Skip to main content

Semana difícil


Ao contrário do que eu imaginava, esta primeira semana foi bem complicada pra nós. Tivemos muitos contratempos e algumas contrariedades que chegaram a me deixar bem desanimada.


A primeira delas foi perceber que o dono da nossa casa é um amor de pessoa mas é muito ciumento e morre por esta casa. Se ele tiver que escolher entre a casa e a esposa eu acho que a casa ganha. Eu imagino a situação dele tendo que alugar o lugar que ele escolheu para viver e até o compreendo, mas me sinto meio desconfortável sabendo que ele fica "nos vigiando". Eu sou muito detalhista em algumas coisas e por mais que ele apareça na surdina eu acabo percebendo que ele passou por aqui e onde ele foi.

Sem contar que ele se sente em casa e quando chega, nem bem eu abro a porta ele já vai entrando de chinelão e tudo como se estivesse na sala da casa dele. Outro dia ele marcou com um técnico para verificar umas coisas na lavanderia em um horário bem conveniente para ele: entre 6 e 10 PM. Ás 5:30 ele chega e quando eu abri a porta ele me comunicou que o cara vinha e já foi entrando para me mostrar o que ele ia fazer.

Conversamos um pouco e eu percebi que ele ia ficar esperando o técnico chegar, rs. Foi legal porque ele é bom de papo e nós nos entendemos bem mas quando o rapaz chegou (lá pelas 7 PM) ele mandou o cidadão entrar de sapatão sujo por dentro da sala!!! O rapaz ainda perguntou se precisava tirar o sapato e ele disse: Não, tudo bem!

Imagine a minha cara vendo a cena!!!

E vira e mexe eu percebo que ele passou por aqui, que foi ver se eu estou aguando os tomates ou se estou armazenando a água da chuva, rs. E a semana passada ele veio e trocou a máquina de lavar roupa por uma outra. Não sei o que aconteceu mas ele poderia pelo menos ter deixado um bilhete. É muito chato vc chegar para lavar a roupa e perceber que mudaram a máquina.

Mas acho que o que mais me chateia aqui é o barulho que fazemos. Esses dias a menina uruguaia veio aqui reclamar porque estava muito barulho. Eu fiz questão que ela entrasse na casa e visse com os próprios olhos o tamanho do problema. Ela ficou bem surpresa com o tamanho da sala e dos corredores e deve ter entendido que por mais que eu me esforce é complicado não fazer barulho lá embaixo.

As vezes eu ando na ponta dos pés para diminuir o som mas em alguns lugares as táboas rangem e na ponta dos pés faz aquele nhééééém super alto, rs. Nós estamos enchendo a casa de tapetes mas sinceramente acho que não vai adiantar muita coisa.

E nós ficamos nesta berlinda: por um lado ficamos muito chateados de ficar incomodando por outro não posso e nem quero ficar enchendo o saco das crianças o dia inteiro. E por enquanto ainda temos muitas oportunidades de sair de casa mas no inverno não vai ter muito jeito...

O que tenho feito é deixá-los bem à vontade quando elas não estão aqui e quando percebo que elas chegaram tento inventar alguma brincadeira mais tranquila, o que nem sempre dá certo porque criança é imprevisivel.

No final de semana recebemos algumas visitas e foi super chato porque as 10 horas tive que praticamente mandar todo mundo embora. Quer dizer, não posso nem mesmo receber ninguem na minha casa para não incomodar. Agora terei que estabelecer o horário de visitas de hospital: das 8:00 AM ate as 6:00 PM.

Enfim, estive bem abatida a semana passada pensando em como vai ser este ano por aqui. Mas eu não me permito ficar lastimando e sofrendo por coisas que estão fora do meu controle. Pra compensar temos feito muitas coisas legais e estou cada dia mais apaixonada pela cidade de Toronto.