Skip to main content

Instinto materno

Acho que esta história de instinto materno deve existir mesmo e já nasce com a menininha.

Estava eu aqui na minha bagunça com os três e o Edu teve um daqueles arroubos de ciumes. Queria colinho, atenção, chupeta e não me deixava fazer nada. Então a Luísa começou choramingar porque estava com sono e não conseguia dormir e eu fiquei meio dividida porque apesar da Luísa ser pequena e precisar de mais cuidados eu não poderia simplesmente largar o Edu. Fiquei ali driblando a falta de braços e tentando aconchegar os dois no colo e procurando a chupeta da Luísa que pra variar estava perdida. Quando vi a chupeta jogada do outro lado da sala me levantei e fui buscá-la com o Edu grudado em mim e a Luísa ficou no sofá reclamando.

Quando voltei me deparei com uma cena emocionante para qualquer mãe coruja. A Helena pegou sua própria chupeta e colocou na boca da Luísa e ficou fazendo carinho na cabecinha dela até que ela adormecesse. Eu fiquei parada olhando e quase chorando. Ao perceber que a Luísa tinha dormido, a Helena deu-lhe um beijo (como eu faço sempre) e voltou a brincar.

PS: tudo bem que ela deu UMA DAS CHUPETAS DELA e ficou com a outra na boca, mas de qualquer forma foi muito gentil e carinhoso.