Aug 29, 2009

E a gente pensa que conhece os filhos

Eu sempre achei que educar uma criança é uma tarefa trabalhosa e muito muito difícil. Num dia tudo está super bem, as coisas correndo às mil maravilhas e de repente o caldo entorna e aquela criança angelical vira um monstrinho incontrolável.

O nosso processo de mudança para o Canadá coincidiu com o momento de outras mudanças na vida das crianças e eu ficava desesperada pensando em qual o melhor momento para começar estas novas mudanças após a nossa chegada por aqui.

Com três meses de Canadá eu senti que a Helena estava preparada para deixar a chupeta. É claro que não foi a coisa mais facil do mundo mas eu me surpreendi com a reação dela. Uma preocupação que eu sempre tenho é de que eles concordem em fazer as coisas. Tudo bem que eu a induzi a entregar a chupeta, mas sem chantagem, sem ameaças e esperando a decisão dela. Sempre tem uma história, muita conversa, muitas explicação mas ela quis entregar para os filhinhos do coelho da páscoa e sem a promessa de ovo de chocolate em troca.

Tenho certeza que ela sofreu um pouco a primeira noite mas acordou no dia seguinte toda orgulhosa porque conseguiu dormir sem a chupeta e não pediu mais. Até porque agora ela é uma mocinha.

Agora estou tirando a mamadeira dela e do Edu. Eu sei que já deveria ter feito isso há muito tempo, sei bem a opinião de várias amigas radicais (rs rs rs) mas sabe aquela história de um erro leva a outro e a outro e a outro???? Pra resumir, o Edu e a Helena só tomam leite se for na mamadeira e eu fico morrendo de medo deles perderem peso, de não conseguir substituir, alem de morrer de pena porque sei que eles adoram aquele leitinho fácil.

Já tentei outras vezes e acabei voltando atrás e mantendo o leitinho dos dois, mas agora eu percebi que eles também querem, eles concordam em dar a mamadeira sem reclamar e não pedem de volta mesmo quando veem a Luisa mamando. Eu fiquei protelando enquanto eles precisavam apenas de um empurrãozinho.

Hoje de manhã, nenhum dos dois queria tomar leite no copo. Em uma atitude desesperada, rs, eu fiz aquilo que mais abomino na educação infantil: chantagem!!!

- Se vcs não tomarem o leite nós não vamos passear com a Sara.

Os dois começaram tomar o leite e eu me senti a madrasta da Branca de Neve!!! Com peso na consciência comecei explicar porque era importante que eles tomassem o leite, que era só um pouquinho e bla bla bla... e eles acabaram tomando, mas para amanhã preciso de outra técnica porque chantagem está fora de questão. E se eles realmente não quiserem, pacência, comem outras coisas.

Então chegou a vez da Luisa entrar na linha. Como no Brasil ela não conseguia dormir se fosse para a cama junto com o Edu e a Helena, nós permitimos que ela ficasse na sala com a gente até que os dois mais velhos pegassem no sono. Neste ínterim, ela também acabava dormindo e ia pra cama já no segundo sono.

Além disso, aqui no Canadá, ela acordava de madrugada e ia para minha cama: coisa que nem no Brasil ela fazia. Conclusão: passamos a dormir super mal porque ela se virava para todos os lados e ocupava a cama inteira, rs.

Um belo dia, eu e o Sergio começamos conversar e percebemos que a Luísa estava pronta para ir dormir ao mesmo tempo que os irmãos. Naquela mesma noite eu me muni de muita paciência e imaginei o stress que seria convencê-la a ficar na cama. Ela participou de todo o ritual do sono achando o máximo e quando eu falei para eles se deitarem para eu cobrí-los, ela foi a primeira a chegar na cama, rs.

Eu cobri todo mundo, fiz todas as despedidas e voltei pra sala. 5 minutos depois, lá estava a Luísa pedindo colo. Eu a peguei novamente, demos tchau pro papai e eu a levei para o quarto, expliquei que era hora de dormir, mostrei que estava escuro, cobri, beijei e ela ficou: dormiu a noite toda super bem e parece que gostou muito de participar de tudo como os irmãos. De vez em quando ela dá uma fugidinha, mas aceita voltar para a cama tranquilamente: é quase um charminho que ela faz de vez em quando na hora de dormir.

Pra não ir para minha cama de madrugada foi ainda mais fácil: simplesmente não fizemos nada. Acho que só o fato dela aprender a dormir sozinha na sua caminha fez com que ela permanecesse na cama dela quando acorda de madrugada (se é que ela acorda.). Agora ela vem pra minha cama às 6 da matina, exatamente como os irmão fazem quando acordam.

As vezes eu fico toda preocupada em como eles vão reagir enquanto eles devem estar pensando:

"Será que ela vai continuar me tratando como um bebê?

Aug 28, 2009

Dividida


Estou no meio de um grande dilema por aqui: tem horas que quero muito e tem horas que fico rezando para que não.
Do que estou falando??? Oras, do frio é lógico!!! Do que mais se fala neste país???


Se por um lado estou adorando estes dias longos, este calor abafado e esta vontade louca de ficar na rua até o último raio de sol; por outro lado estou louca pela chegada do outono, da cidade toda colorida, do halloween e em seguida da neve.

Eu sei que vou me cansar de tanta neve e que, certamente, farei muitas reclamações da m**** branca (como alguns dizem). Mas pra nós tudo é novidade, tudo é meio mágico, diferente. Por mais que as pessoas falem e as fotos mostrem, só vou saber como é quando passar por estas coisas e então poder dizer como elas me afetam para o lado bom e para o lado ruim.

Já estou acompanhando cada folha alaranjada que surge no meu jardim e já comecei a me despedir do verão com uma certa nostalgia, mas pra dizer a verdade... não vejo a hora do outono chegar e de vivenciar as emoções de mais uma estação nesta nova vida.

Aug 26, 2009

Uma coisa leva a outra e ...

vc encontra as respostas todas na internet.

Tudo começou com uma conversa bobinha sobre uma música que falava de um tal Rocky Raccoon que virava a "garbage bin"...

O Sergio até chegou a cantar a tal canção com a letra trocada; e eu não acreditando, lógico!

Então fomos para o
You Tube e lá estava o video dos Beatles:





Então veio a pergunta:

- O que é uma Gideon's Bible?

Lá fomos nós para a
Wikipedia e descobrimos: a Gideons é uma associação evangélica cristã, sem fins lucrativos, formada por homens de negócio, dedicada na distribuição de Bíblias, nos hotéis, motéis, escolas, repartições públicas, militares, aeronaves e navios.
Então, quando vc for a um hotel e encontrar na mesinha do criado mudo uma bíblia, já sabe quem a deixou lá.

Aug 25, 2009

HSBC, cartão de crédito, cartão clonado

Mesmo antes de chegar em terras canadenses já estávamos sendo personagens pricipais da novela do HSBC. A nossa gerente no Brasil era muito educadinha, mas um tanto confusa e enrolada. Da nossa parte, éramos aqueles protagonistas que nem sempre fazem o que os mocinhos devem fazer e assim, acabamos deixando para abrir a nossa conta no Canadá algumas semanas antes de vir para cá. Tudo porque ainda tínhamos esperanças de vir transferidos pela empresa onde o Sergio trabalhava.

No final muitos desencontros aconteceram e quando chegamos por aqui descobrimos que estávamos na estaca zero em relação a nossa conta. Então fomos a uma agência em Mississauga e abrimos nossa conta na maior tranquilidade e já solicitamos um cartão de crédito. Depois de muitas idas e vindas, três meses se passaram e descobrimos que nosso gerente canadense era tão confuso quanto nossa gerente brasileira e que ele sequer fez o pedido dos cartões.

