Skip to main content

Posts

Showing posts from December, 2007

Passaporte da Luísa

Quando as coisas não funcionam, não dão certo, quando sou mal atendida ou desrespeitada eu boto a boca no trombone!!!! Mas meu trombone também fala de coisas boas e elogia quem merece.

Hoje fomos até a Polícia Federal na Lapa para solicitar o passaporte da Luísa. Tudo bem que tivemos que esperar mais de um mês pra poder solicitar mas o atendimento foi exemplar. A moça que nos atendeu foi muito muito educada e simpática. Foi tudo ágil, organizado, coisa de "Primeiro Mundo".

Não sei como estão funcionando as coisas em outros horários mas no final da tarde estava muito tranquilo e conseguimos resolver tudo em menos de 30 minutos. A foto da Luísa ficou linda e a moça que nos atendeu foi super paciente pra encontrar um jeito de segurar a Luísa sem que eu aparecesse. A Luísa fez o papel dela e estava super bem humorada.

Pra completar a entrega do passaporte será no dia que os nossos antecedentes criminais ficarão prontos e o melhor: a Luísa não precisa ir, basta um dos genitores co…

Natal com Bodas de Ouro

É, aqui em casa não é chave de ouro; são Bodas de Ouro. Foi muito legal a comemoração dos 50 ans de matrimônio dos meus pais; muito emocionante todas as filhas e netos participando da renovação dos votos do casal. O Edu entrou com as alianças junto com a minha sobrinha Angela e a Helena. A Luísa desandou a gritar e eu imitei um gesto muito famoso da Princesa Diana: coloquei meu dedo na boquinha dela e ela se aquietou mordendo.

Todos os sobrinhos dos meus pais compareceram (os que moram perto, é claro) e muitos vizinhos e amigos; depois fomos a uma pizzaria perto da casa deles (foi o único lugar que conseguimos fazer funcionar no dia de Natal naquela região). Foi muito emocionante e espero que eles tenham gostado.

No nosso almoço de natal eu realizei um grande sonho: dizer a eles o quanto eu os amo e o quanto sou grata por tudo o que fizeram por nós. Fiquei feliz de não ter perdido a oportunidade de ter dito algo que tenho certeza que eles sabem mas nunca me ouviram dizer.

Enfim, tivemos …

FELIZ NATAL

Este Natal vai ser especial porque além da familia estar toda reunida ainda estaremos comemorando os 50 anos de casamento dos meus pais.

É isso mesmo: eles se casaram no dia 25/12/1957 e estão comemorando 50 anos de uma vida em comum. Tudo bem que dia 25/12 não é dia pra casamento e hoje em dia acho dificil que alguem se aventure a unir a festa do nascimento de Jesus com seu próprio casamento. Mas há 50 anos atrás parece que isso não era nenhum absurdo.

Pra completar, possivelmente este seja o nosso último Natal no Brasil; quer dizer, claro que passaremos outros por aqui mas talvez só como visitantes e não mais como habitantes.

O Natal normalmente é uma época em que se fica muito sensivel, mais carente, em que se quer estar mais perto das pessoas que amamos; imaginem então como estou neste Natal. Milhões de sentimentos confusos se revezando dentro de mim e uma alegria muito intensa por todas as coisas boas que estão acontecendo e que certamente irão acontecer nos próximos meses ao mes…

Mais uma porta que se fecha

Hoje fui até a faculdade de medicina buscar o meu diploma do mestrado. A última vez que estive lá foi no dia da minha defesa;imaginem que eu ainda estava grávida do Edu. Pois voltei lá 4 anos depois e com três crianças a tira colo.

Estou com uma sensação boa de dever cumprido. É uma etapa que se finaliza; era uma porta entreaberta que ficava batendo no batente o tempo todo e agora eu finalmente a fechei. Senti uma ponta de saudade dos predios, do laboratorio, das coisas que eu vivi. Foi um sonho que realizei e que um dia quero dar continuidade.

Fechei a porta e sai feliz da vida com mais um passo dado em direção ao Canada. Todo o sacrificio que eu fiz esta me servindo muito agora em forma de pontinhos para o nosso processo de imigração.

Tempo de incertezas

As vezes eu tenho a impressão de que me tornei uma grande pessimista e de que não estou procurando as informações nos lugares corretos. Vejo um monte de gente super animada com o Brasil, com os resultados da economia, com o grande governo que o Lula está fazendo e fico me perguntando se só eu não estou enxergando as coisas.

Na verdade me assusto um pouco com este nacionalismo cego e este ufanismo que me lembra a época da ditadura militar. E criticar virou um pecado mortal: quem critica, quem discorda, quem tem outra opinião é logo chamado de ignorante, elitizinha, burguês.

Será que eu mudei minhas convicções??? Ou será que o discurso do Lula e seus "comparsas" foi que mudou??? De repente eu vejo o governo repetindo aqueles mesmos discursos que os governos anteriores falavam à exaustão e o PT tanto criticava. É impressão minha ou o Lula era contra a criação da CPMF???

E o bolsa familia está mesmo dando certo? Eu tenho as minhas dúvidas. A empregada de uma amiga não quer ser regi…

Colocando as asinhas de fora

Até agora a Helena sempre foi uma doçura quando saímos de casa. Na escola do Edu ela faz o maior sucesso porque está sempre comportada, vai no colo de todo mundo e me obedece tranquilamente.

Neste final de semana, entretanto, fomos ao shopping e após o almoço (em que se comportou como uma mocinha), ela resolveu que não queria dar a mão e queria escolher o próprio caminho. Eu tentava pegar na mão dela e ela tirava, ameaçava chorar, até que resolveu se jogar no chão. Não tive dúvidas: larguei-a no chão jogada e fui andando sem olhar para trás.

