Skip to main content

Toda boa ação deve ser recompensada?

Com o post sobre os adesivos desviados pela Luisa, rs, surgiu a idéia de dar uma recompensa à criança quando ela fizer algo positivo, correto, como por exemplo devolver o adesivo. Não sei... eu sempre tomo muito cuidado com recompensas. Acho que se por um lado as recompensas por coisas positivas podem ser um incentivo para a criança continuar fazendo coisas positivas, por outro lado eu acho que pode desenvolver na criança uma idéia de que devemos fazer as coisas para receber algo em troca.


Eu sempre fui contra pagar favores: um favor não deve ser pago, senão, deixa de ser um favor e passa a ser um serviço ou um trabalho remunerado.


Eu estendo esta idéia a tudo! Se vc ajuda o seu vizinho, muitas vezes ele nem precisa ficar sabendo que foi vc. Nós devemos fazer por achar que ele precisava daquela ajuda, mas não esperando que ele venha agradecer ou retribuir. Por outro lado, é super bom retribuir um favor, agradecer por alguma ajuda, mas não como um pagamento, e sim como uma forma de mostrar à outra pessoa o quanto a ação dela nos fez bem.


Só que a linha entre o agradecimento e o pagamento pelo favor é tão tênue que muitas vezes constrange quem ajudou. E muitas vezes a pessoa acaba não ajudando mais porque sabe que vai obrigar o outro a retribuir. Ao mesmo tempo que é super chato fazer algo para alguem e a pessoa simplesmente ignorar, rs. Enfim, é dificil decidir o melhor comportamento: acho que tudo depende da situação, da pessoa, da intimidade que se tem com ela.

No caso das crianças, eu acho que é ainda mais complicado. As crianças são muito objetivas e enxergam tudo de forma muito concreta. Pra eles é mais do que natural o "toma lá, dá cá". Imagine: eu faço um favor e recebo algo em troca. Todo mundo sai ganhando no final. E recompensa-lo quando fazem algo correto simplesmente reforça esta ideia.

Se pensarmos friamente, e muito justo dar um agrado para aquela criança que tem a iniciativa de ajudar ao proximo, dar um presentinho para aquela criança educada, que se comporta bem, que respeita os mais velhos, que tem bom coração. Mas a recompensa não deve estar pagando pelo favor em si e sim pela generosidade daquela pessoa, pelo bom coração dela, pela disponibilidade de ajudar ao outro por amor.

O fato é que é muito dificil diferenciar o pagamento do agradecimento e eu morro de medo de criar pequenos interesseiros que fazem tudo com segundas e terceiras intensões. Acho importante a criança entender que devemos fazer a coisa certa simplesmente porque é o CERTO, é o justo.