Sep 30, 2011

Lugar de criança é na escola

Hoje está sendo a Terry Fox Run na escola das crianças. Todo mundo vestido de vermelho e branco, com bandeirinhas do Canadá andando pelos arredores da escola em homenagem ao Terry Fox. As crianças levaram moedinhas que serão doadas para a pesquisa do Cancer e de quebra a gente ainda ganha um pouco de conhecimento da cultura canadense.

Minha amiga canadense se emociona e chora quando fala no assunto. Eu me emociono e choro quando vejo as oportunidades que estamos tendo de viver tudo isso. Nós duas, adoramos o Terry Fox Run de qualquer forma.

Na minha modesta opinião de mãe de 3 em idade escola, uma das melhores coisas que acontece na vida de uma criança é o momento em que ela vai para a escola, especialmente se isso ocorre após os dois anos.

Me lembro que o Eduardo, quando tinha 2 anos, queria muito ir para a escola. Esperava ansioso pela vez dele e acho que foi ótimo pra ele esta experiencia (mesmo tendo escolhido mal a escola, naquele momento).

O fato é que a escola é o melhor contraponto para tudo o que as crianças vivem em casa. Naquele ambiente a criança vai encontrar muitas possibilidades para viver novas experiencias, conhecer todo tipo de gente e entender que o mundinho que existe dentro da casa dela é apenas uma estrelinha em um Universo gigantesco.

Para quem vive expatriado como nós, a escola é o melhor lugar para se adaptar, aprender a lingua como ela é falada na rua e aprender a lógica do pensamento deste povo, rs. Sem fazer comparações entre educação aqui ou ali, escola pública ou católica, boa ou ruim... a escola dá para nossos filhos a oportunidade de conhecer o mundo de verdade: é o primeiro contato dos nossos filhos com a vida como ela é, sem a nossa superproteção, nossos olhos atentos aos perigos, sem nossos olhar aprovador ou nossa cara de brava. É a primeira vez que nossos filhos têm a chance de tomar suas proprias decisões longe dos nossos olhos e em um ambiente estranho, com pessoas que eles não conhecem e influencias de todo tipo.

É claro que esta experiencia pode ser facilitada quando sabemos escolher a instituição. Muitas vezes somos levados apenas pelo nome, pela fama, pelo preço ou pela indicação do vizinho e não percebemos que aquele lugar não é o mais adequado para receber o nosso filho "problemático" e depois não entendemos porque a agenda da criança está repleta de bilhetinhos da professora nos convidando para um "encontro".

No Canadá as opções não são tão grandes quanto no Brasil porque as escolas gratuitas são escolhidas pela rua onde vc mora, ainda assim existem escolas abertas que aceitam alunos de lugares mais distantes e vc ainda pode escolher entre as católicas (se vc for cristão) e as públicas.

Mas independente de qualquer coisa, quem realmente vai fazer a vida escolar do seu filho, é vc. Quem vai ensinar as diretrizes, os conceitos morais, quem vai criar o caráter do seu filho É VC. A escola vai sim dar as possibilidades, vai dar o material para o seu filho se desenvolver. Mas vc é quem vai administrar este material e ajudar seu filho a julgar o que é bom ou ruim: o que ele quer usar ou não. Por isso, a participação dos pais na escola é fundamental: estar olhando de pertinho o que está acontecendo na vida do seu filho é o melhor caminho para ensina-los a escolher bem.

Por outro lado priva-los das experiencias desagradaveis é fingir que o mundo é um conto de fadas e que todas as princesas são bozinhas.

Eu me fico extremante feliz de ver todas as experiencias que meus filhos estão tendo na escola. Me angustio com as coisas desagradaveis, choro e me emociono muito, mas num dia como o de hoje eu só agradeço por todas as oportunidades. Infelizmente muitas crianças pelo mundo não têm a mesma chance que meus filhos estão tendo, mesmo aqui no Canadá. Eu, de verdade, lamento muito por elas.