Pela primeira vez eu desci do salto por aqui e modifiquei o e-mail gentil do Sergio para um e-mail um pouco mais, digamos, enérgico... claro que tomando todos os cuidados para não dar motivos para um processo por parte dele, rs.

O fulano nem respondeu o e-mail, nem nos mandou o cartão, nem nada aconteceu e ficamos nesta situação por mais um bom tempo. No final do mês de julho, já morando em Etobicoke, nós resolvemos transferir a nossa conta para uma agência mais próxima da nossa casa. Conversamos com a gerente e ela foi um amor: tudo seria simples, facil, rapido e ficamos nos sentindo dois idiotas por não termos feito a mudança antes.

Depois de quase um mês na nova agência, os cartões não chegaram e novamente fomos procurar a nossa gerente. Eu cheguei na agência soltando fogo pelo nariz e apesar de ter sido muito educada, a atendente concordou em abrir a porta da agência já fechada para eu entrar, rs.

Encontrei a gerente, explicamos nosso problema e ela disse que foi algum engano e nos prometeu os cartões em 5 dias úteis na nossa casa.

Passados 15 dias (hoje) nós descobrimos que nosso cartão de débito estava cancelado porque estouramos o limite. Quando pegamos o extrato pela internet, qual não foi nossa surpresa quando vimos dois saques de 400 dolares cada um. Fomos para a agência voando e eu só pensando em tudo o que queria falar e como faria isso em inglês. Confesso que mais do que descer do salto, hoje eu estava pronta para atirar o sapato.

Entramos na agência e conversamos com a única pessoa que encontramos e que nos informou (bomba) que aquela mocinha gentil que nos atendia na verdade nem era gerente; nem imagino quem era ela. E pra completar, que ela tinha sido transferida para outra agência.

O Sergio mostrou a ela nosso extrato e ela foi chamar o "verdadeiro" gerente da nossa conta.

Infelizmente (ou felizmente, não sei) eu sou uma chorona de marca maior e esta informação me abateu demais. Eu fiquei me sentindo uma grande idiota, uma imbecil completa e comecei chorar compulsivamente. Eu não conseguia parar de chorar e comecei falar pro Sergio que aquilo não era justo, que eu não entendi porque eles estavam fazendo aquilo com a gente, que nós fizemos tudo certinho, que nós não merecíamos ser tratados assim, etc, etc, etc.

Acontece que moça que nos atendeu fala português (nao consegui descobrir de onde ela é) e é claro que deve ter entendido tudo que eu falei e veio tentar me acalmar, disse que tem acontecido muitas clonagem de cartão, que eles iriam devolver o dinheiro, etc...

Enfim, a maior confusão!!! Eu falando do cartão de crédito e da gerente e ela falando da clonagem.

Quando o meu "verdadeiro" gerente apareceu eu ainda estava de olhos inchados e então eles nos fizeram trocar as senhas e disseram que em dois dias úteis vão devolver o dinheiro para a conta.

Só que eu ainda estava engasgada. Não sei como nem em que lingua, mas expliquei pra ele toda a história do cartão de crédito e o quanto isto estava dificultando a nossa vida, afinal com esta história da clonagem, nós não tinhamos como comprar nada, né?

O que nós descobrimos? Nosso cartão está pronto desde junho e o "imbecil" de Mississauga não nos avisou. A "falsa" gerente mandou para nossa casa mas no endereço antigo, ou seja, ele foi e voltou. O nosso "verdadeiro" gerente ligou na agência antiga e descobriu que o cartão estava lá.

Quando ele nos perguntou se queríamos que ele mandasse para a agência de Etobicoke ou para nossa casa o Sergio me olhou e eu disse:

- Vamos buscar agora!

Saímos de lá e fomos direto para Mississauga pegar o cartão de crédito do Sergio, porque o meu não está pronto e eles vão mandar em 10 dias úteis, ou seja, até o final do ano eu também vou ter meu cartão de crédito.

PS: quanto a clonagem eles aconselham a sempre alterar as senhas e tomar cuidado quando for digitá-las por aí. O que é interessante é que só usamos o cartão em lugares aparentemente seguros e geralmente nós passamos o cartão nas máquinas.

O ponto positivíssimo desta história foi a reação do banco: eles nos asseguraram de imediato que seriamos ressarcidos sem nos causar nenhum tipo de constrangimento. Imprimiram o extrato de nossa conta desde nosso primeiro dia aqui e nós só tivemos que olhar e ver o que não tinha sido comprado por nós. De certa forma foi até legal porque vimos todos os nossos gastos desde que chegamos. Assinalamos as operações " do nosso clone" e assinamos embaixo.

Então fiquem alerta: tomem cuidado quando forem fazer comprar com cartão de débito e quando marcarem alguma coisa comigo: eu posso mandar o meu clone me representar.

CN Tower

Pra fechar com chave de ouro nossa semana de City Pass nós fomos visitar a CN Tower. Chegamos lá pouco antes do pôr do sol e ficamos até umas 9:30. Não vou dizer que foi o lugar mais lindo que já vi, mas acho que vale muito a pena conhecer.

Minha dica é ir em um dia de céu bem limpo para apreciar o lindo pôr do sol e tem que ficar esperando o anoitecer para ver a cidade iluminada que fica ainda mais linda.

Lá em cima tem também um restaurante. Se vc fizer a reserva e claro, comer lá, não precisa pagar o ingresso e vai apreciar toda a paisagem sentadinho em sua mesa enquanto janta porque a torre fica girando. Pelo que nós vimos os preços não são muito salgados e algumas pessoas me disseram que a comida é boa.

Aug 22, 2009

Loucuras de fã

Todo mundo que me conhece sabe que eu sou fã apaixonada da banda Pearl Jam. Sabe aquelas doidas que tem todos os CD's e que se pudesse teria um poster bem grande dos rapazes (não tão rapazes assim) na parede do quarto??? Quando eles se apresentaram no Brasil eu fui ao show grávida de 34 semanas e fiquei frustradíssima porque não pude ir na geral.

Logo que chegamos no Canadá o Sergio viu uma propaganda minúscula na TV falando que eles iam se apresentar hoje, 21 de agosto, aqui no Molson Amphitheatre. Na mesma hora nós fomos tentar comprar os ingressos mesmo sem conhecer ninguem por aqui para ficar com as crianças, mas não conseguimos. Na ticketmaster estava esgotado.

Eu descobri no orkut uma outra empresa que vende ingresso pela internet mas acheio o preço abusivo e desisti completamente do show.

Então, hoje de manhã eu fiquei curiosa para saber onde fica este tal Molson Anphitheatre e resolvemos dar uma passada pela região pra conhecer. Quando eu vi a posição do palco tive certeza que daria pra ouvir o show da rua e lá fomos nós procurar um lugar para estacionar para podermos voltar a tempo de ver o show.

Foi uma epopéia que vou simplificar totalmente porque foi quase inacreditável o que fizemos, com três crianças pequenas a tira colo. Para nosso desespero a região tem varios tipos de programas para todas as idades e gostos: parque de diversões, barzinhos, danceterias, o proprio Molson e o lindo passeio beira mar (ou melhor, beira lago). Com um dia lindo como fez hoje não preciso dizer que o movimento era intenso e todos os estacionamentos estavam lotados.

Conseguimos uma vaguinha do outro lado da avenida: muito muito muito longe e fomos a pé até um lugarzinho estratégico perto do teatro. Claro que encontramos cerquinhas e alambrados pelo caminho e tivemos que dar voltas e voltas para conseguir atravessar uma via expressa e uma avenida parada pelo trânsito intenso.

