Skip to main content

Posts

Showing posts from September, 2009

Escola do Eduardo

A semana passada fomos convidados para visitar a escola do Eduardo. Fomos até a classe dele e conversamos muito com a professora.

Como muitos pais não foram tivemos muito tempo para conversar com a professora sobre o desenvolvimento do Edu. Ela foi toda elogios para ele. Segundo ela, ele começou aprendendo um palavra por dia e agora, após três semanas de aula, já entende praticamente tudo o que ela pede e já consegue formular frases completas também. Neste tempo ele teve muita ajuda de uma brasileirinha que está na mesma classe e que o ajudava traduzindo o que ele dizia ou explicando as coisas a ele.

O método da escola parece ser mesmo construtivista ou muito próximo disso. As salas sao separadas umas das outras por paredes mas a face voltada para o corredor é totalmente aberta. As salas são muito coloridas, com muitas coisas feitas pelas crianças coladas nas paredes. Uma coisa que eu sinto aqui é que existe uma grande preocupação com a socialização e um trabalho forte direcionado para…

Falando e falando inglês

É uma delícia acompanhar o crescimento e desenvolvimento das crianças bem de pertinho. Eu agradeço todos os dias por esta oportunidade. Todo dia tem novidade por aqui e eu me divirto muito apesar de alguns acidentes de percurso.


Se para nós, adultos, qualquer mudança nos deixa meio atordoados, eu fico imaginando como não fica a cabecinha deles que nem sabem direito o que está acontecendo.


A Luísa nas duas últimas semanas soltou a lingua, e em português, por enquanto.


Até a semana passada ela estava na fase Barbooosa (aquele personagem da TV Pirata que repetia a última palavra das frases, lembram?). Mas esta semana não sei o que aconteceu que ela começou falar frases completas e de vez em quando coloca até os artigos.


Esses dias eu estava lendo O grande livro dos lobos (que eles adoram!!!) e a Luisa me perguntou:


- Mamãe, o coyote morde criança?


A coisa mais linda!!!


Apesar de não estar gostando ainda das aulas do Linc, eu tenho um ótimo motivo para ir até lá todos os dias: as meninas estão …

De volta para a escola

A semana passada eu me matriculei em um linc aqui pertinho de casa e foi meu primeiro dia de aula. Pra ser bem sincera eu não estou muito animada com o lugar. A aula foi super entediante com alguns exercícios de gramática e zero de conversação. Não sei se este é mesmo o melhor método para se aprender inglês. A professora passou também um exercício de vocabulário mas de 38 palavras eu só não conhecia 4. Sem contar que ela fala super devagar como se estivesse conversando com crianças.

Sei lá, acho que o meu outro curso tinha um nível muito maior: eu sofria pra acompanhar e era obrigada a falar, fazer apresentações, ouvíamos rádio, liamos jornal. O vocabulário que o professor nos apresentava era muito maior e pelo menos metade das palavras eu não conhecia. Saí da aula de hoje com um desânimo enorme, achando que vou mais perder tempo do que outra coisa.

O grande ponto positivo foi o child care que tinha vagas para a Helena e para a Luísa, o que pode ser muito bom para as duas começarem a t…

Liberal, libertário, libertino

Por muito tempo eu acompanhei um blog com este nome. Já faz algum tempo que não entro nele mas acho o nome muito interessante. Desde que fomos para os Estados Unidos em 2004, eu e o Sergio temos uma brincadeirinha sobre liberdade.
Quando eu pergunto se posso fazer alguma coisa ele sempre responde: "este aqui é um país livre, Lena". É uma frase muito usada pelos americanos mas que muita gente, mesmo os próprios americanos, muitas vezes não conseguem entender direito.

Acho que eu demorei um pouco pra descobrir o verdadeiro significado da palavra liberdade, e hoje, mesmo que digam que liberdade não existe e que na verdade eu sou induzida a acreditar que tenho liberdade pelas forças manipuladoras (rs, rs, rs), eu me considero uma pessoas com muita liberdade. E melhor, morando em um país livre.