Sep 27, 2011

Cardápio semanal

Já faz muito tempo que venho amadurecendo esta idéia de ter um cardápio pronto toda segunda feira pra não ter que pensar nisso durante a semana. Como sou meio detalhista eu ficava pensando em maneiras de fazer, como organizar os acompanhamentos, planilha para organizar os dias e no final eu pensava, pensava e não fazia nada.

A semana passada eu resolvi simplificar. Fiz uma listinha super simples igual a esta:

segunda: carne moída

terça: frango refogado

quarta: lasangna

quinta: bife a milanesa

sexta: strogonoff

Fiz esta listinha em um caderno de anotações e pronto. Comprei o que precisava e o negocio funcionou super bem. Só na sexta feira comemos no mcdonalds porque algumas crianças vieram brincar aqui e a mãe de uma delas trouxe lanche para todos, então eu e o sergio acabamos aderindo também. E então fiz o strogonoff no sábado.

Para esta semana já fiz meu cardápio também. Um pouquinho mais elaborado, mas também muito simples:

segunda: steak com azeitonas e arroz branco. Talvez feijão se der pra cozinhar.

terça: sobrecoxa de frango assada.

quarta: canelone

quinta: carne de porco na panela. Talvez coloque batata ou faça um purê.

sexta: carne com brocoli refogada.

Parece bobagem, mas isso facilitou minha vida imensamente. Abrir o freezer e já saber o que tenho que tirar dali e o que preciso fazer para preparar tornou a preparação da comida muito mais agradavel. Eu consigo me organizar muito melhor porque sei o tempo exato que vou ficar na cozinha e se percebo que não vou ter muito tempo naquele dia para preparar algo mais elaborado, mudo o cardápio para algo mais rapidinho. Os ingredientes já estão todos disponiveis e basta me organizar com 3 horinhas de antescedencia e eu consigo fazer os ajustes sem muito problema.

Esta semana estou introduzinho também um cardápio para o snack da tarde porque o Edu chega da escola faminto e preciso dar alguma coisa para eles comerem antes de começarmos a maratona de sportes. Vcs acreditam que a doida registrou as crianças em esportes todos os dias da semana, incluindo o sábado??? 

Todo tempo que eu economizo agora com meu cardápio semanal eu preenchi com horas de sala de espera!!! Haja livros para me distrair.

Sep 26, 2011

Encontro no supermercado

Eu detesto encontrar gente conhecida em supermercado pequeno!!! Na hora do encontro é legal, vc pergunta da familia, ela pergunta da sua, trocam-se algumas amenidades sobre a correria do dia a dia, os preços das frutas, o que as crianças gostam para o lunch e vai cada um para um lado.

Só que o supermercado é pequeno e vcs acabam se encontrando muitas outras vezes!!! É inevitável dar uma olhadinha no carrinho dela e perguntar sobre alguma coisa que tem lá. Neste segundo encontro normalmente vcs  trocam algumas dicas de snack para a escola, alguma receita prática para fazer no jantar, alguem indica um lugar melhor para comprar frutas e verduras e vcs se separam novamente.

Mas os encontros são inevitáveis e a menos que vcs sejam muito amigas, a situação vai ficando engraçada porque o assunto acaba, não dá mais pra ficar se cumprimentando e o que eu sinto, na verdade é vontade de rir.

Minha amiga sentiu o mesmo e cada vez que nos encontrávamos caíamos as duas na risada. Já não tinhamos mais o que falar e estávamos as duas correndo por causa das crianças na escola.

Da próxima vez vou organizar melhor os nossos encontros. Ela terá três opções:

1. Combinamos o dia para irmos em dias diferentes e não corrermos o risco de se encontrar.

2. Se nos encontrarmos, combinaremos o lado em que cada uma vai começar: se ele for primeiro para as frutas, euu vou para a geladeira que fica do outro lado e assim só nos encontraremos uma vez no meio do caminho.

3. Marcamos um horário para fazer as compras e vamos juntas de corredor em corredor trocando figurinhas e matando o tempo enquanto esperamos as crianças saírem da escola.