Mas valeu a pena!!! Quando conseguimos chegar a apresentação da banda tinha acabado de começar e ficamos até a última música!!! Foi fantástico e estou na maior alegria porque pra quem não tinha nada até as 4 horas da tarde de hoje, até que eu me saí bem.

As crianças não conseguiram entender muito bem porque estávamos parados alí, ouvindo aquelas músicas que eles sempre ouvem sem ver nada muito interessante, rs. Mas apesar disso se comportaram super bem e deixaram que eu e mais alguns malucos que também foram pra lá, curtíssemos o show.

Bom, talvez eu não possa dizer que fui ao show do Pearl Jam em Toronto, mas com certeza eu posso dizer que vi o Pearl Jam se apresentar na cidade. Eu não fui mas estava lá!!! Dá pra entender a sutil diferença?

PS: Pra ser sincera, eu acho um absurdo comprar ingresso da mão de cambistas; sejam eles quem forem. Descobri inclusive que tem um site que faz parte do grupo da Ticketmaster e que aqui em Ontário estão querendo proibir a venda de ingressos por este site porque a Ticketmaster estaria colocando poucos ingressos a venda para depois ganhar mais dinheiro com a venda por este outro site.

Pelo menos agora já sei onde fica, já sei como funciona, os pontos estratégicos e quando não conseguir os ingressos eu sei que tenho esta outra opção. E nem preciso me preocupar em incomodar os amigos deixando as crianças.


Aug 21, 2009

Carão

Mesmo já tendo passado por várias saias justas com meus sobrinhos (quando eram pequenos) e agora com meus filhos, eu não aprendo que criança fala demais.

Depois do meu post sobre os bed bugs, nós começamos a fazer uma brincadeira familiar dizendo: "bye bye bed bugs!!!" toda vez que vemos coisas na frente das garagens sendo doadas. As crianças adoraram e ficam prestando atenção para dar bye bye.

A semana passada nós levantamos cedinho porque sabíamos que ia ter uma Garage Sale na nossa rua. Pegamos as bicicletas e fomos até lá dar uma olhada. Quando já estávamos bem próximos da garagem da mulher a Helena começa:

- Bye bye bed bugs!!! (acenando para as coisas que estavam espalhadas na calçada).

Eu corri até ela e cochichei (nem precisava porque eles não falam portugues, rs) que não podia falar isso na frente do dono das coisas porque eles iriam se ofender e bla bla bla.

Eu não sei se a mulher ouviu mas de qualquer forma eu estou tomando um pouco mais de cuidado com estas brincadeiras familiares, rs.

PS: Eu ainda não estou totalmente adaptada a esta cultura canadense de comprar coisas usadas. Ainda assim, nós compramos dois livros do Calvin que o Sergio sempre quis mas sempre achou muito caro no Brasil e ainda um atlas com um quebra cabeça que não tinha sido nem aberto. Tudo isso por $6.00 dolares.

E o pessoal aqui adora. O cara colocou um cartazinho na entrada da rua avisando; mais dois vizinhos colocaram algumas coisas pra vender tb; o movimento de carros estava grande e todo mundo comprando alguma coisa.

Aug 20, 2009

City Pass

Eu achei interessante falar do City Pass porque meus leitores são muito viajados e pode ser uma dica legal para várias outras cidades dos Estados Unidos, além é claro, de Toronto.

Ele funciona assim: vc compra pela internet ou nas próprias bilheterias das atrações o talãozinho do City Passa e tem direito as principais atrações da cidade escolhida. A vantagem é que vc conhece os lugares pagando quase a metade do preço.

O problema é que vc tem apenas 9 dias para usá-lo. É ideal para turistas que geralmente ficam pouco tempo na cidade. Para nós está sendo meio consativo mas vai valer a pena pela economia e depois podemos voltar aos lugares que acharmos que vale a pena.

Ontario Science Centre

Já deu pra perceber que tiramos a semana para passear, né? Na verdade nós fizemos o City Pass (como nos aconselhou a Cibele). Vou falar dele em outro post. O City Pass de Toronto dá direito a 5 atrações: ROM, CN Tower, Zoo, Ontario Science Centre e Casa Loma. Fica bem mais barato do que comprar os ingressos separados para cada uma das atrações mas em compensação vc tem apenas 9 dias para visitar tudo.

Hoje foi o dia do Ontario Science Centre. E mais uma vez eu sou obrigada a dizer que é o paraiso para quem tem criança!!! O Eduardo voltou encantado com tudo e já está pedindo para ir de novo.

O lugar é enorme e tem atividades para varias idades diferentes. Como já li algumas pessoas comentando, algumas coisas não estão funcionando, mas de uma maneira geral eu gostei bastante. Acho que tenho uma visão muito direcionada para criança pequena.

A grande dificuldade era conseguir tirar os três de cada sala onde entrávamos.

PS: um ponto muito positivo foram os banheiros que ficaram muito limpos durante todo o dia.

Toronto Island

Ontem nós fomos até as Ilhas da cidade de Toronto. Elas ficam bem próximas ao down town e o acesso a elas é feito via Ferry Boat. Carros não são permitidos e mesmo os moradores da ilha não possuem carro, sendo a maior comunidade urbana car-free da América do Norte.

É um passeio muito gostoso, em especial para quem tem criança, é claro, rs. Playground, areia, water playground, praia e muito espaço pra garotada correr!!! Além de varias atrações pagas à parte como pedalinho, aluguel de bicicletas, teleférico, etc.

Apesar de termos passado o dia lá, com direito a pic nic e tudo o mais, nós não chegamos a conhecer a ilha inteira e perdemos varias atrações. Portanto, em breve pretendemos voltar lá pra conhecer o resto.

Mesmo sendo um lugar com várias atrações para crianças, é também um excelente lugar para quem gosta de tranquilidade, de ficar de papo pro ar, caminhar ou andar de bicicleta. Para quem tem mais pique existe a possibilidade de chegar à ilha de caiaque ou barco. Não sei bem como funciona mas vi várias pessoas atravessando o lago.

PS: Não esqueçam o repelente porque tem muuuuuuito inseto no local.

PS2: Eu dei o maior fora da minha vida lá: fui levar a Helena pra fazer xixi e não sei bem o que aconteceu que respingou no pé da mulher que estava no box ao lado!!! Eu fiquei totalmente sem saber o que fazer e morrendo de vergonha. A mulher foi educadíssima e não disse nada. Eu saí logo para pedir desculpas mas ela já tinha desaparecido (acho que foi lavar o pé no chafariz!!!).

Portanto, quem tem menina pequena favor treinar bastante em casa para evitar este tipo de constrangimento, rs.

Aug 19, 2009

Aniversário do marido


Ontem, dia 18, foi o niver do Sergio. Infelizmente não pudemos comemorar como se deve porque tivemos varios contratempos durante o dia e ficamos meio estressados. Mas pelo menos conseguimos fechar o dia mais calmos e com esperança de um dia melhor para hj.

Esta foi a primeira vez que o Sergio passou o seu aniversário no verão e com um calor bem caprichado!!!

O Sergio não gosta muito de comemorar aniversários e geralmente não deixa que eu faça festa e convide as pessoas. Como o dia foi atípico eu acabei respeitando este desejo dele e acabamos apenas comendo um bolinho após o jantar (mas com direito a Parabéns a Vc, é claro!).

Eu sinto muito orgulho deste meu companheiro de 10 anos. Eu aprendi muitas coisas com ele e continuo aprendendo todos os dias. É muito legal ter alguem tão aberto para poder conversar e discutir as coisas. Alguém que me protege e que está sempre ao meu lado; mesmo quando eu estou errada, rs.

