Skip to main content

A manicure


A maioria das brasileiras que moram fora do país reclamam da falta de "criadagem" em casa e do custo dos serviços. No meio destas reclamações sempre fazem menção às manicures: muito caras ou serviço de má qualidade.

Eu pra ser sincera não tenho nenhuma experiência com estas profissionais porque nunca fui a uma. Sempre fiz minhas unhas sozinha. É bem verdade que minhas unhas não são modelo pra propaganda de creme para mãos, mas dá pro gasto. Até me divirto com o alicatinho e a lixa e se resolvo que quero passar um esmalte mais escuro peço pra alguem me ajudar. O lado bom dessa história é que nunca passei pela experiência de perder "bifes" nas mãos de uma manicure sádica.

Alem das minhas próprias unhas (pés e mãos), eu ainda tenho um cliente exclusivo que sempre frequenta o meu salão pra cortar as unhas: meu maridinho. Quando era solteiro sempre cortou as unhas com uma tesourinha mas depois do casamento, a tesoutinha ficou na casa dos pais dele e com esta desculpa ele acabou passando esta incumbência pra minha pessoa. Hoje em dia ele nem se constrange mais em pedir que eu corte as suas unhas dos pés e das mãos.

Agora, adivinhem quem corta as unhas das crianças??? É claro que sou eu porque ele tem medo de machucar, não sabe usar o cortador, os dedinhos são muito pequenos e com um monte de desculpas acaba sempre sobrando pra mim. O fato é que hj em dia eu tenho nada menos que 100 unhas sob meus cuidados.

Apareceu uma pelinha no dedo de alguem??? Eu corto.
A unha lascou e está enroscando em tudo??? Eu dou um jeito.
A unha está toda suja de terra ou massinha de modelar??? Eu limpo.
A unha está encravada??? Eu resolvo.

Sem contar que as unhas das crianças crescem super rápido e toda semana têm que ser cortadas. São 60 unhas semanais e mais 40 a cada mais ou menos 15 dias.

O bom é que se no Canadá eu não conseguir trabalhar como farmacêutica posso tentar fazer uns trabalhinhos como manicure.