Skip to main content

Pais seguros, filhos tranquilos

Ontem a Luísa foi ao pediatra e estou super contente com o desenvolvimento dela. Confesso que fiquei um pouco frustrada quando meu leite começou secar mas fico super tranquila em relação a isso quando vejo o quanto ela está se desenvolvendo bem.


Eu simplesmente adoro o nosso pediatra; digo nosso porque além de cuidar das crianças ele cuida também dos pais da criança. Ele acredita que quando os pais estão tranquilos e seguros as crianças ficarão tranquilas e se sentirão seguras. Em cada consulta, alem de se preocupar com a saúde física da criança ele dá muita atenção á rotina da casa; como a criança está se alimentando, dormindo e interagindo com a família e o ambiente. Ela dá várias dicas legais pra ajudar os pais com suas dúvidas e sempre me ajuda na educação dos anjinhos.


Eu sempre li muita coisa sobre educação, comportamento e desenvolvimento das crianças, tenho uma irmã psicóloga que trabalhou muito tempo com educação também e que me ajuda muito; eu e o Sergio procuramos sempre conhecer um pouco de tudo e sempre que eu ouço falar de um novo livro sobre educação, um novo autor, um médico, um site, eu vou atrás, leio a respeito, procuro comunidades no orkut (tem de tudo um pouco e teorias que vão da comprovação científica até o absurdo extremo). E a cada dia, cada vez mais eu me sinto segura em relação aos conselhos do meu pediatra. Já o aconselhei varias vezes a escrever um livro antes que eu o faça e ganhe muito dinheiro às custas dele.


Em todos os foruns de discussão ou comunidades do orkut que abordem o tema educação as perguntas campeãs de audiência são como fazer a criança dormir e como fazer a criança comer. É impressionante como os pais têm problemas com duas coisas tão básicas e importantes na vida de qualquer ser humano e duas coisas que deveriam acontecer naturalmente na vida de uma criança.

Até agora os resultados estão sendo muito positivos aqui em casa. Todos comem e dormem super bem. É claro que temos algumas dificuldades e que de vez em quando as coisas não saem exatamente como a gente esperava mas até o que parece dar errado acaba sendo um bom aprendizado. Com três crianças em casa a gente acaba tentando seguir sempre a mesma receita. O resultado é que eles nos mostram que são indivíduos e que o que funciona pra um não necessariamente funciona para o outro.

Por outro lado, está sendo possivel avaliar se estamos acertando ou se apenas temos sorte. Todo mundo sempre disse que eu tive sorte com o Eduardo: ele sempre dormiu super bem, comeu super bem, se desenvolveu super bem e nunca me deu trabalho em nada. Quando a Helena nasceu todo mundo esperava que enfim eu fosse ver o que é ter uma criança agitada, chorona e que dá muito trabalho.

É bem verdade que nem tudo o que valia para o Edu eu pude adotar com ela; ela deu mais trabalho pra dormir (passou a dormir a noite inteira com 1 mês), era mais agitada mesmo e com um professor full time em casa ela sempre foi mais arteira. Mas ao contrário de todas as expectativas nós conseguimos ensiná-la a dormir sozinha, comer nas horas certas e entender que existem coisas que ela nunca pode fazer, que algumas coisas ela pode fazer de vez em quando e que muitas coisas ela pode fazer sempre.

É muito legal ver que ela nunca discute quando vou colocá-la no cadeirão do carro ou quando pego em sua mãe pra sair na rua mas quando a gente chega em um parque por exemplo, ela não quer que pegue a sua mão de jeito nenhum, a menos que eu explique porque tem que dar a mão.

Com a Luísa estou aprendendo tudo novamente. O resultado final está sendo o mesmo mas os métodos: quanta diferença!!! Ela já dorme a noite toda e só acorda no horário em que as crianças vão pra escola. Ao contrário dos outros não queria deixar o peito por nada e só tomava a mamadeira quando a fome apertava. Agora não está muito a fim de encarar as frutas e a sopinha e está me dando o maior baile, mas eu me sinto tão tranquila em relação a tudo o que acontece que me divirto muito com as "refeições" dela.

E assim, sem teorias complicadas, sem explicações mirabolantes do desenvolvimento infantil, sem passar horas balançando as crianças ou dando voltas de carro pelo bairro, sem gritaria e sem choradeira, as 20:30 está todo mundo bem alimentado dormindo tranquilamente.

PS: Não gosto muito de indicar pediatra e nem de ficar dando conselhos porque cada um sabe o que quer e não adianta eu falar o que penso: cada um vai fazer o que acredita e ponto. Acho que devemos seguir nosso próprio instinto ou os ensinamentos que nos dêm mais segurança. Não concordo com muita coisa que leio e até me divirto com certas teorias maravilhosas para quem tem filho único mas impossiveis de serem aplicadas em uma casa com duas ou mais crianças. A única coisa que sou SEMPRE CONTRA é "dar voltas de carro para fazer a criança dormir". Explico: uma amiga fazia isso regularmente com seu filho pequeno e certa vez acabou dormindo no volante e batendo em uma árvore. Seu filho morreu na hora.