Skip to main content

Crianças imprevisíveis

Há algumas semanas atrás eu fui na casa de uma amiguinha da Helena para um Playdate. Nunca tinha ido lá antes e foi super legal, mas... o irmaozinho da menina, foi acordado pela mãe quando cheguei para poder brincar também. Ele tem 2 anos e meio e chorou muito quando a mãe o acordou. Na verdade ele não parou de chorar durante as duas horas em que eu estive lá.

Ficou o tempo todo no colo da mãe, chorando e fazendo birra, sem querer nada e quando eu falava com a moça, ele gritava bem alto para não conseguirmos conversar. Eu fiquei super chateada porque percebi que o menino estava muito incomodado com minha presença, mas ao mesmo tempo eu não podia ir embora porque a Helena estava brincando com a menina. Enfim, fiquei duas horas ouvindo o menino chorar e fazer birra, rs...

Alguns dias depois disso voltamos à casa dele para o aniversário da menina. Com muita sensibilidade, esta mãe convidou não só a Helena, mas tb o Edu e a Luisa. O Edu tinha soccer e eu fui só com as meninas. Assim que chegamos, o pai da aniversariante veio nos receber e o menino tb. Ele olhou para nós com cara de bravo e disse:

- O que vcs estão fazendo na minha casa? Eu não quero vcs aqui!!!

Vcs já viram a cara de um pai cair no chão na sua frente??? Pois eu vi!!! O moço (super educado, por sinal) ficou tão sem graça e tão sem reação, que eu fiquei com pena. Me abaixei, na altura do menino e disse sorrindo:

- Nós viemos para o Aniversário da sua irmã!

Ai, que pena que nem sempre a gente está filmando as situações... a cara do menino foi impagável. Ele fez a maior cara de desdém e deu um gemido que eu traduziria com um "dane-se". Virou as costas e saiu.

Nesta hora o pai já estava procurando um buraco e eu morrendo de vontade de rir; até porque estas coisas só não são engraçadas para os pais da crianças, né???

Eu sorri e completei:

- Criança é assim mesmo: eu tenho três e sei bem como são estas coisas!!!

Mentira!!! Já quis entrar em buraco varias vezes mas de uma maneira geral as minhas crianças costumam ser bem educadinhas com as visitas. O menino passou a festa inteira fazendo cara feia para os convidados e "rosnando" para todo mundo que falava com ele. Eu até tentei ajuda-lo a fechar uma mala que ele estava tentando fechar e não conseguia, mas o rosnado foi tão forte que eu sai de perto, rs rs rs... Ele não interagiu com ninguem, ficou o tempo todo sério e quando alguem falava com ele, ele rosnava (mesmo para os pais e para os avós).

Então a semana passada, para fechar as ferias, eu convidei a amiguinha da Helena para um playdate aqui em casa e convidei o menino. Apesar de ter ficado imaginando o que aconteceria, eu me senti melhor assim. Certamente ele ficaria triste de ver a mãe e a irmã sairem e ele não poder ir. Já passei por esta situaçao varias vezes e sei bem o tamanho do problema.

Quando eles chegaram aqui em casa eu fiquei na defensiva: praticamente nem olhei para o menino, não falava com ele e não chegava perto com medo dele começar a chorar ou "rosnar" pra mim. Ele entrou meio sério mas sem timides. Acompanhou a outras crianças e quis descer no basement. Todo mundo acabou descendo pra lá e aos poucos o menino foi se soltando, fazendo amizade com as outras crianças e no final da tarde já estava todo sorridente brincando com os ursinhos da Luisa e com a propria Luisa.

Eu acabei dando uma carona para eles e ele até deixou que eu tirasse o sinto dele e o ajudasse a descer do carro.  Não posso dizer que ele é a criança mais simpática que já conheci, mas acho que em no máximo 10 anos já teremos nos tornado amigos, rs.

E vcs, o que fariam com uma criancinha simpática como esta?

PS: Uma das maiores lições que eu tive com a maternidade foi:

- escute, veja, preste atenção a tudo, pense a respeito, copie o que for bom, faça diferente do que for ruim, mas só diga alguma coisa quando for solicitado!