Skip to main content

Aniversário da Luísa


Ontem, dia 06, foi o aniversário de 2 anos da Luísa. Nem acredito que meu bebezinho já está se tornando uma menininha. O tempo tem passado muito rápido e o desenvolvimento dela está a milhão.

Desde que chegamos ao Canadá a Luísa aprendeu muita coisa: já come super bem, adora frutas e legumes, está naquela fase gostosa em que a criança repete tudo o que ouve e acompanha os irmãos em tudo.
A Helena é sua grande amiga de brincadeiras e de uma maneira geral as duas se dão muito bem. De vez em quando saem algumas briguinhas mas ela não é de fugir, geralmente enfrenta as situações mesmo sabendo que eles são mais fortes.

Apesar de parecer meio seria em ambientes estranhos, a Luísa é uma fogueteira: adora uma bagunça e em casa é muito risonha e carinhosa. Adora abraços apertados e cochichos no ouvido, rs.

Já está indo sozinha para a cama, praticamente come sozinha (apesar da sujeira que faz) e adora escovar os dentes sozinha. Tem dias que pensa que já é grande e quer se vestir sozinha também, isso quando não quer escolher a roupa!! Começamos os treinamentos para deixar a fralda, mas eu não forço nada. Sempre pergunto se ela quer colocar uma calcinha (o que significa que ela ficará sem fralda) e respeito se ela diz que não. Esta semana ela quis quase todos os dias. Aos poucos ela vai pegar o espirito da coisa, rs.

Por ela ser a caçulinha eu sempre me questiono se não estou mimando-a demais. De vez em quando me pego deixando-a fazer coisas que os outros dois não faziam. A Helena, por exemplo, ia para a cama as 8:30 junto com o Edu. Já a Luísa podia dormir aqui no sofá e só depois eu a levava para a cama.

Eu e o Sergio temos conversado bastante a respeito destas diferenças e aos poucos estamos colocando as coisas nos eixos. Desde a semana passada eu comecei a coloca-la para dormir junto com os outros dois. Faço todo o "ritual do sono" e ela vai pra caminha dela ao lado da Helena. Para minha surpresa ela não teve nenhum problema para dormir. Ao contrario: não chorou, não reclamou, veio para a sala algumas vezes mas me acompanhou de volta tranquilamente e não voltou mais.

Há coisas na vida da gente que não têm explicação e se formos pensar a respeito ficamos loucos. A vinda da Luísa talvez seja uma destas coisas. Nós queríamos muito o terceiro filho e eu sofri um aborto espontâneo um mês antes de engravidar da Luísa. Quando voltei ao meu médico dizendo que estava grávida, ele não acreditou. Disse que era impossivel e que deveria ser algum descontrole hormonal ou "resquício" da gravidez perdida. Mas não era: era a minha Luisinha que estava chegando.
Hoje não consigo imaginar minha vida sem esta gracinha de menina que nos enche de orgulho e felicidade.