É bem verdade que fiquei preocupada porque o shopping estava cheio mas ainda assim fui andando. Na hora já apareceram aquelas pessoas que se sensibilizam com criança mal educada e como ela é muito pequena já foram ajuda-la a se levantar e me olhando com cara de reprovação. Eu parei, virei pra Helena e disse: vai me dar a mão?

Ela mais que depressa veio correndo, me deu a mão e voltou a ser aquela menininha educadinha e simpática de sempre. Infelizme…

História de hospital

Eu sempre tento não traumatizar as crianças com chantagens do tipo: vai tomar injeção ou tem que ir pro hospital. Acho que a criança tem que ver de forma o mais natural possivel esta possibilidade de algumas vezes ter que tomar uma injeção ou no caso do Edu ter tido que tomar soro no hospital.

Mas desta vez tive que apelar para a "ignorância" e quando o Edu não queria comer ou se recusava a se hidratar eu dizia:

- tudo bem, então não precisa comer; nós vamos para o hospital tomar soro.

Era o bastante para ele aceitar um copo de suco ou um pouquinho de sopa.

______ X ______
Mas, quando não teve jeito fomos mesmo ao hospital e acabamos até nos divertindo por lá.

Enquanto eu tomava soro o Sergio ficou na sala de espera assistindo O Domingão do Faustão e eis que entra uma mãe desesperada com uma menina de uns 7 anos também desesperada. A menina tinha engolido uma pedra. Depois dos primeiros socorros, a familia ficou ali perto do Sergio aguardando o resultado dos exames que a menina fe…

Feliz Aniversário Dudu

Não poderia deixar passar em branco o aniversário do Eduardo (14/12). Acabei perdendo a hora mas foi porque a comemoração foi boa apesar de tudo. Infelizmente não pudemos fazer tudo o que planejamos para este aniversário porque de verdade o Edu só se recuperou na manhã do seu aniversário e como já disse anteriormente, a gente sempre fica na expectativa de uma nova recaída.

De qualquer forma foi bem legal: preparei um jantarzinho bem gostoso pra ele e ao invés de bolo teve sorvete pra cantar os parabéns. Ele teve a chance de escolher o presente pessoalmente na loja porque não tive a mínima condição de sair antes pra comprar e ele está todo animado com o brinquedo novo: tive que deixar em cima da mesa da sala pra continuarmos brincando amanhã.

Até a Luísa fez questão de participar e bastou eu servir o jantar, pra ela acordar e querer ficar com a gente; participou de tudo!!!

A semana que vem, quando estivermos bem recuperados vamos fazer uma festinha pra familia; talvez a gente acabe convi…

Um virus que passou em nossa vida

Eu tinha escrito um post enorme e baixo astral sobre a pior infecção que já tive na vida e que deixou de cama toda a família. Passamos uma semana terrível e em alguns momentos eu cheguei a perder a esperança de que fôssemos nos livrar desta criatura insignificante, quase invisível, com um RNA de dupla hélice e que nos permitia levantar pra ter o prazer de derrubar novamente: um rotavírus.

Descrevi todas as recuperações e recaídas da família, as minhas aflições nesta semana tão difícil e complicada pela qual eu passei junto com meu marido e meus filhos.

Mas hoje, quando vim terminar de escrever o post e vi este blog todo cor de rosa percebi que quem passa por aqui não merece tanto baixo astral, então mudei o tom:

Passamos a semana com uma infecção terrível por rotavirus. Quando um levantava o outro caia, alguns foram parar no hospital por algumas horas pra tomar soro, foi uma semana realmente difícil mas parece que está passando.


A Helena está com alguns sintomas mas parece que vai ficar b…

Semana cheia de imprevistos

Esta semana prometia ser bem cheia: tinha consulta da Luísa no pediatra, vacinas, supermercado, festa de aniversário do Edu na escola e um casamento. Eu tinha que comprar alguns presentes para o pessoal da escola do Edu, queria cortar o cabelo, fazer as unhas e tinha que comprar um monte de coisas para o casório. Estávamos super animados em fazer alguma coisa diferente porque já faz 4 meses que não saimos a familia inteira para lugares fechados por causa da Luísa. Esta semana ela completou 4 meses e está liberada pra ir em qualquer lugar e íamos fazer a grande estreia na igreja hahaha.

Sábado passado eu sai pra comprar um vestido pra mim; passei o dia inteiro batendo perna com a minha mãe e não consegui encontrar nada. Quando cheguei em casa a Helena estava com febre e eu desisti de sair no domingo.

Na segunda feira levei a Luisa na consulta de rotina e aproveitei e passei a Helena no médico (a febre não tinha cedido até então). Ela não tinha simplesmente nada aparente. O médico descon…

Amor, meu grande Amor

Quando a gente se apaixona tudo fica mais colorido e aquele objeto da nossa paixão é sempre maravilhoso e perfeito. Com o tempo, a paixão se transforma : ou vc começa enxergar tudo o que não via e fica com aquela sensação de "onde eu estava com a cabeça" ou começa enxergar o que nunca viu e como as coisas podem ser boas mesmo sendo diferente daquilo que vc sempre acreditou.

Depois de quase 7 anos de casada eu tenho me dado conta do quanto mudei nesta minha convivência com o Sergio; muitas coisas mudaram por mim mesma mas consigo perceber grandes influências que ele teve sobre mim.

Ontem o Corinthians caiu pra segunda divisão e devo confessar que torci fervorosamente até o finalzinho pra que eles conseguissem um golzinho de misericórdia. Quem me conhece sabe que eu sempre fui mais anti-conrinthiana do que palmeirense mesmo. E ontem, me vi participando da dor do Sergio e atraves de todos os disfarses dele, conversando como se nada estivesse acontecendo, eu percebi o quanto ele e…