Skip to main content

Royal Ontario Museum

Hoje nós passamos a tarde no ROM (Royal Ontario Museum) e foi simplesmente Maravilhoso!!! Eu sou apaixonada por Museus; sempre gostei e quando era solteira não perdia uma oportunidade para dar uma passada no MASP, na Bienal ou nos Museus dentro da Cidade Universitária. E tinha uma atração pela palavra EXPOSIÇÃO!!!

Na minha lua de mel, eu tive o privilégio de ir para Paris e passar tb alguns dias na Suíça e na Itália e então tive uma overdose!!! Ai que saudade (em pensar que tem uma blogueira querida indo para Paris por estes dias!!!)!

Quando o Eduardo nasceu eu achei erroneamente, que minha peregrinação por museus iria sofrer uma redução drástica e na verdade eu passei o primeiro ano de vida do Edu bem afastada destes passeios culturais. Mas então tivemos que ir para os Estados Unidos, algumas oportunidades imperdíveis apareceram e lá se foi o Eduardo peregrinar conosco. Foi só aí que eu percebi que criança pode sim combinar muito bem com museus.

Hoje foi nossa primeira experiência sozinhos com os três, mas pra variar foi muito divertido para todo mundo e as crianças adoraram.

Primeiramente nós fomos ver os Manuscritos do Mar Morto, que por si só já teria valido a pena. Foi muito interessante ver o lugar onde os manuscritos foram preservados da ação do tempo, como foram encontrados e ver a mesma história sendo contada em tempos diferentes, mas do mesmo jeito, ou de forma muito parecida. Sabe que eu até me emocionei?

O que as crianças mais gostaram foi dos dinossauros. Apesar de gostar muito de dinossauros e ter muita curiosidade em relação à vida deles e como se extinguiram, eu não sou apaixonada por ficar vendo ossos, mas o Edu não queria perder nada e foi de esqueleto em esqueleto. Mas eu adorei os fosseis encontrados em rochas e colocados ao lado e animais atuais.

Outra coisa que foi um sucesso foram as mumias: eu fiquei brincando com as crianças que íamos ver as mumias e corria atras deles, mas imaginei que só teriam os caixões... Quando dei de cara com uma múmia de verdade Eu quase saí correndo, rs, mas mantive a pose! Foi dificil convencer o Edu que aquela era mesmo uma pessoa morta. Mas ele encarou com naturalidade.

As crianças se divertiram muito escavando ossos na areia como se fossem arqueólogos e vendo os grandes mamíferos empalhados. O Eduardo até segurou uma barata enorme do Chile na mão: blargh!!!

Eu senti um pouco de falta de pinturas; não tinha muitas coisas. Eu adoro pinturas!!! Mas valeu muito a pena e o preço do ingresso que eu acho meio salgado.

Saímos de lá praticamente expulsos porque não atendemos ao dois avisos iniciais e eu já estou pensando por onde quero começar da próxima vez que for lá.