Skip to main content

Profissão: Secretária Executiva

Neste verão resolvemos registrar o eduardo na "liga de futebol" do bairro. Os times são divididos por idade e sexo. Então o Eduardo só joga com meninos que nasceram no mesmo ano que ele. O interessante é que apesar do aparente desinteresse pelo futebol, o negócio faz sucesso por aqui. Só na idade do Edu são 14 times com 11 jogadores cada um. Crianças de 5 a 17 anos podem participar e acreditem: tem times de todas as idades, masculinos e femininos.

No dia da inscrição o Sergio resolveu se candidatar a técnico assistente: ele ficaria ajudando o técnico e aprendendo como as coisas funcionam. Entretanto, começou receber e-mail endereçados aos técnicos e descobriu mais tarde que se ele não aceitasse o cargo, o time não teria treinador.

Eu diria que "juntou a fome com a vontade de comer". O time precisava do Sergio e apesar do medo inicial, o Sergio gostaria deste desafio. E está sendo uma experiência muito interessante para a familia inteira.

Ontem foi o primeiro jogo e o "técnico" ficou bem animado com o que viu. Não sei se ele entende mesmo do que está falando ou se é um grande otimista, mas ele achou que os meninos jogaram muito bem e já esta montando o treinamento que eles precisam. No jogo de ontem, infelizmente perdemos, mas eu diria que foi uma fatalidade. No inicio do jogo o time adversário tinha 8 jogadores, um a mais que a regra, enquanto nós estávamos com um jogador a menos porque varios "atletas" simplesmente não apareceram, rs...

Quando o Sergio percebeu que eles tinham um jogador a mais, avisou o juiz, mas mesmo com a saída do menino, ainda ficamos em desvantagem. Ainda assim, tivemos varias chances de gol, mas foi no finalzinho do primeiro tempo que eles acabaram marcando. Neste momento chegou mais um jogador para o nosso time e já estávamos animados com a perspectiva de jogar em igualdade, quando... armou-se um temporal horrivel... o céu escureceu, começaram relâmpagos e muita ventania, o que fez com que os jogos fossem paralizados.

A correria de pais e crianças foi até engraçada: cada um correndo pra uma direção, carregando cadeiras e sacolas. Vendo aquele monte de gente correndo, até deu uma certa vontade de correr também, rs...

Só sei que desde que esta história começou, o meu telefone passou a tocar mais vezes todo dia: tenho recebido varias ligações de pais "desesperados" querendo falar com o "coach". Sem ter me candidatado a nada, virei secretária executiva "bilingue" do técnico da seleção japonesa! Muito chique!!!

PS: a participação especial foi da Luisa Elena, que foi convocada de última hora para ser uma das bandeirinhas.