Pensando bem, esta opção 3 talvez seja bem mais divertida!!!

Sep 20, 2011

A foto com o Cauby Peixoto

Eu sempre fui toda politicamente correta e sempre tomei muito cuidado com piadinhas. O meu marido, entretanto é mais realista e fala o que pensa sem estes melindres e eu não sei se ele não está realmente certo.

Então um dia eu estava na sala do meu chefe, o Sergio entra e comenta olhando uma foto da esposa do chefe com seus filhos: "nossa, mas a esposa do chefe parece o Cauby Peixoto!!!".

Eu fiquei indignada: soltei um caminhao de melancia em cima dele depois de uma grosseria como esta. Fiquei mesmo brava com a "brincadeira".

Até que um dia eu entrei na sala do chefe novamente junto com outra estagiária e ela me perguntou:

- Quem são aquelas crianças?
- São os filhos do chefe.
- Mas porque os filhos dele tiraram foto com o Cauby Peixoto?
- risos, risos, choro de tanto riso... explicação.

Passado alguns dias uma outra estagiária entra na sala onde eu estava e diz:

- Nossa Mari, porque o chefe tem uma foto do Cauby Peixoto em cima da mesa dele? As crianças são filhos dele???

Fiquei desesperada porque o chefe estava na sala ao lado e eu tenho quase certeza que ele ouviu, rs. Na hora tirei a menina da sala e expliquei a situação.

Agora tenho que dizer que a mulher realmente parecia com o Cauby naquela foto. E todas as estagiárias achavam um desperdício visto que o chefe alem de novinho era bem bonitinho, rs.

Sep 14, 2011

O maníaco do Wal Mart

Eu sou muito distraída focada, por isso não é raro eu passar batido por uma pessoa que conheço ou ir conversar com alguem e não cumprimentar o outro conhecido que estava conversando com este alguem, coisas deste tipo... quando fazem comigo eu chamo de falta de educação, mas quando eu faço, eu chamo de foco!


Fui ao wal mart as   9:30 da noite de domingo comprar umas coisinhas. Apesar de não ser um horário muito ortodoxo, eu gosto bastante porque sei que as crianças estão dormindo e que a loja vai estar vazia. Quando já me preparava para ir para o caixa, me distraí fiquei focada  olhando umas roupas de cama e banho. De repente, eu percebi alguem perto de mim: um cara de uns 50 anos, com cara de bobinho, vestido como menininho. Ao perceber que eu o vi, ele disfarsou, foi andando para o outro lado, mas de vez em quando olhava para trás.

Na hora eu pensei: este cara está querendo roubar alguma coisa e eu o estou atrapalhando. Saí dali e fui para o corredor ao lado. Só que o cara entrou no mesmo corredor fingindo que estava olhando as toalhas, e de vez em quando dava uma espiadinha para ver se eu estava olhando pra ele.

A corajosa aqui ficou apavorada: fechei a cara, peguei meu carrinho e saí de perto: fui para a parte de artesanato e me distraí de novo  foquei em outras coisas, quando de repente o fulano aparece de novo!!! Ele passava pelo corredor, me olhava, disfarsava e sumia, para aparecer do outro lado do corredor e fazer a mesma coisa.

Eu comecei tremer dos pés à cabeça e resolvi ir embora, fui pegar o pão (desculpa objetivo do passeio) e não é que o cara apareceu no corredor do pao também??? Pois nesta hora eu parei de pensar, só fui empurrando meu carrinho sem rumo tentando ficar o mais longe possivel de onde aquele cara estava e olhando para todos os lados para ver se ele não estava por perto. Ainda tentei ver umas outras coisas que eu precisava mas simplesmente não consegui mais me distrair  concentrar.

Fui pro caixa, passei minhas compras e... me lembrei que eram quase 11 da noite e eu teria que ir sozinha até meu carro. Então eu comentei com a caixa sobre o que aconteceu e percebi que todas as outras caixas que estavam ali perto ficaram se entreolhando com cara assustada. A caixa ainda tentou me acalmar, fez uma brincadeira do tipo "ele estava te paquerando" e me mostrou que tem muitas câmeras espalhadas por todo lugar, mas eu percebi que ela tambem ficou nervosa.

