Skip to main content

Falando inglês

Eu fico impressionada com a minha cara de pau quando tenho que perguntar alguma coisa para alguém. Não sei o que aconteceu mas eu simplesmente perdi o medo, a vergonha, e quando não sei a palavra em inglês já aviso que não sei o nome mas vou explicar o que eu quero.

Foi assim com o humidificador. Cheguei na Walmart e disse para o funcionário que eu queria um aparelho mas não sabia o nome e expliquei: ele solta vapor d'água no ambiente para aumentar a umidade. Foi até engraçado quando ele disse: humidifier (que obvio!!!).

E quando não entendo o que me perguntaram não tenho vergonha de pedir que repitam e quantas vezes forem necessárias. O legal é que todo mundo tem sido super paciente e ninguém me deixou, até agora, sem resposta.

Mas o que está sendo legal mesmo é ver as crianças. A Helena passa o dia falando um inglês que ela inventou. Ela pega o celularzinho dela e fica na frente do espelho fazendo caras e bocas e misturando o português com palavras inventadas. O interessante é que apesar de não terem significado, estas palavras são cheias de rrrrr igualzinho na pronuncia do idioma inglês.

O Edu, que já sabe contar até 10 também fala um pouco mas tentando repetir o que os personagens dos desenhos falam. E sempre fica pedindo pra eu traduzir as coisas para o inglês.

Logo que chegamos, quando estávamos abrindo a conta no banco e conversando com o funcionário, os dois ficaram sentadinhos atrás de nós falando baixinho. Quando eu prestei atenção o Edu falava palavras inventadas e dizia: " isto quer dizer 'tal coisa'". E a Helena treinando e tentando repetir a palavra que ele havia inventado.

Então eu tive que explicar que ele não podia inventar palavras porque a Helena ia aprender coisas que não existiam. Mas foi muito engraçado ele ensinando a Helena e ela tentando memorizar.

O que me anima muito é o interesse dos dois. Eles ouvem as pessoas na rua, prestam atenção e quando eu vejo estão tentando falar igual. Mesmo sem conhecer as palavras, os dois já perceberam a sonoridade da lingua e vão tirar tudo de letra.

Agora aprenderam a me chamar de mamy. Só me chamam assim o tempo todo e com sotaque canadense; igualzinho eles ouvem as outras crianças falando.

Ainda falando no idioma: a assistente da diretora da escola vai me levar pra conhecer um centro de apoio ao imigrante aqui perto de casa. Segundo me informaram eles têm childcare e nós poderemos fazer os cursos que eles oferecem com mais tranquilidade.

Hoje passamos a tarde fazendo lição com o Eduardo. Foi legal porque ele ficou procurando palavras com a letra J no jornal e em revistas. Apesar dele já estar careca de fazer isso pois no Brasil ele já estava na primeira série, foi bom porque agora é tudo em inglês.

Eu estou bem contente com o fato dele estar no kindergarten ainda. Eu sempre ficava aflita na antiga escola achando que ele era muito novinho para já estar na primeira séria. Ainda que ele acompanhasse, ele sempre era o mais novinho, o menorzinho e tinha que fazer um esforço um pouco maior para acompanhar a maioria dos amiguinhos. Muitas vezes ele ficava meio frustrado porque alguns amigos já sabiam ler e ele ainda não. Agora ele vai entrar na escola na idade certinha e eu acho que vai acompanhar com mais tranquilidade.

A Helena vai entrar um pouquinho mais tarde; com 6 anos e meio, mas isso também não me preocupa. Não tenho pressa e acho que vai ser bom pra ela. E a Luísa vai entrar com exatamente 6 aninhos.

Até lá espero que as duas já estejam bem adaptadas ao inglês.