Skip to main content

Coisas de menina

Queridas mamães de meninas porque as mães gostam tanto de criar suas filhas como se fossem bonequinhas de porcelana???

Uma das coisas mais comuns que existem são meninas tratadas como se fossem menininhas, Barbies, bonequinhas de porcelana ou mais apropriado dizer: seres humanos feitos para casar,  ter filhos e cuidar de uma casa. Este não pretende ser um post feminista, mas sim um post em defesa da auto estima e das oportunidades para as meninas.


Nós mulheres gostamos tanto de falar em feminismo, falar dos nossos direitos, dos nossos salários mais baixos, somos todas modernas, independentes, bem resolvidas, com empregos maravilhosos, podendo fazer tudo o que qualquer homem faz, mas  nos esquecemos que nossas filhas um dia serão mulheres e nós estamos criando pequenas princesas para um mundo de conto de fadas que não existe.


Pra chegar a esta conclusão eu não fiz nenhum estudo científico ou li alguma revista de comportamento: eu saí para comprar brinquedos e roupas para minhas filhas. Ora, as lojas nada mais são do que um reflexo da sociedade que a mantem. Se a demanda é por produtos Hot Wheels, eles vão encher as prateleiras com estes produtos. Se todas os pais estão comprando Barbie no natal, nada mais justo do que a loja encher as prateleiras com todos os tipos de Barbie e seu enxoval completo e invejável.


E comprar brinquedo para meninas, pelo menos aqui no Canadá sempre me deixa decepcionada. A loja da LEGO é um bom exemplo! Em um shopping aqui perto de casa tem uma loja maravilhosa da LEGO. São inumeros produtos interessantíssimos para todas as faixas etárias, mas PASMEM, para meninas só tem algumas coisinhas.

Segundo a minha  lógica, confirmada pelos produtos que encontro na loja da LEGO, as meninas pequenas têm algum interesse em casinhas, fazendinha e coisinhas assim, mas quando crescem um pouco mais (4 anos em diante) não precisam mais usar a cabeça pra quase nada: só pra usar a tiara das princesas (encontradas em qualquer lojinha pé de chinelo por ai).


Pra que uma menina vai precisar de um lego ou um jogo educativo? E pra que a industria vai se preocupar com as filhas dos outros se os proprios pais nao se preocupam? As meninas são bombardeadas o tempo todo com coisas futeis que ensinam que mulher tem que estar sempre bonita, bem arrumada, pensando em cuidar da imagem e não precisam se preocupar com mais nada.


Carrinho para meninas, nem pensar: mulher só usa carrinho de feira e/ou de bebê!!! Será mesmo??? Não é bem isso que eu vejo quando as minhas meninas e suas amiguinhas encontram a caixa de carrinhos do Eduardo. E quantas histórias desperdiçadas pela falta de oportunidade para brincar com alguns carrinhos. Tantas coisas podem ser feitas sem perder a feminilidade mas explorando diferentes opções.


Para as meninas sempre sobram "o sonho da dona de casa perfeita": panelinhas, bonequinhas estilo barbie, bebês (que elas gostam, não vou negar), carrinho de feira, todos os tipos de eletrodomésticos que uma boa dona de casa deve saber usar e agora tem também um "kit limpeza" composto por vassoura, balde, mop e pá de lixo que com certeza vão ajudar muito as meninas no seu primeiro emprego ou no casamento!!!

É claro que minhas meninas adoram dançar, adoram sapatinho e vestidinho das princesas, amam a barbie e só querem usar vestido o tempo todo!!! Tudo bem!!! Não estou querendo que as meninas sejam criadas como moleques com bermudão, camiseta larga e boné ao contrário. Mas acho que este mundinho cor de rosa é muito pouco pra qualquer menina. Acho que dá perfeitamente para se equilibrar as coisas e explorar melhor todas as possibilidades.

Aqui em casa, as meninas brincam com as coisas do Eduardo e se divertem muito com isso, e sem perder a feminilidade. Brincam com as pistas e carrinhos de Hot Wheels, com seus vestidos de princesa e salto alto. Elas adoram video game e jogos de computador

Nós mulheres e mães, continuamos sofrendo varios tipos de pressões e preconceitos pelo simples fato de sermos mulheres! Eu acho um absurdo aceitarmos que nossas filhas sofram o mesmo tipo de pressão e preconceito dentro da nossa propria casa.