Só que o nervosismo dela não resolveu o meu problema: eu queria que alguem me acompanhasse ate o carro!!! Então a caixa chamou um supervisor, eu expliquei o que tinha acontecido e ele me levou sã e salva para o carro. Antes de sair do estacionamento eu ainda fiquei de olhos bem abertos para os carros que estavam saindo ao mesmo tempo, mas depois, finalmente consegui relaxar novamente.

Agora eu fico pensando: por quanto tempo aquele retardado ficou me seguindo e me observando dentro da loja??? Eu  não sei se vou conseguir me distrair ficar focada novamente no Wal Mart com esta dúvida na cabeça. Acho que vou pedir para ver as câmeras de segurança pra tirar esta dúvida!!!

PS: O Canadá é um país super seguro e eu fico super tranquila aqui, mas louco tem em todo lugar e na mesma proporção, então vale sempre a pena estar alerta e não se "focar" tanto nas coisas.

Sep 13, 2011

Convenções sociais

Para se dizer que uma pessoa está totalmente adaptada a um determinado grupo, eu acho que ela precisa entender e conseguir seguir todas as regras do grupo. O problema é que muitas vezes estas regras não estão escritas em nenhum manual e a grande dificuldade é entender o que se espera de vc e o que é aceitável no comportamento das pessoas.

Ao contrário do Brasil, no Canadá nenhum homem vai á piscina ou às praia com sunga. Homem aqui deve usar bermudão na água. Mesmo os meninos usam bermuda. No máximo um macacão justinho para nadar mas que vai até o joelho. Sunguinha brasileira é motivo de olhares assustados. Mas não é proibido, porque na piscina que frequentamos tem varios senhores que usam, mas só os bem de idade, porque os mais jovens não abrem mão da bermuda.

Os maiôs femininos também são super comportados. Em sua maioria as canadenses usam maiôs que cobrem 100% do bumbum. Sabe aquele maiô de perninha da sua avó??? Aqui é última moda!!!  Mas não pensem que estes são os maiores: com o multiculturalismo e as várias religiões que temos por aqui, vc encontra de tudo nas piscinas da cidade. Tem muito maiô com sainha cobrindo o bumbum ou uma saiona que vai até o joelho. Maiô tipo calça legging também é muito comum. E tem as mais radicais em comportamento que entram na água de manga comprida e véu.

Mas ao contrário do que possa parecer, nem todo mundo é super "comportado" deste jeito. Principalmente as mais jovens usam maiôs bem mais cavados, que eu particularmente acho muito mais bonitos e elegantes. Nada comparado com o nosso maiô brasileiro, mas pelo menos sem a perninha.

Se por um lado os maiôs femininos são comportadíssimos para os padrões brasileiros, os shorts das meninas podem deixar muitas brasileiras coradas. O uso do "shortinho canadense", apelidado assim por mim, é muito democrático. Alem de poder ser curtíssimo, todo mundo usa. As magrinhas, as gordinhas, as mocinhas, as mais velhinhas: ninguem se constrange com celulite e pelanquinhas à mostra.

Hj eu vi uma moça na rua com um shortinho que mostrava uma parte do bumbum de tão curto. Juro que não é exagero!!!

Já as saias têm um código um pouco mais restritivo, apesar de poderem ser curtíssimas, são geralmente usadas somente pelas mocinhas. E estas mocinhas ficam tão à vontade com suas micro-saias que todo mundo é obrigado a olhar para o outro lado se não quiser ver o que não deveria. Os modelos são varios: dos justinhos aosrodadinhos, com babadinho, saia godê... não importa desde que seja bem curtinha, rs.

Quanto às crianças, quase tudo é permitido desde que a criança esteja vestida. Meninos ou meninas andando de calcinha ou cuequinha nos parques é uma coisa que não se vê. Os meninos até podem andar sem camisa, mas de bermuda. Para as meninas o peito deve estar sempre coberto, nem que seja por um top. Criança totalmente peladinha eu nunca vi!!!