O Sergio participa de tudo ativamente e faz questão disto; está sempre presente nas minhas coisas e na vida das crianças e conhece cada detalhe, cada história, cada pormenor de tudo o que tem acontecido com a gente nestes 10 anos e que aconteceu na minha vida antes de conhece-lo.

Pode parecer estranho mas nós dois conversamos abertamente sobre tudo o que vivemos até hj; falamos sobre outros relacionamentos, contamos e recontamos todas as histórias e conseguimos até criar no outro um certo carinho em relação às pessoas que passaram pela nossa vida e nos fizeram bem de alguma forma.

Quem vê o Sergio falando de alguns namorados que eu tive, pensa que ele os conheceu e foi amigo deles, rs.

Acho que uma coisa que faz a nossa relação dar muito certo é que também não sentimos ciúmes do passado e confiamos no outro no presente. Discutir a relação definitivamente não é um problema para nós dois e o tempo todo estamos falando sobre nosso casamento, nossos filhos e nossa vida de uma maneira geral. Ainda que nas discussões os dois sempre tenham razão, conseguimos pensar no assunto e tentar melhorar quando a cabeça esfria.

As vezes nós brincamos que temos uma empresa juntos: eu a chamaria de Sociedade Matrimonial Sergio e Marilena (SMSM). Nós estamos sempre planejando a nossa vida, o que vamos fazer, onde pretendemos estar daqui a alguns anos, como pretendemos educar as crianças. E não temos medo de observar os exemplos que as outras famílias nos dão (tanto os bons quanto o que não queremos seguir de jeito nenhum).

Na nossa empresa nós aprendemos a observar as situações e muitas vezes nem precisamos falar nada pra saber o que o outro está pensando. Temos uma cumplicidade muito grande e além de muito amor e amizade, uma grande paixão!

Ontem também completamos 5 meses de Canadá (ou será que foram 5 anos???!!!). Muita coisa aconteceu neste tempo, né querido? Algumas não saíram exatamente como nós planejamos e outras acabaram ficando melhores do que a encomenda. Apesar das dificuldades acho que ainda estamos no caminho certo e está valendo muito a pena. Obrigada pela sua amizade e seu amor incondicionais e me perdoe pela minha falta de paciência e pela minha exigência extrema. Eu juro que estou tentando melhorar e que me empenharei bastante nos próximos 50 anos.






Aug 17, 2009

Casa Loma


Hoje foi o dia de conhecer a Casa Loma: um dos pontos turísticos da cidade de Toronto. O casal Henry e Mary Pellatt eram os proprietários e as obras começaram em 1911. O lugar é lindo e a casa mais se parece um castelo. O nome Casa Loma significa em espanhol "casa no topo da colina" e custou na época mais ou menos 3,5 milhões de dolares.

Eu particularmente acho o valor do ingresso um pouco caro demais pela atração: $18.00 para adultos e $14.00 para crianças a partir de 4 anos. De qualquer forma eu sempre acho que vale a pena.

As crianças gostaram muito e quiserem explorar cada cantinho da casa. Fazia tempo que eu não subia tantas escadas!!! Tem uma parte no terceiro andar onde tem umas coisas relacionadas às grandes guerras e que eu achei que não tinham muito a ver com a casa. Mas adorei a parte de arquitetura, os salões, os quartos, os móveis. Tinha uma sala muito bonita, muito bem decorada que até parece um pouco com alguns móveis que vemos pra comprar por aqui, rs.

As camas me pareceram tão pequenas que eu acho que o Sergio ficaria com os pés pra fora, rs. E eu me apaixonei pelo orgão no andar principal. Sabe aquele tipo de pipe organ (não sei o nome em português) muito comum em algumas igrejas. Em São José do Rio Preto tem um destes na igreja Matriz e eu acho lindo!!!

A biblioteca também era maravilhosa. Tudo bem que tem muitos livros de mentira (estatuas como disse o Sergio, rs) e provavelmente os livros que estavam lá não eram da época, alem disso a sala está sem moveis, mas deu pra imaginar como era maravilhosa nos áureos tempos. E a biblioteca abre para um jardim de inverno que também devia ser maravilhoso.

Os tetos são uma coisa à parte. É claro que não dá muito pra saber o que é original e o que foi feito depois, mas de qualquer forma tem uns lustres enormes e o teto todo trabalhado.

Segundo a história, o senhor Henry tinha dois terrenos, um de cada lado da rua e a prefeitura não permitiu que ele fechasse a rua para interligar os dois e então ele construiu um túnel para interligar os dois terrenos. O túnel é bem longo e alem de escuro, é bem úmido. É impossivel não tentar assustar seus companheiros lá dentro. Eu li um monte de gente falando de vozes e passos que ouviram lá dentro mas eu na verdade só ouvi a minha imitação de coyote, que as crianças morrem de medo mas adoram, rs.

Do outro lado do tunel tem o antigo estábulo e um outro lugar onde parece que ele cuidava das plantas. Alem do local onde era feito o aquecimento da casa. A casa ainda tinha no basement uma piscina coberta (que está vazia, é claro) e uma adega bem mediocre pelo tamanho da casa, rs.

Pra finalizar demos uma volta pelo jardim e eu já exausta comecei a implorar para irmos embora, rs.

Não vou dizer que seja um lugar para se voltar várias vezes mas acho que sempre vale a pena conhecer. Nem que seja pra pensar na ostentação daquela casa na época em que foi construída, rs.


Aug 16, 2009

Royal Ontario Museum

Hoje nós passamos a tarde no ROM (Royal Ontario Museum) e foi simplesmente Maravilhoso!!! Eu sou apaixonada por Museus; sempre gostei e quando era solteira não perdia uma oportunidade para dar uma passada no MASP, na Bienal ou nos Museus dentro da Cidade Universitária. E tinha uma atração pela palavra EXPOSIÇÃO!!!

Na minha lua de mel, eu tive o privilégio de ir para Paris e passar tb alguns dias na Suíça e na Itália e então tive uma overdose!!! Ai que saudade (em pensar que tem uma blogueira querida indo para Paris por estes dias!!!)!

Quando o Eduardo nasceu eu achei erroneamente, que minha peregrinação por museus iria sofrer uma redução drástica e na verdade eu passei o primeiro ano de vida do Edu bem afastada destes passeios culturais. Mas então tivemos que ir para os Estados Unidos, algumas oportunidades imperdíveis apareceram e lá se foi o Eduardo peregrinar conosco. Foi só aí que eu percebi que criança pode sim combinar muito bem com museus.

Hoje foi nossa primeira experiência sozinhos com os três, mas pra variar foi muito divertido para todo mundo e as crianças adoraram.

Primeiramente nós fomos ver os Manuscritos do Mar Morto, que por si só já teria valido a pena. Foi muito interessante ver o lugar onde os manuscritos foram preservados da ação do tempo, como foram encontrados e ver a mesma história sendo contada em tempos diferentes, mas do mesmo jeito, ou de forma muito parecida. Sabe que eu até me emocionei?

O que as crianças mais gostaram foi dos dinossauros. Apesar de gostar muito de dinossauros e ter muita curiosidade em relação à vida deles e como se extinguiram, eu não sou apaixonada por ficar vendo ossos, mas o Edu não queria perder nada e foi de esqueleto em esqueleto. Mas eu adorei os fosseis encontrados em rochas e colocados ao lado e animais atuais.

Outra coisa que foi um sucesso foram as mumias: eu fiquei brincando com as crianças que íamos ver as mumias e corria atras deles, mas imaginei que só teriam os caixões... Quando dei de cara com uma múmia de verdade Eu quase saí correndo, rs, mas mantive a pose! Foi dificil convencer o Edu que aquela era mesmo uma pessoa morta. Mas ele encarou com naturalidade.

