Skip to main content

Foi só um grande susto

O final da tarde e começo da noite aqui em casa sempre é meio corrido. É o momento em que eu preparo o jantar, dou banho nas crianças e tento entreter a Luísa que nesta hora sempre quer colo e atenção. Ontem, enquanto preparava o jantar, coloquei a Luísa no carrinho e deixei o Edu e a Helena na porta da cozinha brincando com o Leo (meu cachorro, pra quem não conhece).

A Luísa estava especialmente tranquila olhando as brincadeiras dos dois com o cachorro até que de repente, não sei bem como eles subiram no carrinho pra brincar com a Luísa e quando eu olho vejo o Eduardo no chão gritando, a Helena também caída ao lado dele e o carrinho em cima dos dois.

Eu fiquei desesperada porque a Luísa não estava emitindo nenhum som e eu não conseguia vê-la. Larguei o pote que estava na minha mão e com um certo cuidado mas rapidamente fui levantando o carrinho. Naqueles poucos segundos entre eu ver o carrinho caído e correr pra levantá-lo milhões de coisas passaram pela minha cabeça e o silêncio da Luísa me deixou apavorada. É muito difícil eu perder o controle em uma situação de emergência mas naquele momento eu soltei um grito e já comecei chorar pensando que meu bebê tinha se machucado muito.

Conforme fui virando o carrinho comecei perceber que nada de grave tinha acontecido e que a Luísa não estava chorando simplesmente porque estava presa no cinto de segurança do carrinho e o Edu estava segurando o carrinho pra ela não cair no chão. Nem bem soltei-a do cinto e ela já começou sorrir enquanto a Helena chorava pelo grito que eu dei e o Edu porque o carrinho ficou em cima da perna dele.

Pra meu grande alívio nenhum dos três se machucou e o Edu ainda protegeu a irmazinha. No final acho que a única que se deu mal fui eu que não sei porque fiquei morrendo de dor na coluna e no braço e perna direitos.

E com tudo isso consegui tirar uma importante lição: nunca deixe seu bebê sem cinto no carrinho; não importa a posição, não importa onde vc esteja, com criança todo cuidado é pouco e se a Luísa não estivesse presa nem sei o que poderia ter acontecido. Infelizmente a gente nunca pode prever o que vai se passar na cabeça de uma criança e até aquele bebezinho mais quietinho e comportado pode de repente resolver se virar.

Quando o Edu tinha menos de 3 meses eu o coloquei na minha cama só pra abrir a janela. Pois o danado se virou e caiu no chão, ao meu lado, eu tirei a mão dele apenas um segundo e ele caiu. Depois disso nunca mais usei trocador e tomo o maior cuidado, mas nunca imaginei que quando duas crianças sobem na parte da frente do carrinho este cai pra frente. Mas deveria ter imaginado!!!

Engraçado foi quando o Sergio chegou: todo mundo foi correndo contar o que tinha acontecido. Foram 3 versões diferentes com direito a vários detalhes observados pelo Eduardo e até interpretação da queda feita pela Helena. Só a Luísa e o Leo não falaram nada. Vai ver ainda não tinham se recuperado do susto.