Skip to main content

Entrando nos eixos

Depois de 2 meses e 11 dias do nascimento da Luísa acho que agora as coisas estão realmente entrando nos eixos e estamos conseguindo ter uma rotina aqui em casa. Não que a Luisa tenha me dado muito trabalho, ao contrário...

Mas tive alguns problemas:

- Luísa queria ficar no colo o dia todo e queria dormir no colo a noite tb.
- Helena queria dormir na minha cama e bastou que eu deixasse uma vez pra ela começar acordar de madrugada e vir na calada da noite se aconchegar entre eu e o Sergio.
- O Edu ficou enciumado e começou bater na Helena o dia todo.
- A Luísa acordava varias vezes de madrugada querendo mamar.

E com essas e outras intercorrências esperadas e inesperadas, passamos 2 meses dormindo mal, acordando cansados, passando o dia sonolentos e indo dormir pensando nas mil coisas que tinhamos que fazer no dia seguinte.

Quando as olheiras ficaram parecendo marcas de soco e a paciência estava sempre pro um fio eu resolvi parar e pensar no que estava acontecendo e tentar encontrar uma solução para o caos em que as nossas noites estavam se tornando.

A primeira coisa que fiz foi um tratamento de choque na Luísa. Calma, calma, eu não coloquei nenhum fio ligado nela. Eu somente apliquei a técnica controversa do livro Nana Nene. Muita gente critica e acha um absurdo mas com um pouquinho de choro a Luísa entendeu rapidinho que não dá pra ficar no colo o tempo todo e que dormir no berço é bem mais confortável. É bem verdade que não tenho coragem de usar a técnica como é sugerida com um bebê tão pequeno, mas fiz uma adaptação que funcionou bem com ela.

Ao mesmo tempo dei um jeito nas escapadelas noturnas da Helena. Quando ela chegava pé ante pé na minha cama já encontrava minha mão estendida para levá-la direto para sua cama. A primeira noite foi um chororo naquele quarto que até o vizinho comentou como quem não quer nada, mas já na segunda noite a choradeira foi bem menor e não teve choro na terceira.

Pra coisa ficar como eu queria tive que começar tirar a Helena cedo da cama. 8 horas passou a ser o limite, a menos que algo extraordinário aconteça. Com isso, ela dorme um pouquinho antes do almoço e quando chega o início da noite já está com sono. Ainda assim só dorme mesmo lá pelas 21 horas mas já fica sozinha na cama desde as 20:30; cantando, falando, resmungando...

Ainda tive a feliz idéia de tira-la da bi-cama e passá-la pra mini-cama que era do Edu. Agora ela dorme em uma caminha só dela e não mais "no chão". Não preciso dizer que ela está adorando e ficar na cama virou uma coisa legal pra ela.

É bem verdade que o cansaço ainda não foi resolvido porque pra colocar 3 camas em um mesmo quarto tivemos que trocar de quarto, já que trocar de casa no meio do processo de imigração não valeria a pena. Ainda estou arrumando as coisas e tentando me acostumar com o novo quarto.

A maior dificuldade está sendo porque troquei um lado de cada guarda-roupa mas o outro ainda não. Assim, metade das minhas coisas ainda estão no quarto das crianças e metade das coisas deles estão no meu quarto. O Sergio nem perde o tempo dele procurando; ele só diz:

- Lena, onde ficam as meias?

As vezes nem eu mesma sei e pego o que ele precisa no cesto de roupa pra passar.

Já deu pra perceber que nestas bagunças todas o Eduardo é o anjinho da história. Usei o Nana Nenê com ele quando tinha uns 6 meses. Mas nem teve muito estress porque já na primeira noite ele parou de chorar quando saí do quarto na segunda vez e até hj dorme tranquilamente.

É claro que ele sempre tenta prolongar o tempo em que eu fico no quarto; pede que eu conte mais uma história ou repita aquela história que ele adora ou cante aquela música que ele está tentando decorar ou sente sede;coisas de criança. Mas dorme com a maior facilidade.

Agora é só colocar a casa em ordem e aproveitar a tranquilidade da noite.