As crianças se divertiram muito escavando ossos na areia como se fossem arqueólogos e vendo os grandes mamíferos empalhados. O Eduardo até segurou uma barata enorme do Chile na mão: blargh!!!

Eu senti um pouco de falta de pinturas; não tinha muitas coisas. Eu adoro pinturas!!! Mas valeu muito a pena e o preço do ingresso que eu acho meio salgado.

Saímos de lá praticamente expulsos porque não atendemos ao dois avisos iniciais e eu já estou pensando por onde quero começar da próxima vez que for lá.

Aug 13, 2009

Teste do pezinho

Vou aproveitar a "lua de mel" pra continuar puxando o saco do Canadá. Agora vou falar do governo de Ontário!!!

Meus amigos Elaine e Cláudio acabaram de receber a visita da cegonha que trouxe o lindo Gabriel para eles. Eu não posso ver mulher grávida que já fico saudosa... minha sorte é que meu marido é mais pé no chão e já tem uma lista completa de contras para uma nova gravidez, rs.

Então, procurando coisas sobre bebês, descobri que todo bebê que nasce em Ontário tem direito ao exame do pezinho ampliado no qual eles avaliam a criança para 28 doenças.

Assim, meus amigos não precisam se preocupar em fazer exames adicionais e pagar uma fortuna por eles. O governo já fez isso e eles terão a chance de detectar qualquer problema logo no início.

Além disso o governo disponibiliza um questionário totalmente gratuito para vc avaliar o desenvolvimento do seu filho desde o primeiro mês de vida até os 6 anos. Esta dica nota 10 eu tb peguei no blog da Denise e estou ainda pesquisando porque não consegui fazer o meu, rs. De qualquer forma eu acho que o post dela está imbatível e merece ser lido.

Pediatra


O triste de ter um marido blogueiro é que ele vai copiando os posts da gente, rs...

Mas, agora falando sério, uma das nossas grandes preocupações aqui no Canadá sempre esteve relacionada com a saúde das crianças. Eu sei que não dá pra comparar o sistema público de saúde do Canadá com o Sistema privado do Brasil (é até injusto), mas como nossa mudança foi sempre pensando nas crianças, nós sempre tivemos medo de diminuir demais a qualidade em relação ao que eles tinham no Brasil.

Poucas semanas após nossa chegada aqui tivemos uma experiência terrível com um médico asqueroso e mal educado e desde então eu fiquei me questionando como seriam as coisas por aqui.

Eu já pesquisei muito e já conversei com várias pessoas, muitas com crianças, e sei que os médicos de família estão preparados para atender crianças, acompanhar o desenvolvimento delas e que em casos mais sérios eles encaminham para pediatras. Mas eu queria um pediatra cuidando deles e então coloquei os meus "contatos" em alerta para me ajudar a encontrar um, rs.

A princípio eu cheguei a acreditar que o pediatra seria o nosso médico de família, rs, mas conversando por aí e com as dicas da Denise em seu blog maravilhoso eu descobri que as crianças podem sim ter pediatra como no Brasil, ou pelo menos muito parecido. O dificil é encontrar alguem disponível, mas aí é outra história.

Então, nós conseguimos encontrar uma pediatra brasileira e super gentil e delicada. Se não bastasse isso, ela ainda foi aluna do nosso pediatra do Brasil e segue uma linha bem parecida com a dele. Tudo bem que o consultório dela é meio longe daqui, mas pelo que conversamos isso não vai alterar muito a nossa rotina porque as coisas aqui funcionam um pouco diferente.

No Brasil o nosso pediatra estava sempre com o BIP, 24 horas por dia e qualquer problema que eu tinha, ligava primeiro para ele e então nós decidíamos juntos o que fazer. Dependendo do problema ele nos mandava para o consultório, ou para o hospital e seguia para lá, ou nos mandava para o hospital e ligava lá pra saber, ou, simplesmente eu aguardava para ver como as coisas iriam evoluir. Não tenho como negar que era uma mordomia gigantesca e uma tranquilidade enorme (mas que custava caro!!!).

Aqui a pediatra acompanha a criança nas consultas de rotina e quando eu tiver algum outro problema ou dúvida, ligo para o consultório e ela (ou a outra pediatra que atende lá) vai me orientar. Se o problema ocorrer fora do horário de funcionamento da clínica, eu levo a criança para um Walk-in Clinic e caso esta tb esteja fechada, eu levo para um Hospital.

Nosso pediatra no Brasil não gostava de dar vacinas no consultório, então tinhamos que procurar uma Clínica de vacinação em outro lugar. Aqui as vacinas são feitas pela própria pediatra. O governo manda as vacinas do calendário e ela aplica durante a consulta.

Ela só não tem no consultório aquelas vacinas que não fazem parte do calendário obrigatório (como a hepatite A que a Luísa vai tomar). Neste caso, eu compro a vacina em uma farmácia e no mesmo dia vou ao consultório para ela fazer a aplicação.

E existem aquelas vacinas novas e "super poderosas" que o governo ainda não colocou no calendário e que portanto são pagas. Nesta caso é só avisar a ela e ela aplica pelos valores módicos que estas vacinas têm, rs.

O sistema de saúde canadense pode não ser tão bom quanto o sistema privado do Brasil, mas duvido que alguém aqui morra na fila por falta de atendimento. Neste ponto eu fico muito tranquila, mesmo quando ouço relatos de horas de espera em hospitais.

Para as crianças o problema está resolvido e estamos muito mais tranquilos agora. Falta apenas encontrar um médico de família para mim e para o Sergio. Mas se as crianças estão bem, para nós fica tudo muito mais fácil.

Aug 12, 2009

Regras e mudanças de habito


O Canadá é o país das regrinhas: pra tudo existe uma regra que deve ser seguida e o que mais impressiona é que geralmente as pessoas seguem mesmo!!!


Aqui em Toronto as pessoas não separam o lixo porque têm consciência ecológica ou se preocupam com o futuro da humanidade. Muitas até o fazem por consciência mas na verdade somos obrigados a separar o lixo. Os proprietários pagam uma taxa pelo lixo que produzem e se a prefeitura de alguma forma perceber que vc está produzindo mais lixo do que o que paga, eles aumentam a sua taxa. Da mesma forma se vc colocar lixo no lugar errado, não fizer a separação correta e/ou colocar coisas proibidas no lixo vc é multado e pode inclusive ser excluido do serviço de coleta. O seu lixo tem que caber no container destinado a ele e se vc tiver excesso daquele tipo de lixo tem que colocar uma etiqueta fechando o saco para mostrar que é lixo em excesso. Detalhe: uma cartela com 5 etiquetas custam em torno de $15.00.


No início é meio chatinho ficar separando tudo, até porque algumas regras são meio "estranhas", mas com o tempo as coisas ficam meio lógicas e entram no automático. Hoje eu quase nem paro pensar onde tenho que jogar o que.


Outra lei que temos em Toronto é referente às sacolinhas de supermercado. Os supermercados não podem mais fornecer sacolinhas de graça e então pagamos 5 centavos por cada sacolinha plástica que utilizarmos. É claro que a maioria das pessoas acaba não usando as ditas cujas. O NO FRILLS geralmente deixa caixas de papelão perto dos caixas para usarmos após as compras e todos têm sacolinhas recicláveis para vender. Nós compramos duas cestas para deixar no carro e no dia das compras usa-las para colocar tudo. E aos poucos estou pegando o hábito de levar minha sacolinha reciclável personalisada (ganhei do Edu no dia das mães do ano passado, rs) pra todo lado.


