Skip to main content

Posts

Showing posts from February, 2010

Sabedoria Chinesa

Apesar de muitos e muitos brasileiros reclamarem dos chineses, eu tenho me tornado fã deste pessoal. É bem verdade que eles não são lá muito educados no trato do dia a dia: não espere que eles segurem a porta ou dêem passagem, mas depois de ler o livro da Sonia Bridi sobre a China eu passei a entender melhor esta falta de gentileza deles.

Em todas as escolas em que estudei por aqui, encontrei sempre um ou mais chineses com quem fiz amizade e aprendi muitas coisas interessantes. Sem contar que eles também se adaptam com certa facilidade aos costumes locais. Andando pelo bairro chines é muito comum ver os jovens com suas sainhas e shortinhos estilo canadense, comendo no mc donald's e principalmente, em grupos mistos de varias nacionalidades. Inclusive já vi dezenas de casais chines-nao chines, o que, pra mim, demonstra que os pais, ainda que queiram, não conseguem muito manter os guetos.

Outra coisa que gosto deles é o interesse por artes. Muitos dos que conheço tocam algum instrument…

Sorte que eu sou Latina

Há mais ou menos um mês e meio eu iniciei minhas aulas de inglês em um novo Linc. Agora ao invés de aulas exclusivamente de gramática, eu tenho tido muitas oportunidades de conversar com o professor e com meus colegas de classe.


Neste curso eu me propus a perder a timidez e tentar me expor o máximo possível, e tem dado certo: tão certo que discuto com o professor quase diariamente porque geralmente discordamos um com o outro. Como ele também percebeu que eu sempre discordo das idéias dele, ele fica me provocando a aula inteira com um risinho sarcástico. E já deve ter percebido também que eu não preciso de muita provocação pra dar a minha opinião, rs.


Ao mesmo tempo, eu tenho tentado entrar em contato com a maioria dos colegas e assim, aprender mais sobre outras culturas. Nem sempre é facil, mas tem sido muito interessante. O que me choca geralmente é perceber que a maioria deles vive em guetos dos seus países de origem. É bem verdade que nós praticamente só conhecemos brasileiros por aq…

Epitáfio

Eu coloquei a letra desta música na minha tese de mestrado. Ela se encaixou direitinho naquele momento porque foi MUITO estressante, cheio de problemas com o orientador e cheio de dúvidas em relação a maternidade/carreira. Apesar de ter sido uma grande bobagem eu ter me estressado tanto, acho que valeu a pena pela lição aprendida.


Acho que o término da minha tese e a chegada do Eduardo 15 dias depois da defesa me trouxeram uma leveza muito grande e desde então muita coisa mudou aqui nesta cabeça dura. Tenho complicado bem menos do que antes e visto muitos nascer e por de sol.


Estas últimas semanas têm sido inacreditavelmente corridas e cansativas,  mas não tenho do que reclamar. Tenho feito muitas coisas legais e aproveitado muito este inverno maravilhoso que mister el ninho preparou pra mim.

Temos encontrado muito amigos maravilhosos por aqui, muita gente legal que tem nos feito muito bem. Neste final de semana por exemplo, nós tivemos dois encontros maravilhosos. Primeiro nos encontra…

brazilian experience

Todo recem chegado por aqui sofre um pouco por não ter a famosa canadian experience e muitos empregadores usam este fato como desculpa para não aceitar newcomers. Por outro lado, os brasileiros podem usar a brazilian experience em várias situações para se livrar de algumas saias justas em que algumas pessoas nos colocam.

Hoje, estávamos almoçando quando a campainha tocou. Ao abrir a porta eu me deparei com uma senhorinha de carinha angelical pedindo doações para uma associação de estudos de ataque cardíaco.

(eu acho uma sacanagem alguem bater na sua porta em pleno domingo pra pedir doações ou vender alguma coisa. Vc sempre fica naquela situação chatérrima de ter que dizer que não quer ajudar!!! Sem contar que aqui eles batem direto na porta e vc fica cara a cara com a pessoa.)

Então, na minha saia justa, eu disse que hj não poderia. Não satisfeita com isso, a simpática senhora me pergunta se eu não poderia ajudar hj ou se não queria ajudar.

(ok, uma situação dificil sempre pode ficar mai…

Cadê o português que estava aqui????