Pra não chamar muito a atenção, o melhor jeito é observar o ambiente antes de escolher a roupa que vai vestir. Não acredito que alguem vá te dizer alguma coisa ou chamar a polícia, mas que todo mundo vai ficar te olhando, isso vai!!!




Sep 9, 2011

Coisas de menina

Queridas mamães de meninas porque as mães gostam tanto de criar suas filhas como se fossem bonequinhas de porcelana???

Uma das coisas mais comuns que existem são meninas tratadas como se fossem menininhas, Barbies, bonequinhas de porcelana ou mais apropriado dizer: seres humanos feitos para casar,  ter filhos e cuidar de uma casa. Este não pretende ser um post feminista, mas sim um post em defesa da auto estima e das oportunidades para as meninas.


Nós mulheres gostamos tanto de falar em feminismo, falar dos nossos direitos, dos nossos salários mais baixos, somos todas modernas, independentes, bem resolvidas, com empregos maravilhosos, podendo fazer tudo o que qualquer homem faz, mas  nos esquecemos que nossas filhas um dia serão mulheres e nós estamos criando pequenas princesas para um mundo de conto de fadas que não existe.


Pra chegar a esta conclusão eu não fiz nenhum estudo científico ou li alguma revista de comportamento: eu saí para comprar brinquedos e roupas para minhas filhas. Ora, as lojas nada mais são do que um reflexo da sociedade que a mantem. Se a demanda é por produtos Hot Wheels, eles vão encher as prateleiras com estes produtos. Se todas os pais estão comprando Barbie no natal, nada mais justo do que a loja encher as prateleiras com todos os tipos de Barbie e seu enxoval completo e invejável.


E comprar brinquedo para meninas, pelo menos aqui no Canadá sempre me deixa decepcionada. A loja da LEGO é um bom exemplo! Em um shopping aqui perto de casa tem uma loja maravilhosa da LEGO. São inumeros produtos interessantíssimos para todas as faixas etárias, mas PASMEM, para meninas só tem algumas coisinhas.

Segundo a minha  lógica, confirmada pelos produtos que encontro na loja da LEGO, as meninas pequenas têm algum interesse em casinhas, fazendinha e coisinhas assim, mas quando crescem um pouco mais (4 anos em diante) não precisam mais usar a cabeça pra quase nada: só pra usar a tiara das princesas (encontradas em qualquer lojinha pé de chinelo por ai).


Pra que uma menina vai precisar de um lego ou um jogo educativo? E pra que a industria vai se preocupar com as filhas dos outros se os proprios pais nao se preocupam? As meninas são bombardeadas o tempo todo com coisas futeis que ensinam que mulher tem que estar sempre bonita, bem arrumada, pensando em cuidar da imagem e não precisam se preocupar com mais nada.


Carrinho para meninas, nem pensar: mulher só usa carrinho de feira e/ou de bebê!!! Será mesmo??? Não é bem isso que eu vejo quando as minhas meninas e suas amiguinhas encontram a caixa de carrinhos do Eduardo. E quantas histórias desperdiçadas pela falta de oportunidade para brincar com alguns carrinhos. Tantas coisas podem ser feitas sem perder a feminilidade mas explorando diferentes opções.


Para as meninas sempre sobram "o sonho da dona de casa perfeita": panelinhas, bonequinhas estilo barbie, bebês (que elas gostam, não vou negar), carrinho de feira, todos os tipos de eletrodomésticos que uma boa dona de casa deve saber usar e agora tem também um "kit limpeza" composto por vassoura, balde, mop e pá de lixo que com certeza vão ajudar muito as meninas no seu primeiro emprego ou no casamento!!!