As placas de STOP também são incríveis!!! Todo mundo está tão condicionado que realmente pára quando vê a placa. São poucos os motoristas aqui em Etobicoke que não respeitam o STOP (tem que parar completamente) e o Right of the way (dar a preferência para quem chegou primeiro no cruzamento).


E a velocidade? As vezes as ruas são largas, sem movimento algum, planas e perfeitamente asfaltadas e temos que andar a 40Km/h. Em Etobicoke temos muitas destas e todo mundo respeita. Sem contar que os pedestres sempre têm a preferência e o pessoal não se inibe: atravessam a rua sem sequer olhar para o lado.


É impressionante como vamos nos acostumando com as coisas e após um mês em Toronto e quase 5 de Canadá eu já faço estas coisas automaticamente. Aqui eu faço as coisas sem me sentir obrigada porque sei que de alguma forma estou realmente cooperando para o bem comum e sei que muitas outras pessoas estão cooperando também.


Esses dias fomos ao parque e vimos que um brinquedo estava quebrado. Em um dos brinquedos tem um telefone para solicitar consertos e pelo jeito a coisa funciona super bem porque dias depois nós voltamos lá e o brinquedo já estava consertado. A conservação deste parque é feita pelos próprios frequentadores que mais ou menos uma vez por semana fazem um mutirão para limpar tudo. Não dá vontade de participar? E mais vontade ainda de conservar o que os outros estão fazendo.


Neste ciclo, o governo está fazendo a parte dele, os cidadãos fazendo a parte deles e todo mundo usufruindo de um parque organizado e um bairro limpo; e LINDO diga-se de passagem!!!

Aug 11, 2009

Moda canadense

Eu ainda não me acostumei totalmente com a moda por aqui. Eu bem que tenho procurado mas ainda estranho um pouco algumas roupas que encontro nas lojas, sem contar a dificuldade com a numeração.

Comprei uma calça da Levi's número 2 que caiu como uma luva. Hoje experimentei varias calças número 3 e todas ficaram justíssimas!!! Ou seja, vou ter que descobrir a numeração de cada marca. Por outro lado é maravilhoso encontrar calças de vários comprimentos diferentes, porque sempre sofri com calças que eram de tamanho pequeno mas curtas pra mim.

Também estou encontrando problemas com as calcinhas!!! As vezes eu olho os manequins nas lojas e os modelos são lindos, mas a parte de trás sempre é enorme!!! Pelo visto não tem muita opção: ou vc usa calçola ou fio dental e eu detesto os dois tipos. Hoje eu comprei um modelo diferente que parece um shortinho e vou testar pra ver se fica um pouco mais confortável. O único problema é que é da Hello Kit!!! A Helena adorou e fez a maior propaganda pra eu comprar, rs.

Agora a grande dificuldade que tenho encontrado é em relação às roupas para as crianças. Mesmo estando dentro das curvas de normalidade dos pediatras (brasileiro e canadense, rs) meus filhos não usam roupas nas numerações indicadas para as idades deles, especialmente para calças e saias.

Apesar de ser altinho, o Edu é muito magro e as calças de número cinco ficam gigantescas mesmo quando dá pra apertar a cintura. A Luísa, mesmo com fralda, tem que usar calça número 1. Mas meu grande problema está sendo encontrar calça para a Helena. O número que fica bom no comprimento é o 1 mas as calças ficam enormes porque ela alem de ser magrinha não usa mais fralda. Eu fico com pena porque ela experimenta várias calças e eu acabo não comprando nenhuma!

Se alguem conhecer alguma marca de calça jeans legal para criança, estou aceitando sugestões, rs.

Aug 10, 2009

São as águas de agosto fechando o verão?

Para me redimir das reclamações em relação às temperaturas deste verão eu sou obrigada a vir aqui dizer que hoje estamos cozinhando por aqui. Após uma tempestade que nos deixou algumas horas sem energia elétrica, os termômetros resolveram mostrar que também funcionam acima dos 26 graus.

O bom é que não está aquele sol de rachar e então as crianças podem ficar mais à vontade no quintal. Após o almoço vamos fazer alguma coisa lá fora para ver se eles se acalmam um pouco porque tenho a impressão de que o calor os deixou um pouco mais acesos do que o normal e estão colocando a casa de pernas para o ar.

Ontem a noite caiu o maior temporal que já vi. Na hora da chuva estávamos no Tim Hortons tentando comer um lanche. É claro que na nossa vez a luz acabou e ficamos um tempão lá esperando porque nem podíamos comprar nada, nem podíamos sair da loja por causa da chuva.

Juro que nunca vi tantos raios seguidos na minha vida!!! Após mais de uma hora fomos obrigados a pedir qualquer coisa para comer porque as crianças já estavam com fome. Comemos donuts e tomamos suco (que a dona da loja nem cobrou). Quando saímos ainda chovia forte e depois de chegar em casa (no escuro) ainda ficamos um tempão na sala vendo o relâmpagos.

A vantagem do chuveiro a gás é que mesmo sem energia elétrica temos água quente, em compensação o fogão elétrico nos deixou sem comida quentinha. O jeito foi esquentar o leite das crianças com a água quente (uma eternidade, rs).

Como lanterna nós usamos uns brinquedinho que as crianças ganharam uma vez no Mc Donald's porque me lembrei que apesar de já ter comprado velas ainda não comprei fósforos. As lanternas improvisadas acabaram virando um divertimento para as crianças e foi ótimo para elas não sentirem medo, mas também nos conscientizamos de que um kit de emergência é essencial por aqui.

Aug 8, 2009

Bed Bug

Na sexta-feira apareceram dois colchões na frente da minha casa. Os colchões estavam aparentemente novos e quando passou o caminhão que recolhe móveis usados eu fiquei com pena de ver os colchões sendo destruídos nele. Fiquei pensando nas pessoas que não têm quase nada enquanto um monte de móveis em bom estado estão sendo destruídos.

Mas quando comentei com meu amigo Ricardo sobre os colchões descobri algo que nunca tinha passado pela minha cabeça: o Bed bug que são pequenos insetos que sugam o sangue de humanos e outros animais de sangue quente.

Se não me engano, no Brasil, estes bichinhos são conhecidos como persevejos. Pelo que tenho lido existe um sério problemas com os bed bugs na América do Norte. Eles infestam principalmente colchões e sofás mas podem se esconder em qualquer lugar, incluindo nossas roupas. São mais comuns em hoteis e casas que alugam quartos, ou seja, em locais com grande rotatividade de pessoas. E as pessoas que moram em casa infestadas podem facilmente estar espalhando esta "praga" por aí, nos transportes públicos por exemplo.

Pessoas que viajam muito aumentam as chances de trazerem uma infestação para dentro de casa.

Em todos os sites que li, dentre as maneiras de se prevenir , eles aconselham a tomar cuidado com moveis usados. Muitas vezes as pessoas jogam as coisas fora porque apresentam uma infestação de bed bugs e outras pessoas pensam estar fazendo um grande negócio quando na verdade estão levando um grande problema para dentro de casa.

Eles também aconselham a tomar cuidado com hoteis, pensões, albergues, etc. Jamais levar o proprio travesseiro para estes lugares e nem trazer nada de lá e ao retornar para casa lavar todas as roupas em água quente: acima de 50°C. Também deve-se tomar cuidado com bolsas, sacolas e malas evitando colocá-las sobre as camas ou outros moveis de tecido.

Bom,acho melhor eu mudar de assunto porque já estou sentindo o corpo todo coçando...

