Skip to main content

Coisas do Canadá


- Você sabia que a prefeita de Mississauga, Hazel_McCallion, foi eleita pela primeira vez em novembro de 1978 e que em novembro de 2006 ela se elegeu para o seu 11° mandato: aos 86 anos de idade?

- E em janeiro deste ano foi aprovada uma lei em Ontário proibindo fumar em veículos que esteja levando crianças de até 16 anos? Segundo alguns estudos, dentro do carro as pessoas ficam expostas a uma concentração de fumaça 25 vezes maior do que em um ambiente aberto. E abrir o vidro do carro não ajuda porque o fluxo de ar levaria a fumaça para a parte de trás do veículo. Pra quem for pego fumando enquanto carrega crianças no carro, multa de no mínimo $250.

- E a província de Ontário foi a primeira no mundo a aceitar um casamento de pessoas do mesmo sexo (14 de janeiro de 2001). Hoje este tipo de casamento é permitido no país inteiro e muitos americanos vêm se casar no Canadá, além de casais de varios outros países.

Falando nisso, domingo foi a "Parada Gay" de Toronto. Infelizmente nós chegamos quando já tinha acabado porque nem sabíamos que seria naquele dia. Encontramos com o pessoal no metro cheio de bandeirinhas do arco iris.

- Ao contrário do que eu imaginava a maioria da população por aqui é católica. "Em cada esquina" tem uma igreja. E claro, geralmente junto com a igreja tem uma escola católica. Infelizmente ainda não entramos em nenhuma. Eu adoro visitar igrejas, acho que elas são muito ricas em detalhes e histórias. Claro que existem templos de outras religiões mas em menor número.

- No contrato de aluguel da minha casinha tem uma cláusula especificando que eu devo cortar a grama, recolher as folhas e tirar a neve, rs. Só quero ver o trabalho que isso vai dar!

- Parece que aqui as mulheres aderiram à moda que eu lancei: vários filhos com pequena diferença. É muito comum ver mulheres com bebezinhos e barrigão, ou carrinhos com duas crianças muito pequenas mas que não são gemeos. Sem contar os gêmeos, que são muitos. Carrinhos para três crianças são vistos com uma certa frequência.

Tem uma muçulmana que mora no meu prédio que tem 4 crianças e nenhum gemeo e todas andam no mesmo carrinho (aqueles para duas crianças). Mas não são só as muçulmanas que estão me seguindo não. Acho que as mulheres querem ter os filhos de uma vez para poderem voltar logo ao mercado de trabalho ou como eu, porque o tempo estava se esgotando, rs.

- E Toronto e Mississauga (as cidades que conheço melhor) são as cidades amigas dos carrinhos de bebês (eu que inventei o termo, por favor). Se antigamente eu pensava dez vezes antes de sair na rua com o carrinho das crianças, hoje eu tenho dois carrinhos e levo a "criança que sobra" sentada na parte de cima de um dos carrinhos. Pagamos $25 dolares em cada carrinhos e valeu super a pena porque eles são bons e têm nos ajudado muito. Podemos ir onde quisermos com os três sem ter que carregar ninguem no colo e todo mundo sentadinho e podendo descansar. Até agora não encontrei um só lugar onde não houvesse guia rebaixada e as calçadas perfeitamente transitáveis.

Na minha antiga casa só dava pra andar na rua porque mesmo sendo um bairro de ruas planas as calçadas eram intransitáveis mesmo a pé, imagine de carrinho!!!

Em vários lugares têm tambem os elevadores que ajudam muito. Algumas vezes nós precisamos carregar o carrinho pelas escadas porque não encontramos os elevadores, mas isso não quer dizer que eles não estavam ali em algum lugar.

- O Streetcar (uma espécie de bondinho de Toronto), em alguns lugares pára na pista esquerda e vc desce do lado direito e tem que atravessar a rua para chegar à calçada. É esquisitíssimo porque o trânsito todo tem que parar para as pessoas que estão descendo poderem atravessar a rua. E tem regra: quando o streetcar pára todos os carros têm que parar um pouco atrás dele, mesmo quem está na faixa ao lado. Um perigo!!!

- Mesma coisa para os ônibus escolares: os motoristas têm que ficar atentos porque se o ônibus abrir a bandeirinha STOP que fica na lateral todo o trânsito tem que parar nos dois sentidos. E as mães e crianças atravessam a rua sem a menor cerimônia. E se o motorista não parar poderá ser multado caso o motorista do ônibus o denúncie usando uma testemunha que esteja no local.

- Quando o farol está fechado não necessariamente vc tem que ficar parado até ele abrir. Se vc for virar à direita, vc pode entrar mesmo com o farol fechado se for seguro. É dificil se acostumar e as vezes o carro de trás fica meio zangado com a nossa indecisão.

- Mesmo pra entrar a esquerda é diferente de São Paulo. Se o trânsito é intenso da faixa contrária vc nunca pode virar. Aqui não: vc pode ficar esperando na faixa da esquerda ou no meio da rua até poder atravessar com segurança. E de uma maneira geral funciona super bem (eu pagava pra ver uma regra desta em São Paulo, rs).

Não tem nada melhor do que andar pelas ruas e observar as coisas, as pessoas, os detalhes. É uma pena que nem tudo dá pra fotografar. E nenhum relato consegue descrever o que a gente vive por aqui. Andando nas ruas eu sempre me lembro do Raul Seixa:
Faça o que quiser porque há de ser tudo da lei.