Na verdade estou falando tudo isso porque com o início das aulas muitos pais começam a discutir qualidade de ensino, a melhor escola para colocar os filhos, se as escolas católicas são melhor…

Os perigosíssimos nuts

Na foto ao lado está representado alguns tipos de nuts. Estas coisinhas gostosas que costumamos comer no Natal lá no Brasil, são os inimigos número 1 das crianças do Canadá. Existe uma verdadeira neurose a respeito deles, os nuts, e muitos produtos alimentícios trazem escrito bem grande na embalagem: NUTS FREE.

Não conter nuts na composição é uma qualidade do produto, rs.

Em qualquer escola ou daycare que a gente entre os nuts sempre são citados. Eles sempre especificam que todos os alimentos fornecidos pela escola é livre de nuts e quando falam sobre o lanche que vc deve levar para seu filho, repetem várias vezes que os nuts são proibidos.

As duas vezes que fui até a escola do Edu pedir informações eles me explicaram sobre os perigos dos nuts: "temos crianças alérgicas que podem se asfixiar com a mínima ingestão deste tipo de alimentos" me disse a diretora.

Quando eu perguntei se poderia mandar chocolate ou suco de frutas, ela me olhou com um certo estranhamento. Parecia que e…

E as aulas recomeçaram

Enfim, depois de um longo e maravilhoso verão canadense, estamos entrando de novo na rotina e tentando se organizar.

Hoje foi o primeiro dia de aulas do Edu e como de costume, a família inteira foi pra porta da escola dar tchauzinho. Como as meninas estavam de pijamas ainda, eu acabei indo sozinha com o Edu até o portão. Ele estava muito nervoso: ao mesmo tempo que queria que eu fosse embora para a aula começar logo, ele também nao queria ficar sozinho naquele ambiente onde ninguem falava a lingua dele.

Assim que vi a professora, fui apresentá-lo e ela já sabia que ele não falava inglês. Ela foi muito simpática e atenciosa. Todas as professoras ficaram ali no patio recebendo os alunos por uns 10 minutinhos e em seguida eles formaram uma fila indiana e foram para suas salas. Pra variar o Edu não deu trabalho nenhum. E pra falar a verdade, ninguem deu. É muito interessante ficar observando o relacionamento dos pais com os filhos por aqui. Não vi nenhuma criança chorando ou no colo da mãe…

AGO - art gallery of ontario

A semana passada finalmente fomos até a Galeria de Artes de Ontário. Eu estava louca para conhecer e também porque queria comprar algumas gravuras para colocar em casa. Apesar de querer voltar outras vezes, eu confesso que fiquei um pouco decepcionada.
O acervo não tem muitos pintores conhecidos (pelo menos não os que eu "conheço" e gosto) mas pra compensar tem muitos pintores canadenses dos quais eu gostei muito. Em especial o pintor Lawren Harris que faz parte do grupo dos sete. Estes sete pintores canadenses, inspirados na obra de Tom Thomson iniciaram um movimento nacionalista na pintura Canadense retratando as lindas paisagens do país. Em 1920 eles fizeram a primeira exposição em Toronto (uma espécie de semana de arte moderna) e as obras expostas se tornaram "orgulho nacional".

Eu não gostei muito da disposição das obras, achei meio confuso para os meus parcos conhecimentos. Prefiro quando tem uma ordem cronológica. E também não entendi muito bem umas salas com …

Amizade de longe

Conforme o tempo vai passando a saudade vai apertando e a gente começa sentir a verdadeira perda que temos ao imigrar: o contato com as pessoas. Não estou falando só da família e amigos que eu já tinha no Brasil porque isso é igual pra todo mundo; para mim, para outros brasileiros e para todos os outros imigrantes em qualquer lugar do mundo.


Eu sinto falta da proximidade, daquela naturalidade com que os brasileiros se aproximam, falam, beijam, abraçam, brincam.


Infelizmente não sou só eu quem está sentindo falta: o Sergio e as crianças também estão. Estamos todos carentes deste contato e deste afeto. Quando um amigo telefona pra marcarmos alguma coisa parece que o dia se ilumina, todo mundo fica animado. As crianças nem querem mais saber para onde vamos; eles sempre perguntam com QUEM vamos.


Não posso dizer que tenho dificuldade pra fazer amigos porque mesmo sendo muito tímida deixei um lista enorme de pessoas queridas no Brasil. Ainda converso com quase todo mundo e tem sido muito bo…