Aug 6, 2009

Aniversário da Luísa


Ontem, dia 06, foi o aniversário de 2 anos da Luísa. Nem acredito que meu bebezinho já está se tornando uma menininha. O tempo tem passado muito rápido e o desenvolvimento dela está a milhão.

Desde que chegamos ao Canadá a Luísa aprendeu muita coisa: já come super bem, adora frutas e legumes, está naquela fase gostosa em que a criança repete tudo o que ouve e acompanha os irmãos em tudo.
A Helena é sua grande amiga de brincadeiras e de uma maneira geral as duas se dão muito bem. De vez em quando saem algumas briguinhas mas ela não é de fugir, geralmente enfrenta as situações mesmo sabendo que eles são mais fortes.

Apesar de parecer meio seria em ambientes estranhos, a Luísa é uma fogueteira: adora uma bagunça e em casa é muito risonha e carinhosa. Adora abraços apertados e cochichos no ouvido, rs.

Já está indo sozinha para a cama, praticamente come sozinha (apesar da sujeira que faz) e adora escovar os dentes sozinha. Tem dias que pensa que já é grande e quer se vestir sozinha também, isso quando não quer escolher a roupa!! Começamos os treinamentos para deixar a fralda, mas eu não forço nada. Sempre pergunto se ela quer colocar uma calcinha (o que significa que ela ficará sem fralda) e respeito se ela diz que não. Esta semana ela quis quase todos os dias. Aos poucos ela vai pegar o espirito da coisa, rs.

Por ela ser a caçulinha eu sempre me questiono se não estou mimando-a demais. De vez em quando me pego deixando-a fazer coisas que os outros dois não faziam. A Helena, por exemplo, ia para a cama as 8:30 junto com o Edu. Já a Luísa podia dormir aqui no sofá e só depois eu a levava para a cama.

Eu e o Sergio temos conversado bastante a respeito destas diferenças e aos poucos estamos colocando as coisas nos eixos. Desde a semana passada eu comecei a coloca-la para dormir junto com os outros dois. Faço todo o "ritual do sono" e ela vai pra caminha dela ao lado da Helena. Para minha surpresa ela não teve nenhum problema para dormir. Ao contrario: não chorou, não reclamou, veio para a sala algumas vezes mas me acompanhou de volta tranquilamente e não voltou mais.

Há coisas na vida da gente que não têm explicação e se formos pensar a respeito ficamos loucos. A vinda da Luísa talvez seja uma destas coisas. Nós queríamos muito o terceiro filho e eu sofri um aborto espontâneo um mês antes de engravidar da Luísa. Quando voltei ao meu médico dizendo que estava grávida, ele não acreditou. Disse que era impossivel e que deveria ser algum descontrole hormonal ou "resquício" da gravidez perdida. Mas não era: era a minha Luisinha que estava chegando.
Hoje não consigo imaginar minha vida sem esta gracinha de menina que nos enche de orgulho e felicidade.


Aug 5, 2009

Update da novela


O bom é que a minha novela parece ser daquele estilo em que os conflitos se resolvem no mesmo capítulo e não no final da novela.

Depois de escrever no blog eu acabei ligando para o dono da casa porque na verdade não sabia direito como funcionavam estas coisas. Ele disse que viria aqui no final da tarde para conversar com elas.

Acontece que ontem armou o maior temporal aqui em Toronto e eu não tive coragem de deixar aquela sujeira espalhada no quintal: imaginem como ficaria depois da chuva!!! Então, me muni de coragem e limpei tudo. Quando fui colocar o lixo nos containers tive uma grande surpresa: o lixo comum estava cheio de material orgânico aberto e consequentemente cheio de larvas de mosca. Alem de não separar o lixo a pessoa também não fechava o saquinho. Tinha sacolinhas de papelão que foram usadas como lixeira no banheiro!

Eu sei que é nojento mas acho legal escrever para as pessoas saberem mais ou menos como as coisas funcionam e não caírem nestas "armadilhas" da preguiça.

Diante daquela cena escabrosa, eu esperei as duas chegarem e mostrei o estrago pra elas e então expliquei simplificadamente que o lixo organico NAO PODE ser colocado no container preto. Em seguida liguei para o dono da casa e expliquei que já tinha resolvido o problema e que ia passar um material sobre o lixo em Toronto para a nova moradora.

Durante a conversa ele me falou de umas taxas mas eu não entendi direito do que ele estava falando e só fui entender agora atraves do comentário da Luciana (obrigada, Lu).

O proprietário da casa paga uma "taxa do lixo" (quem é de São Paulo se lembra da Marta, né?) de acordo com a quantidade de lixo que produz e pode ser multado se o lixo não for separado corretamente.

Eu recebi do proprietário um calendário com os dias que o lixeiro passa (quintas-feiras) e qual lixo deve ser colocado. Os orgânicos são recolhidos toda semana e os outros dois containers, a cada 15 dias. Alem disso recebi um outro folheto explicativo com o tipo de lixo que deve ser colocado em cada um (detalhado, com desenho e tudo) e o site da prefeitura ainda fornece informaçoes em varios idiomas. Ou seja, só não participa quem realmente não quer ou não tem interesse.

No predio onde eu morava o lixo não era tão separadinho, até porque em Mississauga o programa é diferente. Ainda assim nós descobrimos que podiamos separar o reciclavel e levar no estacionamento do terreo (muito mais trabalhoso do que o que tenho que fazer agora.
Para tentar resolver os problemas com os guaxinins, nós colocamos tijolos sobre os containers. Segundo a canadense se eles tentam abrir e não conseguem eles não voltam mais (assim espero).

Mais informaçoes aqui e aqui. Eu sempre estou dando uma olhada, não só em relação ao lixo mas em relação a varias outras leis e regras que temos que seguir aqui na cidade e muitas vezes não entendemos pra que servem.
Em pensar que tudo isso só porque um guaxinim veio nos visitar.

PS: atendendo a pedidos uma das meninas é canadense e já morava aqui desde março e a outra se mudou na mesma semana que eu e é uruguaia. A uruguaia está no Canadá há 8 meses.

Aug 4, 2009

Dividindo o quintal: a novela


Em São Paulo são muito comuns aqueles cortiços onde varias famílias dividem o mesmo quintal. Não é raro ver brigas neste tipo de moradia e a gente fica pensando: "ô gentinha"!!! Mas na verdade não é nada facil!!! E eu duvido que nos prédios de luxo as pessoas não se estranhem de vez em quando.

O fato é que pela primeira vez na minha vida estou morando em um "cortiço" e tenho tentado com todas as minhas forças não sair pra baixaria. Exageros à parte, as meninas são ótimas e tenho certeza que eu as incomodo mais que elas a mim, mas de vez em quando precisamos rediscutir a relação.

Para quem não sabe o lixo aqui em Toronto é todo separado. Temos três containers de cores diferentes para cada tipo de lixo: verde para orgânico, azul para o reciclável e preto para o lixo comum. O que é interessante é que todo lixo de banheiro deve ser colocado no latão verde, de material orgânico.

A semana passada um guaxinin resolveu virar meu latao de lixo organico; ele ou eles fizeram uma bagunça enorme no lixo e eu limpei tudo no dia seguinte. Por sorte ele não abriu o lixo das fraldas, até porque a comida dos outros sacos eram mais interessantes, rs.

Não sei porque motivo esta semana o nosso latao de lixo comum esta cheio e não cabe mais nada lá dentro. Então, uma das minhas companheiras de cortiço colocou o saco em cima do latão. Acontece que no saco tinha um monte de "lixo de banheiro" e acho que já da pra imaginar o estrago que fez no quintal.

