Skip to main content

3 meses de Canadá



Pois é, hoje estamos completando 3 meses aqui no Canadá e parece que já estamos aqui há anos e sem inverno, olha que vantagem!!!

Nestes 3 meses muitas coisas aconteceram:

- Viemos para Mississauga meio no susto porque não conhecíamos bem a cidade e escolhemos o apartamento mobiliado em que ficamos, pela internet - a

- Depois de muitos nãos por estarmos desempregados e sermos recem-chegados, nosso landlord nos ofereceu o ape onde estamos sem nos pedir um único documento - a

- Viemos morar no coração do Paquistão-India em Mississauga. Nos sentimos verdadeiramente como "minoria visível" por aqui mas em nenhum momento sofremos nenhum tipo de preconceito. Ao contrário, temos sido muito bem tratados e aprendemos muito com estas pessoas, em especial os indianos - a

- Conseguimos alugar uma casa lindinha em um bairro que à primeira vista parece maravilhoso, próxima a uma escola muito boa em Etobicoke. E o melhor: sem mostrar nenhum documento de novo!!! Acho que passamos no teste de credibilidade porque as pessoas acreditam na nossa palavra sem pestanejar - a

- Conseguimos tirar todos os nossos documentos (com alguns atropelos, é claro), mas já está tudo acertadinhos e agora só estamos esperando nossa mudança para atualizar todos os endereços - a

- Nosso curso de inglês foi um achado e tanto eu quanto o Sergio temos professores ótimos e temos aprendido muito com eles e com nossos colegas de classe. Pra nossa sorte não tem um único brasileiro na escola o que nos obriga a falar o tempo todo em inglês. Aliás, dificilmente encontro brasileiros dando sopa por aqui, rs - a

- Após três semanas no curso de inglês conseguimos uma vaga para a Helena no day care e está sendo ótimo. Além do contato com a lingua e com outras crianças, ela está aprendendo a lidar com a timidez. Eu fico super orgulhosa de chegar na sala dela e vê-la toda saidinha com os amiguinhos, conversando, rindo; e hj estava cantando no maior desembaraço - a

- A adaptação do Eduardo na escola também foi um sucesso!!! A professora ligou para nós esta semana para nos dizer que ele foi aprovado e irá para o grade 1 em setembro. Sem falsa modéstia (né Sergio???) a professora disse que ele é um menino maravilhoso, que ele entende tudo o que ela fala, que ele tem facilidade para aprender e que ele vai acompanhar a escola sem problemas. Ela disse que ele ainda não fala e que seria interessante que fizessemos algumas atividades com ele nas ferias para que ele nao perca o ingles que já aprender. Ela sugeriu varias coisas que vamos procurar ainda esta semana, dentre elas parques para brincar com outras crianças e atividades nas bibliotecas - a

- A transferência de valores do Brasil para cá atravez do HSBC também foi um sucesso. Não estamos pagando nenhuma taxa a mais e o cambio não é dos piores. Só falta eles providenciarem nosso cartão de credito porque comprar feitas com o cartão brasileiro tem taxas e encarece muito as coisas - r

- A compra do nosso carro que está sendo finalizada agora!!! Foi meio complicado em um primeiro momento porque não tinhamos idéias como funcionavam as coisas. Apesar de termos algumas indicações, ainda ficamos indecisos e inseguros. Não foi fácil e em alguns momentos eu fiquei bastante desanimada. O bom é que existe gente legal no mundo e nós conseguimos encontrar um vendedor assim. Ao invés de nos vender um carro novo (que foi o que o Sergio foi procurar) o rapaz da Toyota nos aconselhou a comprar um carro usado. Segundo ele, seria melhor começar com um usado e esperar pelo menos um inverno por aqui para termos certeza do tipo de carro que precisamos em todas as estações. Acabamos decidindo comprar um carro usado na própria Toyota, mas em outra loja, onde encontramos, por coincidencia um senhor português (Sr. Francisco) que nos explicou direitinho como as coisas funcionam por aqui (antes de nos mostrar o carro). Ele nos pareceu super sincero e o carro sorriu pra gente no primeiro olhar - a

- O seguro do carro foi outro parto. O Sr Francisco nos indicou algumas empresas de seguro e tambem um corretor portugues. Fizemos algumas pesquisas na internet e descobrimos que os valores eram absurdamente altos: 40% do valor do carro, rs. Ligamos para o corretor que fez alguns orçamentos e como os valores que conseguiu continuavam altos nos sugeriu ligar para outras empresas para tentar um valor menor. Então o Sergio ligou para a Belair e conseguiu um preço bem melhor segurando o carro e a nossa casa - a

- Já contramos via internet a companhia de mudanças. Até aqui tudo parece bem simples. Tomamos o cuidado com o contrato que segundo eles, será assinado quando eles chegarem para pagar os moveis. Como já fomos alertados vamos exigir o contrato assinado - s

- Já aprendi a me virar relativamente bem na cozinha por aqui. Alem das valiosas dicas das minhas amigas virtuais (algumas em vias de ser tornarem reais) eu comprei também um livro que tem me ajudado muito. É o Betty Crocker CookBook: nele ela dá varias receitas faceis de fazer e ainda explica varias coisas como o significado dos termos usados em culinária, o que significam as medidas, e varios tipos de ingredientes com fotos (frutas, legumes, verduras, farinhas, graos, carnes, etc). Pra quem tem o inglês tupiniquim como o meu é ótimo porque ajuda até na hora do supermercado. Eu paguei uns $22.00 mas está valendo muito a pena. Este é o site dela - a

- Já fizemos varios amigos reais por aqui, com os quais não queremos perder contato. Até me cadastrei no face book porque o orkut não faz muito sucesso por estas bandas. Estamos trocando telefones e agora com carro vou ficar mais à vontade para convidar as pessoas para sair, rs - a

- Graças a milhares de pesquisas do meu maridinho e muitas dicas de amigos nós encontramos varios centros de apoio ao imigrante para tudo quanto é tipo e coisa, rs. O Sergio tem frequentado pelo menos uns 4 relacionados a emprego. Tudo bem que cada um fala pra fazer o currículo de uma maneira, mas temos aprendido muitas coisas - a

Enfim, acho que tudo está saindo mais ou menos como o esperado (e que espera, rs). Há apenas três meses nós chegávamos aqui com 7 malas grandes, três crianças pequenas e muitos sonhos. Estamos felizes, estamos realizados e mais do que nunca, hoje eu tenho consciência do real significado da expressão "zona de conforto" (muita usada por aqui).

Foram dias difíceis, alguns de angústia, alguns de medo, de pânico, de solidão. Tem dias que tudo dá errado: vc perde tempo, vc perde dinheiro, perde o rumo também. E então, do nada, as soluções começam a aparecer e quando vc se dá conta de que tudo se encaixou e deu certo.

Este é um país pra gente forte, gente corajosa, que não tem medo de dar a cara pra bater. É um país pra quem não aceita ficar sentado reclamando. É um país de ação, de correr atrás, de se virar sozinho. Aqui nada cai do céu (exceto chuva e neve).

A cada dia eu tenho mais certeza de que aqui é meu lugar e o deslumbramento que este país me causava no passado está se transformando em amor.