há uma coisa que sempre digo a ele e aos nossos filhos é o quanto eu os amo. O que posso dizer aqui é que sou muito grata a você, Sergio, por todos os momentos maravilhosos que tive em minha vida desde que o conheci e agradecer por toda a felicidade que vc tem me proporcionado nestes quase 9 anos juntos.