Skip to main content

O fascínio pelo medo

Eu sou muito medrosa, mas apesar disso adoro sentir medo sem risco. Sou apaixonada por filmes de suspense, tipo Os outros e assisto várias vezes e sempre me assusto e morro de medo, mesmo sabendo exatamente o que vai acontecer.

Mas acabo sentindo medo também de situações improváveis ou impossíveis, como imaginar que tem alguém no forro da minha casa por exemplo. Ontem ouvi um barulho e fiquei imaginando alguém descendo e nos assaltando e pensando em como proteger as crianças, e perdendo meu sono precioso com isso!!!

Pra proteger meus filhos desta imaginação fértil eu não gosto de fazê-los sentir medo. E não deixo ninguém ficar inventando coisas pra deixá-los inseguro com coisas que não existem. Jamais falo coisas do tipo:

- Não vai lá porque está escuro!!! (escuro não é motivo pra deixar de fazer algo e sempre tento passar a idéia de que não devem ter medo de escuro).

- Não vai lá porque tem barata ou bicho ou monstro!!!! (ensino que alguns animais são sujos, transmitem doenças, mordem e que devemos ter cuidado, mas não uso estas coisas pra impedí-los de fazer algo que eu não queira que eles façam).

Prefiro o bom e simples:

- Não vai pra lá agora!!!

Mas apesar de todo o meu trabalho para deixá-los seguros e corajosos, naturalmente ou com interferência de outras pessoas (quando não estou por perto), eles vão criando os próprios medos. A Helena tem um pouco de medo de escuro e tem medo de cachorro. A Luísa ainda não tem medo de nada!! E o Edu tem medo de monstros, bandidos e lobos.

Os monstros eu já expliquei que não existem; dos bandidos eu também tenho medo então tento não falar muito no assunto; agora dos lobos...
Eu já expliquei que os lobos são cães selvagens, que vivem na floresta e que se não mexermos com eles, eles não farão nada contra a gente. Mas são tantas histórias, tantas fantasias, tantas musiquinhas que eu mesma canto, que ele acredita que os lobos são animais enormes, que derrubam uma casa ao soprarem e que comem as pessoas inteiras.
No zoológico eu tentei desmistificar o lobo mostrando o nosso Lobo Guará, tão pequeno e frágil que dá até pena. O Edu olhou aquele bichinho e perguntou:
- Mamãe, cadê a mãe dele???
E então eu expliquei que aquele era um lobo adulto e que os lobos não são tão grandes quanto nas histórias, mas o medo e a fascinação continuam. E toda vez que vamos a uma livraria ele vai direto no mesmo livro: O grande livro dos lobos.
Ele fica vidrado folheando o livro, vendo os joguinhos, as histórias, as figuras. Ontem eu comprei o livro e já vou me preparar para meses de leituras repetidas. Pra incentivar o medo nas crianças eu também comprei varios livrinhos sobre vampiros, bruxas e monstros. O legal é que são livros aparentemente pra assustar mas que acabam sendo divertidos como o vampiro que precisa ir ao dentista.
Eu mesma não vejo a hora deles chegarem da escola pra começarmos a leitura dos livros.
PS: outro livro super legal que eu comprei foi o Brincando com papel (Mari Kanegae e Alice Haga). É um livrinho de dobraduras. O Edu vive me pedindo pra fazer aviaozinho de papel ou barquinho. Agora eu quero mostrar a eles que dá pra fazer muitas outras coisas legais com papel. Depois eu conto o resultado.
E vou fazer um post especial sobre bonecas de papel, versão bonecas famosas: facil de fazer, barato e as crianças se distraem por horas.