O raccoon aparece sempre de madrugada o que significa que quando as moçoilas sairam o lixo já estava espalhado e ninguem "viu".

Eu juro que tenho feito o meu melhor para que a nossa relação seja a mais amigável possivel. Eu converso, me ofereço para ajudar no que posso, respeito a privacidade delas ao máximo e faço o possivel para não incomoda-las com o barulho. Já limpei até cocô de cachorro que o raccoon espalhou, sem reclamar.

Agora, juntar papel higiênico e absorventes sujos porque a pessoa ficou com preguiça de separar o lixo eu acho um pouco demais.

O duro é que fico naquela situação super delicada porque não quero dar bronca nelas mas também não posso deixar passar. Agora estou aqui na maior duvida se ligo ou não para o meu "supervisor" (dono da casa). Justamente hoje que eu preciso dele, ele resolveu não aparecer por aqui!!!

Aug 3, 2009

High Park


Este é sem dúvida nenhuma um dos nossos lugares preferidos aqui em Toronto. A primeira vez que fomos ao High Park foi para conhecer a Camila. Em seguida nós fizemos um pic nic com a Mirela, Mauro e crianças e Gean, Denise e crianças. Neste feriadão nós fomos conhecer Silvia, Fernando e crianças (se bem que a Fernanda já não é tão crianças assim, rs). Não preciso dizer que adoro ir neste park!!!

Também foi lá que vi pela primeira vez um Raccoon (ou guaxinim, em português); um não, era uma família inteira pois tinham dois adultos e três filhotinhos. Infelizmente não consegui fotografar porque passou um carro quando eles estavam atravessando a rua e os assustou. Depois disso a gente sempre dá uma passadinha pelo park para ver se os encontra de novo!!!

O High Park é muito bem localizado e de fácil acesso pelo TTC ou de carro. Eu ainda não conheço tudo mas sei que tem pelo menos dois playgrounds, um mini zoo, mesinhas para pic nic (alguns lugares precisam ser reservados), tem lanchonete, vários banheiros (sujinhos mas sempre tem papel higiênico, rs), ciclovias, quadras de tenis e campos de futebol (não sei se precisa reservar para usar) e muita área verdade para caminhar, brincar com a criançada ou simplesmente ficar pensando na vida.


É neste parque que fica a "Folha do Canadá"; um canteiro no formato da folha simbolo daqui onde eles plantam flores vermelhas. Este "canteiro" fica em uma parte baixa do parque e dá pra ve-lo do alto;muito bonito. E olhando aquele "barranco" gramado dá vontade de descer rolando (coisa que as crianças fizeram mas eu não tive coragem, rs.).

Apesar de morar ao lado do Centennial Park, sempre que pergunto para as crianças em que park eles querem ir, eles respondem:


- Vamos ao High Park?

Talvez seja porque eles têm medo dos coyotes... mas está é uma história para outro post.

Aug 2, 2009

Crystal Beach


Já faz um tempo que estou querendo fazer uma lista de lugares que visitamos e gostamos . Pra variar sempre digo que não tenho tempo!!!

Então vou inaugurar os posts de lugares para onde fomos e gostamos, falando de Crystal Beach aqui na província de Ontário onde passamos um dia maravilhoso na companhia de amigos queridíssimos (o casal Claudio e Elaine com sua filhinha Natalia e o casal Cristina e Ricardo com a Sara).

Esta "praia de lago" fica a noroeste do Lake Erie, um dos 5 Grandes Lagos que ficam na América do Norte entre o Canadá e os Estados Unidos. Ela faz parte da Cidade de Fort Erie, Ontario. Eu ainda não encontrei a distância exata desta praia partindo de Toronto mas nós estimamos mais ou menos uns 150 KM.

É uma praia de areia clara e muito fofa, com água rasinha e excelente para crianças pequenas (um verdadeiro laguinho!!!). Infelizmente não tem muito como se esconder do sol, rs. A poucos metros da entrada da praia tem um estacionamento grande onde são cobrados $3.00 sem limite de tempo. Por sorte nós conseguimos encontrar uma mesa dando sopa e fizemos a nossa "farofa" ali mesmo no estacionamento antes de ir para a praia.

A entrada é feita por um "portãozinho" e tem um segurança verificando as sacolas e bolsas porque para quem não sabe, é proibido entrar com bebidas alcoólicas em praias e parques aqui no Canadá, Estados Unidos e alguns países da Europa (eu apoio esta idéia, rs).

É um lugar ótimo para famílias com criança pequena; eles se divertiram muito tanto na água que estava gostosa, como na areia fofa.

Pontos negativos:

Um dos problemas foi a falta de banheiros; não encontramos em nenhum lugar por perto!!! Eu sei que no Brasil não é comum ter banheiro na praia, mas faz falta, né?

E prepare-se para o trânsito porque foi infernal na ida e na volta, mesmo tendo pegado a estrada depois das 10 da noite!!!

O que acabou acontecendo foi que chegamos tarde, almoçamos no estacionamento e chegamos na praia umas 4 da tarde e assim pudemos deixar as crianças bem à vontade até umas 8:30 da noite. Depois fizemos um lanche e pegamos a estrada (lotada e parada, rs).

Este foi um fechamento de viagens de verão para a Elaine que está no finalzinho da gravidez do Gabriel e não vai poder sair muito nos próximos meses. Espero que tenha valido a pena todo o sacrificio pelo qual ela passou.

Aug 1, 2009

Telma

Hoje eu conversei pela primeira vez desde que vim pra cá com a Telma. Esta moça super simpática e jovem, que assim como eu tem três filhos lindos, trabalhou na minha casa por mais ou menos 1 ano e meio e me ajudou muito nos últimos meses de preparação da nossa vinda, sempre torcendo por nós, sempre nos dando força, sempre carinhosa e gentil.

Quando o Sergio saiu do trabalho teve a oportunidade de conviver mais com ela e assim a familia inteira sente muita a sua falta. Foi muito bom conversar com ela e ver que ela continua com a mesma garra, correndo atrás das coisas e tentando melhorar sempre.

Aos 33 anos, ela terminou agora o ensino médio, trabalhando muito e tendo que estudar à noite. Ela conseguiu um emprego na creche onde o filho mais novo fica e está sonhando com a faculdade. Estava toda animada porque vai fazer o Enem este ano e eu fiquei super feliz de ver quantas coisas boas aconteceram na vida dela nestes quase 5 meses.

Eu pude acompanhar o esforço dela neste período em que trabalhou para mim. Imaginem que eu morava no Jaguaré (zona oeste) e ela em Parelheiros. Pra conseguir chegar em casa as 8:30 ela tinha que sair de madrugada da casa dela e as vezes o tempo do bilhete único expirava no meio do caminho. Mesmo morando longe, mesmo com três filhos, mesmo estudando à noite, ela sempre foi muito responsável e nunca me deixou na mão sem um motivo justo.

Mais do que a pessoa que trabalhava lá em casa, a Telma se tornou minha amiga, conversávamos horas e horas e aprendemos muitas coisas uma com a outra.

Eu sempre torço muito por ela e sei que ela ainda vai conseguir muitas outras vitórias. A Telma é um exemplo a ser seguido por todos nós. Ela certamente teve bem menos oportunidades que a maioria das pessoas que frequentam este blog mas com otimismo e coragem ela está virando a mesa e correndo atrás do prejuizo.

PS: Não posso deixar de dizer que o marido da Telma também tem muito crédito por ajuda-la com as crianças enquanto ela estuda. Ele tb é um exemplo a ser seguido por muitos maridos.

Mantendo o Português das crianças

- Mama, eu posso comer as sereias? - Acho melhor voce comer as cerejas!