Skip to main content

Código secreto

Esta história de falar uma lingua diferente da lingua local é muito legal em varias situações. Sempre tem aquele momento em que um código secreto te livra de uma enrascada ou facilita um comentário mais indiscreto.

As vezes a gente vê uma situação diferente, morre de vontade de comentar, mas não pode porque as pessoas poderiam não gostar. Aqui no Canadá, a gente manda ver no código secreto: fala em portugues e pronto! As vezes antes de dar uma resposta ou fazer um comentário, vc precisa de uma outra opinião ou uma dica a qualquer hora e pronto: lá vem aquela conversinha paralela em portugues.

Mas de vez em quando... o código secreto pode virar contra vc mesmo.

Estávamos na ilha há algumas semanas e o Sergio disfarçado de "polonês" escuta duas moças passando:

- "Eu não estou sentindo a minha bunda".

A outra pergunta algo que ele não entendeu e como resposta:

- "Não, a coxa eu estou sentindo".

Situações como esta são super comuns por aqui: sempre vc pode ouvir conversinhas engraçadas em portugues. Mas a direção oposta também é verdadeira.

Esta semana eu estava na fila do Tim Hortons e liguei para o Sergio. Quando comecei falar com ele em portugues, um senhor que estava na minha frente se virou imediatamente para ver quem estava falando. O problema é que por acaso eu estava olhando pra ele e ele ficou super sem graça. E não é raro nós estarmos conversando em algum lugar e perceber alguem prestando atenção com aquela cara de "estou entendendo tudo o que vcs estão falando, seus bobos".

No futebol do Edu não tem nenhum brasileiro, mas tem um pai da Nicaragua. Durante o jogo eu sempre converso com o Sergio em portugues e no último jogo fiz uma piadinha por causa de um chutão que o Eduardo deu. O pai nicaraguense não conseguiu esconder que ouviu e entendeu a piada: ficou um tempão rindo e tentando explicar para a esposa em ingles o que eu havia dito.

O código secreto pode ajudar muito em varias situações, mas se não for usado com cuidado pode nos colocar em situações bem embaraçosas.

PS: por muitos anos eu e o Sergio usávamos o ingles para falar coisas que não queríamos que as crianças entendessem: agora usando o portugues a chance deles não entenderem é maior, porque o ingles eles já dominam muito melhor do nós, rs.