É claro que minhas meninas adoram dançar, adoram sapatinho e vestidinho das princesas, amam a barbie e só querem usar vestido o tempo todo!!! Tudo bem!!! Não estou querendo que as meninas sejam criadas como moleques com bermudão, camiseta larga e boné ao contrário. Mas acho que este mundinho cor de rosa é muito pouco pra qualquer menina. Acho que dá perfeitamente para se equilibrar as coisas e explorar melhor todas as possibilidades.

Aqui em casa, as meninas brincam com as coisas do Eduardo e se divertem muito com isso, e sem perder a feminilidade. Brincam com as pistas e carrinhos de Hot Wheels, com seus vestidos de princesa e salto alto. Elas adoram video game e jogos de computador

Nós mulheres e mães, continuamos sofrendo varios tipos de pressões e preconceitos pelo simples fato de sermos mulheres! Eu acho um absurdo aceitarmos que nossas filhas sofram o mesmo tipo de pressão e preconceito dentro da nossa propria casa.

Sep 8, 2011

Crianças imprevisíveis

Há algumas semanas atrás eu fui na casa de uma amiguinha da Helena para um Playdate. Nunca tinha ido lá antes e foi super legal, mas... o irmaozinho da menina, foi acordado pela mãe quando cheguei para poder brincar também. Ele tem 2 anos e meio e chorou muito quando a mãe o acordou. Na verdade ele não parou de chorar durante as duas horas em que eu estive lá.

Ficou o tempo todo no colo da mãe, chorando e fazendo birra, sem querer nada e quando eu falava com a moça, ele gritava bem alto para não conseguirmos conversar. Eu fiquei super chateada porque percebi que o menino estava muito incomodado com minha presença, mas ao mesmo tempo eu não podia ir embora porque a Helena estava brincando com a menina. Enfim, fiquei duas horas ouvindo o menino chorar e fazer birra, rs...

Alguns dias depois disso voltamos à casa dele para o aniversário da menina. Com muita sensibilidade, esta mãe convidou não só a Helena, mas tb o Edu e a Luisa. O Edu tinha soccer e eu fui só com as meninas. Assim que chegamos, o pai da aniversariante veio nos receber e o menino tb. Ele olhou para nós com cara de bravo e disse:

- O que vcs estão fazendo na minha casa? Eu não quero vcs aqui!!!

Vcs já viram a cara de um pai cair no chão na sua frente??? Pois eu vi!!! O moço (super educado, por sinal) ficou tão sem graça e tão sem reação, que eu fiquei com pena. Me abaixei, na altura do menino e disse sorrindo:

- Nós viemos para o Aniversário da sua irmã!

Ai, que pena que nem sempre a gente está filmando as situações... a cara do menino foi impagável. Ele fez a maior cara de desdém e deu um gemido que eu traduziria com um "dane-se". Virou as costas e saiu.

Nesta hora o pai já estava procurando um buraco e eu morrendo de vontade de rir; até porque estas coisas só não são engraçadas para os pais da crianças, né???

Eu sorri e completei:

- Criança é assim mesmo: eu tenho três e sei bem como são estas coisas!!!

Mentira!!! Já quis entrar em buraco varias vezes mas de uma maneira geral as minhas crianças costumam ser bem educadinhas com as visitas. O menino passou a festa inteira fazendo cara feia para os convidados e "rosnando" para todo mundo que falava com ele. Eu até tentei ajuda-lo a fechar uma mala que ele estava tentando fechar e não conseguia, mas o rosnado foi tão forte que eu sai de perto, rs rs rs... Ele não interagiu com ninguem, ficou o tempo todo sério e quando alguem falava com ele, ele rosnava (mesmo para os pais e para os avós).

Então a semana passada, para fechar as ferias, eu convidei a amiguinha da Helena para um playdate aqui em casa e convidei o menino. Apesar de ter ficado imaginando o que aconteceria, eu me senti melhor assim. Certamente ele ficaria triste de ver a mãe e a irmã sairem e ele não poder ir. Já passei por esta situaçao varias vezes e sei bem o tamanho do problema.