Eu adoro falar português!!! E parece que esta é uma lingua muito agradável de se ouvir pelos estrangeiros. Muitas pessoas me perguntam em que lingua estou falando com as crianças e dizem que é muito gostoso nos ouvir conversando. Meu primeiro professor de inglês em Missi me disse uma vez que é muito agradável ouvir quem fala português falando inglês: disse nós temos uma entonação que parece música.

Mas o meu rico português, aquele que tento manter sempre afiado na minha cabeça, está sofrendo um serio risco de extinção aqui em casa. Tem sido uma luta diária manter as crianças falando em português e as vezes eu sinto que estou perdendo esta batalha.

O Edu ainda fala fluentemente e já troca o português pelo inglês sem problema nenhum. Tudo bem que hoje ele estava falando da amiguinha brasileira e dizia: "a Debra"

-Não Dudu, é Débora.
- Debra
- Débora.
- Debroa.

Foi dificil conseguir faze-lo repetir corretamente e sem sotaque, rs.

A Helena aos poucos está esquecendo algumas coisas como …

Frustrada, irritada, triste e inconformada

Hoje a Luísa amanheceu com a bendita chicken pox e por isso não pudemos ir na escola. Não preciso dizer que estou furiosa com esta situação porque apesar de saber que ela está bem, apesar de saber que já passou a fase de transmissão da doença, apesar de saber que o governo de Ontario diz  que "as crianças que têm condições de frequentar a escola não precisam ficar isoladas em casa", eu fui obrigada a faltar da escola. Apesar de saber que não preciso levar minha filha ao médico por causa da doença, eu sou obrigada a leva-la ao médico para pegar um atestado: ridículo.

Eu estou me sentindo novamente no Brasil, pela primeira vez desde que cheguei aqui: de mãos atadas, frustrada, sem poder fazer nada mesmo sabendo que a lei está a meu favor.

Este tipo de coisa me deixa furiosa porque eu tento sempre me manter informada, tento sempre seguir as regras, ainda que não as ache corretas. Antes de chegar ao Canadá eu pesquisei, eu li, eu me informei. Eu fiz um levantamento de como funcion…

Vou estar sempre do seu lado; gritando!

Eu tenho grande dificuldade com direita e esquerda. Aliás, este era meu grande medo durante a prova de direção. Já pensou se o examinador me manda virar pra direita e eu viro pra esquerda??? O bom é que em inglês eu geralmente acerto, nem imagino o porquê. Ja em português eu tenho que pensar na mão que eu escrevo ou na aliança de casamento.

Então um dia, em uma das primeiras vezes que vim dirigindo para Toronto, entrei em uma rua e no final dela tinha uma placa enorme dizendo que não podia virar para a esquerda. Eu fui seguindo em frente e perguntei pro Sergio:

- Pra que lado eu vou?
- Para a direita.

Só que eu confundi e achei que a direita era a esquerda; e então começou uma grande discussao (aos berros):

- Mas é proibido virar a direita.
- Não Lena, vire a direita!
- Mas a placa está dizendo que não pode.
- Então vire à direita!
- Não pode.
- Vire agora, vc não pode ficar parada aqui!!!

E eu virei à esquerda pensando que era direita e desobedecendo a sinalização!!! (Viu só como confio no meu …

Secretária do Lar

Eu nunca quis ter uma pessoa todo dia limpando a minha casa. Desde que me casei as moças que trabalharam pra mim, normalmente vinham uma ou dua vezes por semana e eu cuidava da casa nos outros dias. Tambem sempre fiz questão de lavar a roupa e guardar porque gosto de organizar as coisas do meu jeito, nem que não fique lá muito prático.

Só quando a Luisa nasceu que eu aceitei ter alguem 3 vezes por semana, principalmente por causa da roupa para passar, e no finalzinho do meu tempo de Brasil, a minha querida Telma ia todo dia pra me ajudar a cuidar das crianças enquanto eu organizava as malas (e também para conversamos muito já que nos tornamos amigas muito próximas).

Aqui no Canadá, eu já sabia que as coisas seriam diferentes e que eu não teria esta mordomia. Por outro lado eu tenho o meu secretário do lar que apesar de não ser lá muito organizado, me ajuda muito (e eu não preciso pagar nada, só as refeições, rs).

Mas além do meu marido "faz-de-tudo-um-pouco", eu tenho também um…