Skip to main content

Como está o berço do seu bebê?

Faz muito tempo que eu quero falar sobre algumas orientações que recebi do meu pediatra na primeira consulta de cada um dos meus filhos e agora com o caso do menino Gabriel, que morreu na escolinha eu resolvi escrever a respeito.

Durante a gravidez, nós pais, encontramos uma enxurrada de produtos super interessantes pra decorar o quarto do bebê. E é claro que o berço não poderia ficar de fora: são milhões de kits pra berço, um mais lindo que o outro e cada vez o número de peças que compoem o conjunto está maior, deixando os berços lindos mas cheios de perigos.

O pediatra dos meus filhos aconselha a não deixar nada solto no berço. Até os bichinhos de pelúcia podem causar sufocação em crianças pequenas; assim como travesseiros ou aquelas "balas" que sempre acompanham os kits mas que não podem ser amarradas.

Outro conselho legal é o de colocar a criança sempre no "pé" do berço e nunca com a cabeça na cabeceira. Colocando a criança com os pésinhos próximos ao "pé" do berço, ela não corre o risco de escorregar e entrar embaixo do cobertor e se asfixiar.

O cobertor deve estar sempre preso embaixo do berço, tanto nas laterais como na parte de baixo e sempre embaixo dos bracinhos do bebê para que este não corra o risco de puxa-lo sobre si e se asfixiar.

Devemos sempre lembrar que criança pequena não sabe se proteger e que se por um lado elas são capazes de puxar as coisas sobre si, elas nem sempre conseguem tirar de cima algo que as esteja incomodando.

Alem de todos estes cuidados, sempre deixei o berço inclinado em mais ou menos 30°. Para isso pode-se colocar um calço sob os pés do berço ou alguma coisa embaixo do colchão. Eu sempre achei super importante para caso a criança regurgite ela não sufoque com o próprio vômito.

Ainda hoje, quando um deles está gripado, com nariz entupido, eu costumo colocar algo que levante um pouco a cabeceira da cama pra respirarem melhor.


Devemos prestar muita atenção também na altura do berço. De um dia pro outro os bebê erguem a cabeça e em pouco tempo começam rolar pela cama e se apoiar tentando levantar. Pra evitar acidentes o berço deve ser abaixado antes que o seu bebê consiga alcançar a grade e tente se apoiar nela. O ideal é que, quando em pé, a grade esteja na altura do pescoço do bebê.

É bem verdade que nem sempre os cuidados são suficientes: eu abaixei o berço da Luisa até o último nível mas ele fica próximo à cama do Eduardo. Pra facilitar eu deixava a grade abaixada, ficando na altura do pescoço dela. Pois ela se apoia no protetor de berço e com a grade na altura do peito pula pra cama. Conclusão: grade levantada no último nível possivel e mais nada solto dentro do berço pra ela não conseguir se apoiar.

Com criança pequena todo cuidado é pouco!!!

PS:Voltando ao menino Gabriel: eu não consigo imaginar o sentimento da família em um momento tão terrivel, mas precisamos esperar os resultados da perícia pra condenar alguém. E mesmo com a mãe mais cuidadosa do mundo, mais atenta, mais preparada, fatalidades acontecem. Não estou aqui defendendo a escola, mas acho importante esperar antes de condena-la.


Quando se fala em escola, eu particularmente sou muuuuuuito chata: visito, pergunto, converso, converso mais, observo, observo, observo. Em especial quando se trata de escola pra criança pequena. Eu gosto de entrar na escola, olho cada cantinho, converso "informalmente" com todos os funcionários (assim, como quem não quer nada) e mesmo tendo gostado da escola e confiado meu filho a ela, continuo observando. Ainda assim, errei na hora da escolha e acabei tendo que mudar a Helena de escola.

O que eu aprendi:
- não fiquem com dúvidas em relação a escola, não tenham vergonha de perguntar varias vezes a mesma coisa até obterem uma resposta satisfatória
- enquanto estiverem visitando ou conversando com a dona da escola, preste atenção aos sons, as conversas das crianças, a voz das professoras, os choros e o que as crianças estão fazendo.
- não escolha a escola pelo status que ela tem, porque ela é cara ou um pouco mais barata, porque é grande e bonita...
- pense no método que a escola adota, pense nos valores que vc quer passar para o seu filho e tente encontrar uma escola que siga uma filosofia parecida com a sua (não dá pra mudar a escola, dá pra mudar o seu filho de escola).
- o que é bom pra mim não necessariamente vai ser bom para o seu filho e pra vc. Mesmo já tendo feito a sua escolha observe o seu filho. Não permita que ele seja infeliz no ambiente escolar.