Skip to main content

Histórias de caras de pau

Aproveitando as estórias de telemarketing da Marilena, vou contar estórias a respeito de picaretas que eu cruzei na vida.

Uma senhora de uns 60 anos bateu na minha casa recentemente. Ela queria dinheiro para comprar gás, e começou a contar uma enormidade de estórias tristes. Foi tanta desgraça que lá pelas tantas ela começou a rir!!! Bom, nós dois caímos na gargalhada, ela me falou tchau e foi embora! Rindo. Acho que ela exagerou tanto na mentira que não aguentou!!!
Outra de pedinte, um homem forte, talvez mais novo do que eu me pede dinheiro na Avenida Paulista. Ele não podia trabalhar porque tinha uma doença muito grave. Eu perguntei qual a doença e ele me fala psoríase e me mostrou uma manchinha branca no braço com menos de 1 cm de diâmetro. Bom, essa eu ri sozinho. O cara ficou meio bravo mas foi embora.
Mas a picaretagem mor é essa que eu vou contar. Vou ter que usar pseudônimos porque todos os envolvidos ainda estão vivos, rs e podem me processar. Joana estava com um problema de difícil solução e resolveu fazer uma promessa. Prometeu que se a graça fosse alcançada doaria uma quantia apreciável de dinheiro para os pobres (hoje deveria ser algo entre 3000 ou 4000 reais, muito dinheiro mesmo). Joana acabou contando para todos seus amigos inclusive Joaquina. Só que a empregada de Joaquina tinha perdido o barraco numa enchente, se não me engano, e como não tinha para onde ir se mudou de mala e cuia para a casa da patroa Joaquina. Só que aí, vem a acomodação e a empregada nunca mais falou em sair e Joaquina ficou desesperada com a situação. Teve então uma idéia brilhante, comprar um barraco na favela e presentear a empregada!!! Mais brilhante foi a idéia de como pagar o barraco, quando finalmente Joana teve a sua graça alcançada, Joaquina foi a casa dela para pegar os 3 ou 4000 reais que seria doado aos pobres!!! Afinal Deus não faria conta se o dinheiro fosse utilizado com uma finalidade um pouco diferente. Que saia justa!!! Na época não cheguei a conhecer a Joaquina pessoalmente mas como a nossa vida é cheia de coincidências (falando nisso, uma sugestão para um novo post Lena) acabei tendo que ter contatos profissionais com a Joaquina. Mas fui super profissional, e é lógico que nem citei que conhecia a Joana. Só mais um detalhe, a Joaquina era muito mais rica do que a Joana.