Skip to main content

Voltas às aulas


As aulas recomeçaram ontem e parece que não vamos ter grandes problemas. A escola me liberou de comprar todo o material coletivo por causa da nossa ida para o Canadá.

Fiquei muito grata porque teria sido uma grande economia mas achei injusto com os outros pais meus filhos usarem este material por 2 meses sem nenhuma contribuição. Tentei então encontrar um meio termo e comprei aquelas coisas que eu sei que eles usam sempre como papel sulfite, massa de modelar, caneta hidrocor e coisas assim. Pode não ter feito grande diferença para a escola mas me deixou com a consciência tranquila e acho que ninguém saiu perdendo.

O Eduardo, como sempre, não teve nenhum problema mesmo encontrando vários colegas novos e uma nova professora. Ele ficou meio tímido no início e então eu o levei até um conhecido e ele já se soltou.

A Helena estava anciosa por estudar na escola do Edu mas eu tenho a impressão de que ela achava que ia ficar na classe dele. Por sorte a nossa vizinha está na mesma sala que ela o que parece que a deixou mais segura. Ontem ela chorou algumas vezes e corria chamando por mim, mas hoje as coisas já foram bem mais tranquilas e apesar de ter passado a manhã inteira na escola junto com outras mães, ela ficou bem com a professora.

Eu e o Sergio ficamos muito inseguros em colocar a Helena em um colégio novo por apenas alguns meses, mas resolvemos arriscar e parece que acertamos. É claro que aquele espaço é mais do que conhecido porque desde 1 ano de idade ela frequenta aquela escola todos os dias indo levar e buscar o Edu.

Quem a vê por alí não imagina que ela seja uma criança tímida de tão à vontade que ela fica.

O engraçado foi o Eduardo me perguntando porque eu e o "papai" estávamos na escola olhando ele brincar no parque ontem. Falou meio indignado como se nós estivéssemos atrapalhando, rs. Daqui a pouco não vai querer mais que eu entre na escola com ele.
PS: Estes primeiros dias, principalmente para as crianças que nunca foram para a escola, é de cortar o coração de qualquer mãe. Eu pelo menos, preciso ver como as crianças estão na minha ausência pra ficar tranquila.
O problema é que muitos pais parece que sofrem mais com a separação do que os próprios filhos e sem querer atrapalham no processo de adaptação. Hoje tinha um menino do pré que não queria largar a mãe de jeito nenhum. A cena estava beirando o cômico porque o menino estava agarrado nas pernas da mãe, a professora conversando com ele e tentando convencê-lo a soltar e a mãe parada como se não fosse com ela.
A cena demorou tanto tempo que eu acabei nem vendo como terminou, mas fiquei com pena da criança porque ao mesmo tempo que a mãe não ia embora ela também não o acolhia e acalmava.
Mas como diz a minha irmã: cada família tem a sua dinâmica e quem somos nós pra julgar, né?