Skip to main content

Eu juro que eu tento ser ecologicamente correta

Eu morro de medo de me transformar naquelas "Econerds" que ficam implicando com todo mundo e fazendo discursos ecologicamente corretos por onde passa. Sou radicalmente contra tudo o que é radical (se é que isso é possivel) e sempre tento ver os motivos que levam as pessoas a fazerem as coisas de um jeito ou de outro.

A escola da Helena tem uma grande preocupação com o meio ambiente e sempre manda folhetos interessantes sobre o assunto. Eu até acho que seria melhor se mandassem e-mails pra não acumular papel, mas a intensão é muito válida e atinge também quem não tem acesso a internet.

Com tantos incentivos vindos de todos os lados eu tenho tentado fazer a minha parte. Eu tenho consciência que aqui em casa somos grandes poluidores porque onde tem fralda descartável não tem jeito; pra compensar tenho tentado economizar água e energia elétrica, não desperdiçar os alimentos, pegar a menor quantidade possivel de sacolinhas plásticas no supermercado e estou investindo bastante na reciclagem do lixo.

Este final de semana fiz uma faxina enorme na nossa estante e separei 1 tonelada de coisas pra jogar fora. Estou doando todos os meus livros da faculdade (anunciei no orkut, um menino se interessou e vou doar todos os livros pra ele) e muita coisa que não dá pra reaproveitar coloquei em uma grande sacola só com papeis. Em outra sacola coloquei as embalagens plásticas (todas lavadas pra não juntar bichos ou ficar com cheiro), coloquei duas camisetas velhas mas usáveis em outra sacolinha, algumas coisas de papelão em outra e o lixo da casa em um saco de 100L.

Tudo isso foi colocado no portão da minha casa no começo da noite porque o lixeiro passa depois das 23 horas e eu queria dar uma chance aos catadores. O que foi feito com este lixo todo é quase inacreditável; eu deveria ter fotografado!!!

TODAS as sacolas foram rasgadas, TUDO foi espalhado na minha calçada e NADA foi levado! Até agora eu estou me perguntando o que o infeliz que passou por ali estava procurando. Estava tudo separado e era obvio o que tinha em cada embalagem; só uma anta não percebia que aquele lixo foi todo organizado e que não tinha muito o que ser procurado no meio dele.

A minha teoria é de que o infeliz queria as fraldas descartáveis sujas e o Sergio acha que foi a vizinha que pagou o cara pra bagunçar meu lixo porque eu não entrego o jornal velho pra ela. Seja como for, fiquei muito desanimada porque quando não separo nada, coloco tudo em um sacão de 100L, tudo misturado e sujo, ninguem mexe e eu não tenho trabalho nenhum.

O que acabou acontecendo foi que o sangue da Marilena-Pollyanna ferveu, eu mandei a Pollyanna dar uma volta e coloquei tudo misturado em dois sacos de lixo, fechei e o lixeiro levou tudo embora. Uma pena!!!

Mas tudo bem, a Pollyanna já voltou e vou tentar novamente com uma outra abordagem; quem sabe eu até não comece levar o jornal pra vizinha (esta é outra história...).

Eu não consigo entender como estas pessoas não percebem que o lixo foi separado pra elas, pra facilitar o trabalho delas e que fazendo o banzé que fizeram ontem no meu lixo as maiores prejudicadas são elas mesmas. Será que se estas pessoas tivessem o mínimo respeito pelo outros não haveria mais gente separando o lixo e facilitando a vida delas? Ou será que o prazer é revirar o lixo, abrir as sacolas, remexer nos restos, sujar as mãos...

Eu sinceramente não consigo entender esta mentalidade!!!