Feb 27, 2009

Contagem regressiva e muitas emoções


Iniciamos nesta semana a nossa contagem regressiva!!! Enfim temos uma data e um destino. Nossa passagem foi comprada para o dia 17 de março e estamos indo para Toronto.

Apesar da correria e de uma imensa lista de coisas para fazer, estou tranquila e tentando não deixar tudo para o último minuto.

Compramos as passagens na quarta feira de cinzas e quando fui buscar o Edu na escola parece que todas as fichas começaram a cair. O Edu estava emocionado, pediu colo e começou chorar. Eu perguntei o que ele tinha e ele me disse:

- Nada, me deixe chorar um pouco.

Me surpreendi com a reação do meu filhinho de apenas 5 anos. Ficamos assim abraçadinhos no estacionamento da escola por alguns minutos, ambos aos soluços até que ele se acalmou um pouco e me disse:

- Mamãe, eu vou sentir muita falta da minha escola e dos meus amigos.

Naquele momento, meu coração deve ter parado por alguns instantes, eu fiquei imensamente triste e pensando em tudo o que estamos tirando deles. Conversamos bastante ali mesmo sobre estes sentimentos todos e eu falei que ele ainda iria mais 15 dias para a escola.

Quando eu disse isso ele parou de chorar imediatamente, ficou super animado novamente e então eu fiz a pergunta que não queria calar:

- Edu, vc quer ir morar no Canadá?

Sem pensar, sem pestanejar ele disse:

- Claro que eu quero. Lá vai ser legal, vai ter neve, vai ter parques...

Já se animou de novo e veio falando até chegar em casa.

Feb 11, 2009

Seguro Saúde


Como foi muito bem lembrado pela Sandra, nós precisamos fazer o seguro saúde para os 3 primeiros meses de Canadá.

Quando moramos em Atlanta nós fizemos o
Assist Card. Optamos por ele simplesmente porque era o que a empresa contratava para os funcionários que saiam do país. A empresa pagou o do Sergio e por questão de praticidade nós fizemos o mesmo para mim e para o Edu.

Foi sensacional!!! Sempre que precisamos fomos muito bem atendidos, muitas vezes o médico foi em casa, alguns deles falando português ou portunhol. As clínicas que o plano cobria também eram ótimas e quando chegamos no Brasil conseguimos o reembolso de todas as notas referentes a gastos com remédios e taxis que usamos.

Se estivéssemos indo pra Atlanta, provavelmente escolheríamos a Assist Card novamente, mas no Canadá eu não tenho idéia de como funciona. Varios imigrantes fizeram o seguro com a
GTA, mas ainda não tive tempo de pesquisar como foi o atendimento de quem precisou.


Assim, se alguém tiver alguma dica ou indicação eu agradeço bastante e tenho certeza que vai ajudar muita gente alem de mim.

Feb 9, 2009

Nem 15 nem 51


Eu sou uma leitora quase compulsiva; não consigo ficar sem um livro na cabeceira da cama e ultimamente tenho aderido a um livro no carro também. Nao sei dizer qual estilo literário mais me agrada porque leio ficção e não ficção, romance, aventura; saí do Cá de bebê de Becky Bloom e fui para A menina que roubava livros com a mesma paixão. Só não gosto de livros de auto-ajuda.


Quando leio um livro bom sempre procuro outras coisas escritas pelo mesmo autor e geralmente leio tudo o que ele escreveu.


Meu único problema é que não gosto de livro emprestado; nenhum preconceito ou motivo especial, mas eu gosto de colecionar livros, gosto de ter sempre à mão aquele livro maravilhoso que me emociona só de ver a capa. E tenho um prazer especial em emprestar os meus livros. Basta a vítima demonstrar um pequeno interesse por leitura ou por um livro que tenha visto na minha estante e eu já indico alguma coisa pra coitada ler. Por outro lado estou sempre atenta ao que os outros estão lendo e estou sempre encontrando coisas diferentes pra rechear minha mini biblioteca.