Quando eles chegaram aqui em casa eu fiquei na defensiva: praticamente nem olhei para o menino, não falava com ele e não chegava perto com medo dele começar a chorar ou "rosnar" pra mim. Ele entrou meio sério mas sem timides. Acompanhou a outras crianças e quis descer no basement. Todo mundo acabou descendo pra lá e aos poucos o menino foi se soltando, fazendo amizade com as outras crianças e no final da tarde já estava todo sorridente brincando com os ursinhos da Luisa e com a propria Luisa.

Eu acabei dando uma carona para eles e ele até deixou que eu tirasse o sinto dele e o ajudasse a descer do carro.  Não posso dizer que ele é a criança mais simpática que já conheci, mas acho que em no máximo 10 anos já teremos nos tornado amigos, rs.

E vcs, o que fariam com uma criancinha simpática como esta?

PS: Uma das maiores lições que eu tive com a maternidade foi:

- escute, veja, preste atenção a tudo, pense a respeito, copie o que for bom, faça diferente do que for ruim, mas só diga alguma coisa quando for solicitado!

Sep 7, 2011

Cuidado com a roupa intima

A avó de uma amiga minha sempre dizia que não devemos usar calcinha ou sutiã velho. Nas palavras dela:




- Se um dia vc for atropelada na rua, todo mundo vai aquela calcinha furada e com o elástico frouxo!!!


Ouvi tantas vezes esta história que nunca mais me esqueci e toda vez que penso em colocar aquela calcinha mais velhinha para sair de casa, desisto, pensando no atropelamento, rs.


Seguindo a mesma lógica, procuro estar sempre repondo as calcinhas e cuequinhas das crianças. E aquelas mais velhinhas, normalmente eu deixo pra eles usarem em casa. Logicamente com o marido funciona assim também. Quando vou dobrar a roupa, dou uma geral e já coloco no lixo o que já passou do prazo de validade, rs.


Então no aniversário dele, comprei varias coisas de uso pessoal que ele estava precisando e enchemos a mesa de presentinhos para o papai. Dentre os presentes ele ganhou meia dúzia de cuecas.


Eu juro que procurei muito por cuecas de qualidade e ao mesmo tempo bonitinhas, mas no tamanho dele e no modelo que ele gosta, as melhores e mais bonitas que encontrei eram coloridas e algumas com estampas. Ele gostou muito, não reclamou de nada e tem elogiado o conforto do presente, mas....


...um belo dia ele chega no quarto e pergunta:


- Lena, é possivel um cara que já passou dos 40 de repente ficar indeciso sobre sua sexualidade???


- Que pergunta mais doida??? Por que???


- Porque estou me olhando no espelho e não estou me reconhecendo com esta cueca com estampa "camuflada do exército". Pra mim, isso é coisa de gay, rs...


E tenho que dizer... ficou muito estranho mesmo!!! E ele, se lembrando do conselho da avó da minha amiga:


- Já pensou se eu for atropelado um dia e todo mundo pensando "quem diria, o Sergio, com esposa e filhos".


Não preciso dizer que a cueca virou pijama de final de semana né? Ele só usa em casa, ou no máximo pra dar uma voltinha pela rua.

Sep 2, 2011

Odeio stickers

Eu gostaria de saber quem foi o infeliz que inventou estes malditos stickers (aqueles adesivos com personagens conhecidíssimos das crianças e que elas colam em todo lugar). Aqui no Canadá estas porcarias são uma mania: vc ganha um monte deles nas festas de aniversário, nas festividades da escola, no término das aulas de ginastica, futebol, dança... só a natação se livra dessa febre por motivos obvios.

No início eu achava super legal, super bonitinho aquele adesivo super delicadinho grudado nos pulsos das crianças quando terminavam alguma atividade. Mas minha opinião mudou totalmente!!! Primeiro que alguns destes adesivos se soltam das mãos das crianças tão logo elas ganham e aí começa a choradeira:

- Mamãe, eu perdi meu sticker!!!

E lá vai a mamãe procurar por um sticker minúsculo nos lugares mais estranhos como na grama do parque, embaixo do carro, nos banheiros públicos, no ralinho da pia onde a criança lavou a mão.

