Skip to main content

Mamãe Zumbi


Com esta história de acordar de madrugada toda noite pra amamentar a Luísa e depois levantar cedo para mandar o Eduardo pra escola eu ando só o pó. Sinto sono nos horários mais inexperados bagunçando totalmente o meu ciclo de sono-vigília.

Ontem por exemplo, fomos dormir depois da meia noite porque a Helena estava com a corda toda. A Luísa acordou as 3:15 da manhã pra mamar e eu estava um verdadeiro zumbi no sofá. Só que com todo o ritual de amamentação (troca fralda, troca de peito, faz arrotar...) eu acabei despertando e me distrai assistindo o Saia Justa (sim!!!! as 4 horas da manhã). Voltei pra cama quase 5 e as 6:30 tive que levantar de novo pra preparar o Edu pra ir para a escola. Levantei as 6:30 porque o Sergio foi legal comigo, mas o horário ideal pra fazer tudo com calma é as 6:00.

Eu poderia passar esta tarefa matinal para o Sergio mas o Edu já fica chateado que não o tenho levado pra escola, então pra compensar eu sempre preparo e seu lanche, dou mamadeira e o troco.

Quando finalmente o Sergio saiu com o Edu, eu pensei: vou dar mamadeira pra Helena e voltar pra cama. Mas meus planos foram mudados: nem bem a Helena terminou de mamar e a Luísa acordou querendo o dela. Não sei o que acontece mas o tal ritual da amamentação me dá um sono terrivel no início porém em poucos minutos me desperta de uma tal maneira que nao consigo dormir mais. O jeito foi tirar o pijama e começar o dia.

Após o almoço, aquele soninho mal resolvido da manhã voltou com força total e eu fiz um grande esforço para resolvê-lo: abaixei o volume da TV, dei mama pra Luísa, deixei o Edu e a Helena bem confortáveis no sofá e finalmente as 15:30 todo mundo estava dormindo, ou seja, quase três horas após o almoço. Despertei de novo e ainda não foi desta vez que tirei aquele cochilinho atrasado. Estou aqui cheia de olheiras mas sem nenhum sono.

Bons tempos aqueles quando Eduardo e Helena nasceram e na primeira semana já dormiam a noite inteira como gente grande. A única tonta que acordava de madrugada era eu pra ver se eles estavam respirando, risos.