Na véspera do Natal eu fui a uma livraria e na fila pra pagar um livro eu vi uma senhora conversando animadamente com a caixa sobre o livro O crepúsculo, de Stephenie Meyer. A animação era tanta que me interessei também e acabei comprando o livro alguns dias depois. A filha de uma amiga, de 15 anos, ficou eufórica quando viu o livro em minha estante e eu fiquei ainda mais curiosa sobre a história.


Muito bem, estou lendo o livro e acho que não estou na faixa etária certa para esta leitura. Eu li uma reportagem há algum tempo atrás falando que o livro pretendia atingir o público adolescente mas acabou pegando em cheio as mulheres na faixa dos 50.


A história é legal, mas eu acho que fui mal orientada a respeito. Eu esperava um livro com mais aventura, mais perigos, mais movimento. Eu fico meio cansada de todas as descrições que o narrador-personagem faz das caras e bocas e olhares e sensações.


Mas o livro é bom e me criou um problema: eu detesto quando leio apenas um volume de uma série. Fico frustradíssima de não ter ido até o final da história. Então, vou ter que ler os outros volumes também... Ainda que eu não tenha me encaixado nem na faixa estária dos 15 nem na dos 51.



Picolé que vale prêmio


Eu sempre me considerei uma pessoa de sorte. Tudo bem que ainda nao ganhei na mega sena, mas pelo tanto que eu jogo não era pra ganhar mesmo!!!

O ano passado ganhei um
ipod nano em uma rifa e parece que a sorte continua me acompanhando, mesmo que seja por tabela.

Minha cunhadinha querida foi tomar um frutare da Kibon e ao invés do sorvete tinha um prêmio super legal: uma máquina fotografica Sony. Felizmente a máquina digital da minha cunhadinha querida é novinha e maravilhosa, tudo de bom e num ato de desapego total ela ofereceu o prêmio pra o irmãozinho dela.

Hoje eu liguei para o 0800 da Kibon e após um pequeno cadastro de quase 1 hora vou receber aqui em casa o, agora, meu prêmio!!! E ainda fui alertada pelo rapaz que me atendeu que existe uma promoção do pote de sorvete de 2 L, cujo prêmio é um
wii da Nintendo.


Vou aproveitar esta maré de sorte e me encher de tomar sorvete, até porque eu adoro!!!

Feb 8, 2009

Sindrome de abstinência

Há mais ou menos 15 dias os computadores aqui de casa resolveram me torturar. O notebook ficou brincando com o teclado e as letras m, v, c, x e o del simplesmente não funcionavam. Quando tentei passar a internet para o Pc velhinho e temperamental, descobri que ele também não estava a fim de cooperar e simplesmente não me conectava.

Fui misturando um português de sinônimos com um inglês meio sem sentido pra conseguir pelo menos avisar algumas pessoas que não estava podendo me comunicar via internet. Até pra usar o site do banco ficou complicado porque no site, a minha senha numérica vem associada às letras que tenho que digitar. Quando uma das letras problemáticas aparecia eu tinha que sair do site e começar novamente pra ver se a nova sequência poderia ser digitada.

Só ontem eu finalmente descobri o teclado virtual do windows que facilitou um pouco, mas mandei o note para a assitência técnica e consegui milagrosamente fazer a internet funcionar no PC. Tudo bem que aparecem milhares de mensagens de erros e o computador desliga sozinho de vez em quando, mas pelo menos eu consegui finalmente dar um sinal de vida (se nada acontecer até eu terminar este texto).

Estou em falta com várias pessoas que me escreveram e ficaram sem resposta ou receberam uma resposta estranha. Sem contar as novidades que estou acompanhando sem poder me procunciar. É até engraçada esta situação porque eu leio e não posso dizer nada hahaha

Na medida do possivel vou dando sinal de vida.

Mantendo o Português das crianças

- Mama, eu posso comer as sereias? - Acho melhor voce comer as cerejas!