Skip to main content

Coisas de irmãos

Eu sou a caçula de 4 filhas e apesar de ter 3 irmãs sempre me senti muito sozinha porque elas eram mais velhas. Quando eu já tinha idade pra entender alguma coisa e poder brincar com elas os seus interesses já tinham mudado; estavam na adolescência. Quando saíam juntas para algum lugar em geral eu não podia ir e minha participação se reduzia a vê-las se arrumando ou ouvir os comentários quando retornavam.

As coisas ficaram um pouco melhores quando a minha irmã mais velha começou a namorar e só podia sair com o namorado se eu fosse junto, como vela. Eu até tinha uma participação maior porque ia junto, mas não tinha a menor graça.

Não é um lamento ou reclamação; apenas um fato. Tive uma infância super feliz e cheia de travessuras e amiguinhos, mas sentia falta de ter uma irmã da minha idade na hora que as amigas tinham que ir embora. Na adolescência eu ficava imaginando como seria ter um irmão; de qualquer idade desde que mais velho que eu (sempre gostei de ser a caçula, risos).

No final, o fato de ter apenas irmãs mais velhas influenciou muito a decisão de ter filhos com pouca diferença entre si. Pode ser que eu tenha muito mais trabalho neste momento em que os três são pequenos mas acho que está sendo bom. Eles brigam, choram, reclamam um do outro, morrem de ciúmes de tudo mas não se desgrudam; passam o dia procurando um pelo outro.

Alem da companhia que um faz para o outro, ambos estão aprendendo a dividir, compartilhar, brincar junto. Os dois brincam de super heróis e fazem comidinha sem a preocupação se a brincadeira é de menino ou menina; brincam de tudo um pouco. Apesar da liberdade a Helena gosta mais de brincar com o nenê, colocar roupinhas nele, dar comidinha e o Eduardo prefere as brincadeiras mais ativas como pular no sofá, virar cambalhota, andar de bicicleta. Mas os dois adoram jogos. quebra-cabeças, carimbos, escrever e desenhar e passam horas juntos brigando e dividindo os materiais.

Quando tiverem mais noção das coisas tenho certeza que ambos vão dizer em alguns momentos que preferiam não ter irmãos. Não tem jeito, as experiências que nunca tivemos sempre nos parecem ótimas em algumas situações.

Tendo um irmão sempre é possivel encontrar algum momento pra ficar sozinho como se fosse filho único; não tendo nenhum; não tem nem como sonhar como seria se tivesse.