Skip to main content

Pra completar a fase pé no chão...

Em um momento em que estamos falando e comentando tanto sobre as dificuldades no Canadá, eis que o Sergio conseguiu seu primeiro emprego por aqui.


Mesmo com todos os cursos que fez, todas as horas de estudo, todos os curriculos mandados, todos os kilometros percorridos, rs, ele enfim conseguiu uma primeira oportunidade por aqui.


No início, estávamos seletivos: só mandávamos curriculos para as posições que se encaixassem perfeitamente à experiencia dele. Após os primeiro mês, a exigencia começou a diminuir, e foi diminuindo, diminuindo, diminuindo...


Como gostamos de trabalhar com metas, nós decidimos que o mês de julho seria o nosso limite. Se até julho não conseguissemos nada na área, ou eu iria trabalhar ou iríamos para o survival.


Julho chegou, sentamos e decidimos que eu vou esperar mais um pouco por causa das crianças e ele começou a tentar o survival. Ainda assim, não foi tarefa fácil. Não sabemos mentir, logo, ou ele é overqualified (tem mais qualificação do que a função exige) ou ele não tem experiência na área. No final, as duas situações são terriveis.


Alguns amigos ofereceram trabalho na construção, mas cá entre nós, quem conhece o Sergio sabe que ele não serve para este tipo de trabalho. Não é uma questão de querer, é sim uma questão de jeito pra coisa.


E então ontem, em uma agência de empregos, ele finalmente conseguiu uma posição, mas com a condição de não contar pra ninguem em hipótese alguma que ele é engenheiro.


Doutorado??? Por favor, nem cite esta palavra porque teoricamente não podemos saber o que isso significa.


Mas no final, nem foi tão ruim assim como pensávamos e como somos muito otimistas, podemos dizer agora que ele tem uma certa experiência canadense, rs.