Skip to main content

Saindo da fralda


Continuando o assunto da tirada das fraldas: parece que a Luísa se animou e basta um descuido e ela aparece pelada pela casa com uma calcinha na mão (acho que é uma indireta). Eu a deixo só de calcinha mas ela só avisa que fez xixi quando já esta "vazando", mas pelo menos ela vai toda contente para o banheiro.

Ontem ela também fez cocô no vaso sanitário e ficou toda alegre dando tchauzinho...

Pelo que já li e com experiências vividas por outros pais que conheço, eu acho que este é um momento muito importante mas também meio perigoso. Se por um lado é uma coisa natural e que muitas vezes a criança resolve sozinha, como disse a Sandra; por outro, nós pais, pela nossa ansiedade e falta de paciência podemos tornar este período muito estressante para a criança.

Como já disse várias vezes, eu sou a favor do reforso positivo: ignoro o que deu errado e valorizo o que deu certo. As varias escapadinhas que vão ocorrer pelo caminho, mesmo quando eles já tiverem total controle dos esfincters, devem ser tratadas com naturalidade. Dificilmente uma criança faz xixi na calça porque quer e certamente quando acontece ela fica frustrada, fica com medo de voltar a ser um bebezinho, ou com medo de estar decepcionando os pais.

Se nós ficamos incomodados de alguma forma com isso, estaremos reforçando este sentimento de frustração deixando a criança insegura. E temos que ficar muito atentos porque as vezes nos estressamos mesmo.

Eu sempre gostei de trocar os lençois de sexta-feira e no sábado as crianças acordam e vão pra minha cama. Em um destes dias o Eduardo pegou no sono e molhou meu lençol limpinho!!! Na verdade eu nem fiquei estressada com isso mas só comentei:

- Ai meu lençol limpinho!!!

Ele ficou muito chateado e passou muito tempo se lembrando do dia que ele molhou minha cama.

Respondendo mais ou menos os comentários: eu não costumo recompensar a criança. Dificilmente eu digo: "faça isso e eu te dou aquilo".

Geralmente eu tento mostrar uma relação de causa e efeito: "se vc molhar esta calça linda eu vou ter que troca-la por outra". Eu costumo usar este argumento com a Helena que de vez em quando se distrai brincando e quando eu percebo ela já está de pernas cruzadas, rs... Muitas vezes não dá tempo mesmo e ela se conforma de ter que colocar a calça que não gosta. Mas a Helena já tem total domínio dos esfincters e dá pra conversar.

Com a Luísa (e os outros bebês na mesma fase) é tempo de paciência!!! Eles ainda estão descobrindo tudo, inclusive o corpo e não adiante forçar a criança a fazer uma coisa para a qual ela não está preparada. A Luísa já sabe quando fez xixi, cocô e quando foi só um pum (que ela acha a maior graça). Agora ela está descobrindo que existe um lugar para se fazer estas coisas.

Mas a grande sacada desta semana foi a de que ela pode ficar sem aquele "saco plástico" entre as pernas. O problema é que ela ainda se incomoda de ficar molhada e então, depois de fazer xixi umas tres vezes ela pede pra colocar a fralda de novo, rs. Em breve ela vai se dar conta de que pode prever quando o xixi vai sair e neste momento poderei doar todas as fraldas dela!!!

Quanto às diferenças entre meninos e meninas: não sei se Freud explica, Silvia, mas tenho certeza que eles são muito diferentes e que as meninas amadurecem mais cedo para várias coisas. Eu ainda não sei se estas diferenças são genéticas mas tenho certeza de que elas existem.

Foi até facil tirar a fralda diurna do Eduardo, mas ele já tinha quase quatro anos e ainda usava fralda a noite (e pedia para que eu colocasse, só pra não ter que levantar). No dia que a Helena passou a dormir sem fralda noturna com apenas dois anos, ele aprendeu de repente a segurar o xixi durante a noite, rs.