Skip to main content

Momento pra prestar atenção

Por incrível que pareça, este período de pé quebrado tem sido muito bem aproveitado por mim. De repente eu me vi presa em casa e sem poder fazer quase nada por aqui. Nos primeiros dias fiquei irritadíssima porque meus competentes ajudantes não faziam as coisas como eu faço nem na velocidade que eu faço. Fiquei um tempão me questionando porque eu consigo dar conta das coisas e eles não conseguiam, rs.

Mas com razão ou sem razão, o fato é que eu não podia fazer e tive que delegar funções, pedir ajuda e me contentar em ficar no sofá de pé pro alto varios dias.

Quando a raiva foi passando, eu fui percebendo que ainda podia fazer muitas coisas e me divertir muito com elas. Foi então que comecei a colocar os nossos CD's que vieram do Brasil em suas caixinhas, comecei preparar o calendário do advento das crianças e assistir um monte de filmes que nunca tinha parado pra ver de verdade com as crianças. Entrei no mundo dos contos de fadas de corpo e alma!!!

Agora que o pé já está melhorando e estou podendo reassumir minhas funções, estou até sentindo saudade daquele sossego todo, de poder simplesmente deitar no sofá e deixar a casa cair, rs.

Mas acho que este acidente na verdade foi um sinal em forma de pedra para eu dar uma desacelerada. Imaginem que naquele final de semana fatídico eu ia receber amigos pra almoçar depois dos esportes das crianças e tinha um aniversário à tarde após o almoço. No domingo tinha parada do papai noel e um chá de bebe quase no mesmo horário. A correria ia ser grande e no final eu tenho certeza que não aproveitaria nada muito bem.

Com o pé quebrado as crianças foram no aniversário enquanto fiquei em casa dormindo. O Chá de bebe do domingo foi muito legal e depois ouvi dizer que a Parada do Papai Noel deste ano foi muito desorganizada. O almoço com os amigos foi transferido para o final de semana seguinte e eu pude aproveitar muito mais a presença deles aqui em casa. E no domingo ainda tive um "rodizio" de massas que amigas super prendadas prepararam.

Mais do que não sair descalça no quintal quando os termômetros estão abaixo dos 10 graus, eu estou tentando aprender a ir mais devagar. O "tudo ao mesmo tempo" foi muito apropriado quando eu estava gravida, com filhos indo para a escola e em pleno processo de imigração. Naquele período, eu tinha coisas pra fazer no Brasil mas minha cabeça já tinha chegado ao Canadá e eu não tinha escolha. Não dava pra fazer uma coisa de cada vez.

Hoje, as coisas estão diferentes e este pé quebrado veio me mostrar que está na hora de parar e fazer uma coisa de cada vez, talvez duas de vez em quando. Este pé quebrado me fez pensar também que as vezes (ou quase sempre) eu não sou uma boa amiga: não telefono, não dou notícias. E ainda assim, um monte de gente apareceu do nada pra me ajudar e eu sou muito grata a todas estas pessoas.

Acho que sempre que eu olhar a minha pedra de estimação vou me lembrar de andar um pouco mais devagar, organizar melhor minha agenda para não ter varios compromissos no mesmo dia e me lembrar de ligar para pelo menos um amigo que não vejo há muito tempo.