Skip to main content

E lá se foi a chupeta...

Depois de 4 anos e meio de uma paixão avassaladora eis que a mãe malvada conseguiu enfim separar seu filho querido daquela desqualificada!!! Me sinto meio culpada e as vezes fico pensando se a maneira como tudo aconteceu foi mesmo a mais certa, mas o fato é que hoje foi o segundo dia do Edu sem a danada da chupeta. Segundo palavras dele:

- Estou sentindo só um pouquinho de falta!

e depois:

- Mamãe, eu já dei minha chupeta;nós não vamos comprar um presente pra mim???

Já faz algum tempo que estou tentando convence-lo a deixar a chupeta. Cada vez que eu tocava no assunto ele vinha com uma desculpa e sempre dizia que ainda não queria. Ultimamente, sempre que ele me pedia um brinquedo novo eu dizia que compraria mas que ele teria que dar a chupeta para a vendedora e invariavelmente ele me dizia que iria querer o brinquedo mais tarde.

Depois de várias tentativas e já desanimada eu resolvi partir para uma atitude mais radical. Já que a conversa não funcionou e que ele por si não iria dar a chupeta tão cedo eu joguei a chupeta velha fora e comprei uma novinha. Ao entregar a chupeta nova pra ele eu avisei que aquela seria a última e que quando ela estragasse não iria substitui-la. Ele concordou de pronto e assim começou o último mês dele com chupeta.

Eu me sinto meio sacana porque sei que ele morde a chupeta e que ela rasga em pouco tempo, mas ele aceitou o trato. Ontem, quando estávamos saindo da casa da minha mãe a chupeta arrebentou. Foi de cortar o coração!!! Ele ficou muito chateado e toda vez que olhava a chupeta partida, fazia aquela carinha de tristeza.

Quando chegamos em casa eu conversei muito com ele, expliquei a importância de deixar a chupeta, expliquei que ele já é grande e que logo logo a Helena vai ter que deixar a dela também; mas acabei prometendo que na hora de dormir ele poderia chupar um pouquinho uma chupeta da Luísa (que ela não gosta). Só que na hora de dormir eu não encontrei a tal chupeta de jeito nenhum e lá fui eu conversar com ele e tentar convence-lo a dormir sem chupeta.

Na verdade foi fácil e apesar de estar sentindo falta ele ficou bem. Pediu um ursinho e que eu cantasse uma música e pronto: dormiu sem chupeta. O que mais me espantou foi que hj ele já falava dela como coisa do passado. No fundo estava ate animado porque percebeu que eu e o Sergio ficamos super felizes.

Agora, na hora de dormir, ele fez um charminho, me chamou algumas vezes no quarto mas já está dormindo super bem e disse que amanhã quer contar pra professora que ele deixou a chupeta e vai ganhar um presente: é duro prometer pra pobre que eles ficam cobrando!