Skip to main content

Fase 3

Ai que tosse!!! Acho que esta semana tive a pior gripe da minha vida. Fiquei dois dias de cama e super chateada porque não pude ajudar o maridão que quebrou o dedo do pé na véspera de natal!!! Sim, porque aqui no vale das pedrinhas nós não gostamos que quebrar tradições!!! O ano passado fui eu, e este ano o maridao resolveu me copiar.


Só que o dele foi sem o mesmo charme!!! Primeiro que ele não pode colocar a culpa no frio, porque estávamos dentro de casa, segundo que ele não chutou uma pedra enorme e não estava correndo: ele chutou um banquinho de madeira quando caminhava tranquilamente para me ajudar a arrumar a cozinha. Já deu pra ver que ele caminhava bem devagar, né??? E pra completar, foi bem na véspera de natal.


As crianças esperando o papai noel e eu esperando o marido me ligar do hospital para ir buscá-lo!!!


Para meu azar, o acidente aconteceu depois da nossa ceia e quando saí para busca-lo, às 5 para meia noite, as crianças quiseram deixar uns biscoitinhos e um COPÃO de leite para caso o Papai Noel aparecesse enquanto estivéssemos fora. Prendi todo mundo no carro, corri pra dentro, coloquei os presentes e  tomei  QUASE  todo o leite!!! Sai limpando o bigode e quase estourando!!!


Na volta, a criançada ainda reclamou que o Santa (Santa Clauss) não tinha tomado tudo!!! Vejam só que desaforo!!!!


O marido??? Estava bem, mas o plantonista achou que o dedo estava meio estranho e ainda marcou um retorno justamente no dia 26 de dezembro (o nosso boxing day: feriado onde as lojas fazem promoções maravilhosas!!!). Conclusão: não pude sair às compras!!!


E tudo isso acontecendo na semana mais estressante das nossas vidas: a semana da nossa separação!


É amigos, a vida é bela, mas é cheia de surpresas também. Quando viemos para o Canadá, eu e o Sergio estávamos preparados para tudo. Sabíamos que o risco era alto, que tudo podia acontecer... viemos com a cara, a coragem e o nosso maior tesouro: nossos filhos. Estávamos dispostos a fazer acontecer, fazer dar certo e não desistir jamais. E naquela época, a única certeza que a gente tinha é que não iríamos separar a familia de jeito nenhum. Ele vir na frente preparar o terreno  e coisas assim não era hipótese para nós.


Eu sempre fui uma pessoa persistente, mas o Canadá foi um teste e tanto para mim. Não posso dizer que não tivemos qualidade de vida por aqui: felizmente a nossa qualidade de vida é ótima em terras canadenses e eu posso dizer que encontrei exatamente o que eu procurava para os meus filhos: segurança e oportunidades.


Indo e voltando, mudando de idéia, recomeçando, fazendo ajustes aqui e alí, nós conseguimos encontrar o nosso lugar por aqui. Nos adaptamos às diferenças culturais e estamos a cada dia mais inseridos no dia a dia do canadense. Hoje, ainda temos muitos amigos brasileiros, mas eu fico super feliz em perceber que temos muitos amigos não-brasileiros também. Nossos filhos estão totalmente adaptados, estão fluentes nas duas linguas e já acreditam que pizza é aquele negócio massudo que eles vendem na pizza hut com peperoni em cima!!!


Mas para o Sergio e pra mim, as coisas não foram assim tão faceis!!! O que mais sofreu com certeza foi ele, mas eu sofri por tabela!!! No primeiro ano, ele sofreu com o desemprego, sofreu com as enganações das agências de ajuda ao imigrante, sofreu com a falta de vagas e com a frase maldita: VC NÃO TEM EXPERIÊNCIA CANADENSE!


Certa vez eu discuti com meu professor de inglês que ousou dizer que esta historia de experiência canadense não existe!!! Que sorte que eu ainda nao conhecia palavrões em ingles naquela época!!!


Depois de mais de um ano desempregado e já a beira da depressão (força de expressão, por favor), nós percebemos que um "survival job" poderia ser uma boa idéia. E foi!!! Hoje nós lamentamos muito o tempo perdido. E foi neste emprego que nós conhecemos uma face obscura do Canadá que pouca gente conhece, pouca gente comenta, mas muita gente convive com ela.

Confesso que me decepcionei muito com muitas coisas, mas ainda acho que o Canadá foi uma grande opção para nós. E agora, vamos encarar uma terceira fase da nossa imigração: a separação!

Sergio está indo para Halifax a partir da semana que vem e eu vou tentar atualizar o blog com mais frequencia para contar tudinho o que tem acontecido com a gente.