Mas quando a cola do negócio é um pouco melhor, não posso dizer que resolve meu problema porque então aquela porcaria vai ser provavelmente colada no meu sofá branco, ou nas paredes da casa toda, ou nas camas, nos pisos da casa inteira ou pior... as crianças deixam cair em qualquer lugar e vc vai andando pela casa e aquela porcaria cola na sola do seu pé.

Ou vc vai em algum lugar e só quando volta pra  casa descobre que tinha um sticker colado no seu bumbum ou no seu cabelo.

E aquelas porcarias cuja cola é muito mais forte que a qualidade do negócio. A figura sai, fica feia, meio rasgada e a droga da cola não solta de jeito nenhum!!!

Um belo dia as crianças ganharam uns destes adesivos com "super bonder". CLARO que eu NÃO tinha idéia de que a cola era deste tipo e deixei as crianças colarem nas frames das camas. Os benditos tinham figuras relativas ao Hockey e o Eduardo amou!!! Eu não me preocupei muito porque já conhecia a falta de qualidade destes stickers e sabia que em dois dias tudo estaria descolando e seria facil convencer as crianças a tirar tudo e colocar no lixo.

Só que os stickers "super bonder" não descolaram em dois dias, nem em 15, nem em 2 anos. Estão lá firmes e fortes e os lugares onde eu tentei tirar à força ficaram sem as figuras mas com a cola!!! Todo dia olho para aquela beleza toda e alimento minha raiva contra estes stickers.

Mas é uma luta em vão: as crianças recebem estes negócios em todo lugar e o máximo que eu posso fazer é convence-los a colar tudo em um caderno. As vezes funciona... mas as vezes eles se esquecem!

Sep 1, 2011

Coisas importantes

A quantidade de desenhos, figuras, dobraduras, cartõezinhos que eu recebo das crianças é enorme!!! Quase todo dia um deles me dá alguma coisa que acabou de fazer pensando em mim. É uma delícia receber estes pequenos agrados e ir guardando estas memórias de cada fase da vida deles. O problema é espaço para guardar tudo.

As vezes, na correria do dia a dia, a gente acaba não dando tanta importancia para um desenho que acabou de ser feito pra vc. A criança chega na hora mais impropria, quando vc está com o fogão cheio de panelas quentes ou está naquele telefonema importante em inglês e nem pode apreciar aquele presente feito com tanto amor e carinho.

Naquela correria, vc acaba deixando um desenho super lindo em cima da mesa e um copo de suco vira em cima dele, ou ele cai no chão e todo mundo pisa... enfim, de alguma forma, algo que deveria ser cuidado foi deixado de lado e estragou...

isso já aconteceu algumas vezes aqui em casa e a decepção da criança é enorme. É como dizer:

- Não estou interessada nesta bobagem que vc acabou de fazer!!!

Um dia a Helena me deu um cartãozinho e eu coloquei dentro do livro que estava lendo. Quando terminei o livro o cartãozinho acabou ficando lá dentro e um dia, não sei como ela encontrou e chorou muito sentida porque eu não tinha gostado do desenho dela. Eu fiquei super mal por ter me esquecido!!! E aprendi: presente dado, presente guardado.

Hoje tenho uma gaveta onde coloco todas as coisas de escola deles e todos os desenhos, figuras, dobraduras, folhinhas, pedrinhas e muitas outras coisas que eles trazem de algum lugar pra mim. Sempre que possivel coloco data, nome e descrevo a situação e tenho guardado tudo. De vez em quando dou uma limpa na gaveta e vou guardando os presentes em caixinhas de lembranças de cada um.

Eu bem sei que um dia o espaço vai ser realmente pequeno e vou ter que jogar fora muitas destas coisas, mas enquanto este momento não chega, vou acumulando lembranças destes momentos tão lindos e aprendendo a dar importancia a estas pequenas demonstrações de afeto que enchem a minha vida de alegria.

Mantendo o Português das crianças

- Mama, eu posso comer as sereias? - Acho melhor voce comer as cerejas!