Skip to main content

Que medo!!!!

Eu sou uma medrosa convicta!!! Ou melhor: consciente. Sempre fui assim medrosona. Quando vou dormir sozinha em casa tenho que olhar atras das portas, embaixo das camas e revistar a casa inteira pra ter certeza que ninguem entrou e está escondido esperando eu pegar no sono. Coisa de doido né?


O coitado do cachorro fica de saco cheio porque qualquer barulho que ouço ou penso ter ouvido, chamo pelo nome dele. É pra garantir que o suposto meliante não fez alguma coisa com o coitado do cachorro pra poder invadir o quintal. Tenho certeza que ele se enche pois depois de um tempo eu tenho que chamá-lo várias vezes pra ele dar sinal de vida.

Hoje o Sergio foi com o Edu e a Helena para a farra. E o pior: eu fui levá-los e voltei pra casa com a Luísa. A festa começou as 19 hora e eles me ligaram pra ir buscá-los só as 22: 31 exatamente. Pela animação parece que os três se esbaldaram.

Enquanto isso, eu fiquei aqui em casa morrendo de medo. Medo de que??? A princípio de nada; até que zapeando a TV vi uma cena com o Denzel Washington (que eu adoro!!!) e comecei assistir o filme. E o filme era de suspense!!!

Agora imagine a cena: eu morrendo de medo do nada começo assistir um filme de suspense e apesar de estar morrendo de medo não consigo mudar o canal porque o filme foi ficando super interessante. Quando vinha o intervalo eu mudava de canal na tentativa de me interessar por um programa mais ameno mas não conseguia parar de pensar no que estaria acontecendo no filme; acabava voltando pra warner pra matar a curiosidade! Então mesmo morrendo de medo acabei assistindo o filme inteiro e gostei muito. O final foi até engraçado!

Eu adoro filmes de suspense e mesmo que esteja morrendo de medo, minha curiosidade é mais forte e eu acabo sempre assistindo o filme até o fim. Com certeza o filme que mais me causou medo foi o "Os Outros". Fui assistir no cinema junto com o Sergio e em determinado momento eu fiquei tão aterrorizada que mordi o braço dele. Até hj ele fala disso.

Se por um lado eu até me divirto com meus medos, muitas vezes absurdos; por outro eles me dão muito trabalho. Eu tento controlá-los mas de vez em quando eles são mais fortes que eu. Vira e mexe eu me vejo à noite no fundo do quintal criando coragem pra apagar a luz da lavanderia e ir no escuro até a cozinha. Muitas vezes o medo é tanto que eu tenho que chamar o Sergio pra me acompanhar.

Feliz é a Luísa: ficou na maior tranquilidade dormindo no sofá.