Skip to main content

Saindo do ninho

Parece que já escrevi este post em algum lugar o ano passado: Eduardo indo com a escola para um passeio e eu chorando enquanto o espero voltar.

Todo dia a familia inteira sai de casa: levo o Edu pra escola dele, depois a Helena vai para a dela (caminho), levo o Sergio até a estação de trem e volto pra casa com a Luísa. Geralmente o Sergio é quem leva as crianças até a sala de aula e eu fico no carro esperando.

Mas hoje foi diferente: o Edu foi até o Zoo Parque em Itatiba com a escola e eu quis leva-lo até a sala de aula pra me despedir melhor. Eu gosto de ver a movimentação e me sinto mais segura vendo as outras crianças que vão, quantos adultos vão também e acabo me sentindo normal quando vejo outras mães apavoradas dizendo tchau para os seus passarinhos.

Levei-o até a classe, me despedi, ele reclamou que o abraço foi muito apertado (sensivel!!!!!), fiz as recomendações de costume e estava indo embora quando encontrei com outras mães no patio tentando ir embora também. Conversamos um pouco (muito) e então me lembrei que o Sergio estava no carro com as duas meninas e eu tinha que ir embora mesmo. Mas quando cheguei no carro já estava quase chorando e com a maior curiosidade pra saber como o Edu estava se sentindo, se não estava inseguro, essas coisas de mãe que adora se enganar...

Voltei pro pátio com Sergio, Helena e Luísa (esta ainda de pijama). Ficamos ali até que a fila passou por nós e eu vi o Eduardo todo animado e sorridente; me deu tchau e não demonstrou nenhuma insegurança. Depois que a fila passou fui embora bem mais tranquila; ainda quis que o Sergio passasse em frente à saida dos ônibus só pra dar uma olhada. Apesar desta ter sido a sua viagem mais longa e ele ter voltado somente as 18:30 eu sofri bem menos do que da primeira vez que ele saiu com a escola.

Passei a tarde grudada no telefone e contando os minutos para chegar a hora de ir busca-lo. Pelo menos agora tenho certeza de que não sou uma mãe alucinada; loucas mesmo são as que ligaram para o celular da professora pra saber se estava tudo bem!!!

Infelizmente o Eduardo não é de contar muito as coisas. Ele falou de alguns animais e estava mesmo é querendo dormir. Jantou mal, tomou o leitinho e dormiu como uma pedra as 19:30hs. Quem sabe amanhã, estando mais descansado ele não resolve me contar alguma coisa.